Capítulo 109° — União

Então chegamos no local  e entramos as meninas já estavam lá.

– Oi meus amores. — Sorrir, quando vi elas na tarde de relaxamento.

– Que bom que chegou, tava tentando tranquiliza-la. — Juliana riu. — Impossível! 

– Lari, Lala, muié calma é só seu casamento. — Ri. — E o batizado da minha pequena.

– Isso vai da tudo certo, quer dizer já deu! — Bruna disse.

– Ai gente vocês vão ver quando for o de vocês. — Ela riu.

– Isso foi tipo uma praga, cês tão vendo né? — Eu ri.

– Nem foi amiga! — Ela riu.
– Imagina. — Anne disse.

– Então bora que quero começar também. — Ri.

– Sua vó chegou Mari. — Larissa disse.

– Onde?

– Aqui em Sampa uai.

– Eles estão aonde?

– Casa do Gustavo. — Ela disse.

– Raniele disse que ta chegando. — Bruna falou.

– Oba!

E então começamos a tarde com muita massagem, banho de hidromassagem, champanhe, tudo de maravilhoso, contando casos para Larissa não ficar tão tensa, quanto estava. Então Bruna pegou o celular e passou pra mulher do spar tirar uma foto nossa.

amigas

“Porque hoje é dia de casamento! haha #spar #amigas!”

Continuamos ali a só relaxando e tirando fotos. A tarde foi maravilhosa, só de muitas risadas e felicidades compartilhadas. Então era a hora de começar a arrumar as unhas e o cabelo, era tanta mulher num lugar só imagina a loucura que estava aquilo ali? Então levaram Larissa para se vestir em uma outra sala e nos vestimos, logo veio os maquiadores que nos maquiaram, os cabeleiros que terminaram o penteados e quando eram 19:40 estávamos prontas, mas a noiva ainda se arrumava lá dentro. Então terminando pedi a mulher que tirasse uma foto minha com as meninas.

madrinhas

“Ops, faltou alguém! hahaha cadê a @larissacarvalho? ;x”

Meu look era.

madrinha da lari

Então chegou uma foto no meu whats, Luan tinha mandado era o Breno.

– Gente olha que gostoso meu menino! — Falei.

– Não é o Luan não né? — Bruna disse.

– Não Bru. — Ri.

Mostrei elas. 

tumblr_nk7hgaLMx61s2tcfso1_500

– Sorrindo pra vovó! – Meus olhos lacrimejaram.

– Meu sobrinho é lindo!

– Esse menino é fofo demais. — Juliana sorriu.

– Olha tem dois carros buzinando lá fora! — Lucas o que trabalhava aqui no spar avisou.

– Vou ver quem é. — Falei.

Então fui Bruna quis vim junto, quando vi era Mateus acompanhante de Bruna e Diego. 

– Oi Mateus tudo bom? — Sorrir.

– Tudo Mari e você? — Ele saiu do carro me abraçando e logo deu um selinho em Bru ❤ .

– Gente vão que vou esperar o Luan chegar, Di vou chamar Juju pra você. — Sorrir.

– Ta bom gata. — Ele disse.

Despedi de Bruna e Mateus que foram, e fui chamar Juliana.

– Jujuba é seu motorista. — Ri. — Di chegou!

– Opa! Lá vou eu.

– Vitor acabou de chegar. — Anne saiu junto. — Juana foi com o Pedro.

– Que pedro? 

– Uai o que trabalha com vocês.

– Ual, será que eles estão juntos?

– Devem ta tentando né?

– Ai que fofos! — Juliana disse. — Olha fui!

– Beijo gatas, até mais tarde.

– É Rani ficou só nóis. — Ri.

Então Larissa saiu toda linda da sala produzida, maravilhosa. 

– Amiga você ta linda, maravilhosa, perfeita! — Sorrir. — Que noiva gostosa essa hein! — Todos riram.

– Cara eu tô muito linda.

– Realmente você já é, ficou maravilhosa Lari. — Ranielle sorriu.

– Ta linda, mas eu tenho que ir mais dois carros chegaram deve ser o Luan e o Gustavo. — Falei.

– Mas antes uma foto, não vou postar, só de lembrança. — Sorrir.

A foto ficou assim.

prontas

– Amiga você vai ficar aqui com o pessoal, sua mãe está vindo junto com seu pai.

– Meu pai vem? — Ela sorriu.

– Sim, ele vem. — Sorrir. — Mesmo com tudo que ele fez, ele vai vim e você vai entrar com seu pai. — Abracei ela.

– Tanta saudades dele.

– Mata ela hoje! — Risos.  — Sua mãe já avisou que está a caminho com a Lavínia, e não atrasa muié se não Guel morre no altar.

– Obrigado amiga, muito obrigado mesmo. — Ela me abraçou e logo Raniele e saímos de lá.

Então fui cumprimentar Gustavo  e meus avós que estavam lá no carro, e depois voltei pro carro em que Amarildo dirigia.

– Gente que linda! — Sogra sorriu.

– Vocês que estão lindos. — Sorrir. — E meu bebê ta gatinho demais meu Deus. — Dei um beijinho.

Estava assim.

tumblr_nl6nlxGhyv1s2tcfso1_500

Luan

4g0yb7o3f5_9kiqdjdxwy_file

– E a Larissa amor?

– Ela ta linda, olha. — Mostrei a ele meu celular a foto que havíamos tirado. — Ta super nervosa.

– Nossa ela ficou linda. — Amarildo sorriu.

– Ficou mesmo. — Marizete disse.

– Vem na mamãe meu amor. — Peguei Breno com Marizete.

Então chegamos a igreja que estava linda a decoração, então fui entrei na igreja e fui até ao Miguel.

– Ela chegou?

– Não Guel. — Sorrir. — Mas ta vindo, e te falar ta linda! — Sorrir.

– Ela já é. — Ele sorriu. — E minha filha?

– Não vi ela ainda. — Risos. — Mas olha vou ficar lá fora, pois já já ela chega. — Sorrir. — Fica tranquilo.

Tinha muita gente de CG ali gente, nossa que saudades daquele povo todo. Iam acenando eu também fiz o mesmo, quando cheguei lá fora.

– Vou entrar com ele ta Mari? — Sogra me olhou.

– Sim sogrinha. — Sorrir.

– Vamos Rani e Gustavo, daqui a pouco a Lari chega.

Eles também iriam ser padrinhos.

Então nós saímos.

– Amor. — Abracei Luan.

– Cê ta muito linda! — Ele disse em meu ouvido.

– Vem cá amor. — Sorrir.

E rapidinho fomos ao banheiro e tiramos uma foto.

amor

“Agora só falta a noiva, cadê? haha. Te amo @marinacavalcantti.” 

Então voltamos e Larissa tinha acabado de chegar com a ajuda do pai descia do carro, tia Marília estava atrás com a Lavínia. Então fui cumprimentar todos. 

– Amiga fé, e boa sorte! — Sorrir. 

– Valeu Mari! — Sorriu.

– Preparada? — Pai de Lari olhou pra ela.

– Sempre preparada! — Ela disse.

E então começou uma música os noivinhos, padrinhos nós entramos e logo após veio as floristas e logo depois Tia Marília com Lavínia, por final a música da noiva começou e ela linda, deslumbrante entrou na igreja. 

img-530273-fiorella-mattheis-flavio-canto20130723121374592187

Miguel já chorava no altar, e Larissa vinha chorando pelo tapete vermelho. Que linda!

lindos

“Enfim, casados meus amores @miguelgarcia @larissacarvalho. ” ❤

(…)

O casamento foi lindo, perfeito e o batizado perfeito Lavínia um amorzinho.

batizado

“Senhor, agradeço por nos fazer participar de uma nova vida, proteja e tome conta do seu corpo e alma para que chegue saudável à luz do mundo e à nova vida do batismo. #Afilhada #Lavínia, amo!”
(OBS: acho linda a menina deles, por isso escolhi essa foto u.u Iza sendo iza!)

Anúncios

Capítulo 108° — Spar com as amigas

Então amanheceu por incrível que pareça, não precisei me levantar nem uma hora da noite. Claudia não havia me acordado para dar mamadeira ao Breno, ou troca-lo. Acordei então com a campainha tocando várias vezes, meio assustada pulei da cama, olhei no relógio ainda com dificuldades para abrir os olhos. E a campainha então parou, mas uma gritaria que só Deus. Me levantei fui ao banheiro fiz minhas higienes, me troquei e fiz um coque no cabelo. Sair do meu quarto, e então desci.

– Que barulhada é essa daqui Clau.. — Quando vi quem estava ali já era de se notar, Luan, Marquinhos, Douglas e Max. — Ah claro, tinha que ser… quem mais seria? 

– Oi Maria, menina sumida! — Marquinhos se recompôs e me abraçou.

– Vontade de bater em vocês juro! — Ri. — Bom dia pra vocês.

– Bom dia meu amor. — Luan me abraçou e me deu um selinho demorado.

– Bom dia Lu. Oi Douglas, Max! — Sorrir.

– Oi Mari. — Eles disseram.

– Mari o café esta na mesa. — Claudia disse.

– Obrigado Claudinha. — Sorrir. — Você já esta dispensada por hoje viu?  — Ela já tinha arrumado até a casa. — Muito obrigado por ontem, por ter olhado as crianças, seu pagamento está no mesmo lugar. —Sorrir.

– Ok Mari, bom final de semana pra vocês gente. — Ela me abraçou e foi arrumar suas coisas para ir.

– E vocês já tomaram café?

– Ainda não, só passamos na casa do Luan pra tomar banho, pois a noite foi boa demais! — Marquinhos disse.

– Falar nisso onde vocês estavam mesmo? — Perguntei-lhes, enquanto ia me sentando.

– Uai na despedida de solteiro do Miguel. — Luan disse e se sentou do meu lado, rindo.

– Isso eu sei né?

– Fomos pra woods muié! — Max disse. — Só!

– Ah Luan e aquela legenda da foto, Larissa vai querer te matar. — Ri. — Deixa ela acordar.

– Quem ta aí? — Douglas perguntou.

– Larissa, Bruna, Juana, Juliana e as crianças. 

Enquanto íamos conversando tomamos nosso café, depois deixei eles lá e subir para o quarto do Breno, ver as crianças. Breno acabava de acordar e Lavínia também. Então fui preparar o banho de Breno e Larissa entrou no quarto.

– Bom dia amiga. — Ela me abraçou. — Oi amorzinhos.

– Bom dia Lalá, e aí como ta o coração?

– Ai amiga, nem eu sei. — Ela riu. — Tô nervosa! 

– É normal. — Sorrir.

Conversávamos e dávamos banho nas crianças, terminando descemos Luan logo pegou o filho e começou a brincar com ele. Fui pra cozinha deixando as meninas que também já estavam lá em baixo tomando café, preparar a mamadeira de Breno, Luan quis amamentá-lo. E me sentei ao seu lado, Larissa xingava o Luan pela legenda da foto, e ele ainda ria dela, o dó! Conversávamos ali por mais um tempo, mas todos resolveram ir embora. Bruna voltou com os meninos no carro do Luan e as meninas foram no carro com a Larissa, e mais tarde todos nos encontraríamos pro casamento.  E apenas ficou Luan.

– A sós! — Sorrir e o abracei.

– Minha neguinha, tava com tanta saudades. — Ele me abraçou e me deu um beijinho demorado.

– Muitas amor, é difícil viu Lu. — Disse.

– Eu sei, mas nós vamos conseguir. — Ele sorriu e nos sentamos novamente no sofá e Breno resmungou no carrinho.

– O que foi hein mamãe? — Disse o pegando.

– O que você queria falar ontem no telefone?

– Então Luan… — Falei. — Sabe a Carla?

– Carla que Carla? Mari.

– Sua ex Luan.

– Hãn, o que tem ela? — Ele segurava a mão do filho e me olhou.

– Ela me ligou. — Disse.

– Te ligou? — Ele ergueu uma das sobrancelhas. — Pra quê? 

– Pra dizer que ela vai pegar o meu filho, e isso não irá acontecer! — Eu falei.

– Amor claro que não, ela não irá pegar ninguém. — Ele me olhou. — Ela não tem mais esse direito, e vai ver te ligou estava bêbada ainda. Ela não tem esse direito, o Breno é nosso, nosso filho, nós estamos criando ele com muito amor, carinho, afeto e é isso que nos faz tornar pais dele. — Lua me abraçou. — Fica tranquila.

– Eu tô tranquila. — Eu disse. — Mas como ela conseguiu meu número?

– Com certeza de quando a gente conversava deve ter pegado em meu celular, aquela mulher era louca Mari!

– Porque se casou com ela?

– Eu estava cego. — Ele disse. — Não vi quem era ela de verdade, depois de um tempo que fui ver.

– Hm.

– Ei meu amor. — Ele disse. — Promete ficar tudo bem? Sem estresse, sem tristezas, ainda mais hoje! — Ele sorriu. — Casamento dos nossos amigos e batizado da nossa afilhada. — Ele alisou meu rosto.

– É verdade! — Sorrir. — Olha você sabe que hoje Breno ficará com você e seus pais né?

– Aram, Bruna já disse isso. — Ele riu. — Até que horas?

– Até a hora que terminarmos nosso dia de princesas. — Ri. — Junto com a noiva!

– Cêis é muito folgadas, isso sim.

– Cala boca Luan. — Eu dei um tapinha nele.

– Ai amor.  — Ele fez bico.

– Nem doeu. — Ri e beijei aquele bico. — Segura o Breninho. — Dei um beijo no Breno, e Luan pegou ele, me levantei indo em direção as escadas.

– Calma vou com você. — Ele disse. — O que vai fazer?

– Arrumar as coisas do Breno, pois sua mãe disse que vai arruma-lo. — Sorrir. — Ah vamos almoçar fora hoje?

– Borá amor. — Sorriu.

– Ótimo! Ai de lá, te levo em casa com o Bre, e vou com Bruna pro Spar onde as meninas estarão nos esperando.

– Ok!

Então Luan enquanto brincava com o filho, conversávamos, ele contava da semana de shows, o que tinha rolado e eu arrumava a bolsa de Breno. Então arrumei a bolsa do pequeno e fui pro meu quarto.

– Amor não te mostrei meu vestido né? — Sorrir. — Ou ficou lindo!

– Deixa eu ver muié!

Então tirei o vestido do plástico e mostrei Luan, ele aprovou, então agora fui arrumar minha bolsa que levaria pro spar, Luan ria de tanto de coisa que eu arrumava. E então por fim, quando acabei fui tomar um banho para irmos, lavei os cabelos, me vestir.

Franjinhas-pra-já

– Vamos?

– Bora! — Luan disse. — Eu dirijo!

– Ok. — Ri, pegando Breno e passando as bolsas para ele.

– Cadê a chave?

– Lá em baixo na mesa da sala.

Então descemos e fomos direto pro restaurante, e lá almoçamos numa boa, claro que tinha alguns paparazzis, não tinha como fugir!Então assim quando acabamos fomos pro estacionamento do restaurante e saímos pelos fundo direto pra casa do Luan. Chegando lá, entramos e Marizete estava no sofá conversando com o Amarildo e os amigos de Luan.

– Oi gente! — Sorrir.

– Oi Marina, oi amorzinho da vovó. — Marizete me abraçou e logo pegou o neto.

– Oi mamusca, pai!

– Oi filho, tudo bom?

– Sim, demais.

– Só passei aqui pra deixar o Breno e levar a Bru comigo.

– Opa, tô aqui! — Ela vinha descendo as escadas com sua bolsa e o vestido no pacote em mãos. — Nos vemos mais tarde família! — Bruna abraçou e beijou todos, fiz o mesmo e saímos. 

– Juízo hein! — Luan gritou.

– Sempre! 

Pisquei e entrei no carro e Bruna também, e acelerei. Bruna ligou o som, e foi tocando umas modas até chegar no spar.

Capítulo 107° — Despedidas

– Sim, quem é? — Perguntei novamente.

– Sou Carla ex mulher do Luan. — Ela disse do outro lado.

Antes de dizer qualquer coisa, parei e pensei o que ela iria querer. O porque que essa mulher estaria me ligando?

– Han? Carla, o que você quer?

– Então eu vou pegar meu filho. — Ela disse.

– Como é? Que filho?

– O Breno que você pegou.

– Não meu bem, ele agora passou a ser meu filho, registrado em meu nome e do pai dele. E você não tem o direito de pegar ele, não mais! E se não for pedir muito, não ligue mais para atormentar! — Falei e desliguei na cara dela.

Eu ficava nervosa com pouca coisa, aquilo estava me deixando nervosa! Como ela tinha conseguido meu número? Como assim pegar o meu filho? Ela nunca irá conseguir, e com certeza ela estava bêbada pela sua voz, como vou deixa-lá levar meu filho de mim? Isso jamais! Nunca!

Breno terminou de mamar e eu o abracei ele ficou quietinho e logo adormeceu e deixei ele dormir novamente junto a mim, sei lá não conseguiria dormir com ele no quartinho com só nós dois sozinhos aqui, era estranho, era ruim. Mas pela lei ela não tem mais o direito de pegar Breno, pois ela além de ter largado o filho, ela tem problemas com bebidas alcoólicas e jamais deixarei Breno nas mãos dessa dai.

Dormir um sono maravilhoso com meu pequeno.

 

Sexta-Feira 25.03, Despedida de solteiro.

– Amiga é amanhã cara eu tô super nervosa! — Larissa estava lá em casa, estávamos ajudando com a festa de solteira que iria ser aqui em casa.

– Relaxa muié. — Sorrir. — Vai da tudo certo! Já arrumou suas malas pra amanhã?

– Já sim. — Risos. — Tudo que compramos ta lá.

– Ui, vai ser quente!

– Nossa, o que será quente? — Bruna quase não gritou né?

– Fala baixo guria! — Larissa riu, ficando vermelha.

– Lua de mel Bru. — Ri.

– Hm sei, vai ter é muita coisa. — Bruna riu.

– Gente o que vocês estão achando? — Juliana apontou a decoração que fazia.

– Ótima jujuba. — Sorrir.

– Amiga! — Anne gritou.

– Oi? — A olhei.

– Seu celular. — Ela disse me pasando, estava tocando.

– Obrigado Anne. — Sorrir. — Licença meninas.

Sair pra atender.

– Oi meu amor. — Sorrir.

– Oi minha gata, porque demorou a atender?

– Te um monte de muié aqui em casa. — Ri.

– Eita, o que ta rolando aí?

– Preparativos da festa de solteira da Lala! — Disse.

– Ah é, hoje também tem a do Miguel! — Ele disse. — Vou sair do show direto pra lá com os boizeraa!

– Juízo hein! — Falei.

– É o que eu mais tenho. — Ele riu. — E você também ta?

– Amor só vai ter muié aqui, de homem só vai ter um e maravilhoso e lindo. — Sorrir.

– Como é que é Marina? — Luan disse sério.

– Uai claro que é, cê acha que meu filho não é lindo, maravilhoso e gostoso, ele é sim. — Ri.

– Ah que bom, é só meu filho. — Ele suspirou.

– Claro né idiota, a não ser o cara que vai sair do bolo também né?

– Bolo, que bolo Mari? Ai muié não faz isso comigo!

– Amor tem que ser uma despedida de solteira maravilhosa pra minha amiga, ué.

– Ué digo eu, se tiver homi dentro de bolo eu vou direto pra despedida da Larissa.

– Que pena meu amor, você não irá entrar. — Sorrir.

– Esqueceu que eu tenho a chave?

– Idiota você né amor? — Ri. — Adoro saber que está com ciúmes, não vai ter bolo nenhum.

– Retardada.

– Jumento.

– Idiota.

– Feia.

– Horroroso.

– Gostosa.

– Delícia.

– Minha.

– Meu. — Risos. — Cara eu amo ocê demais da conta.

– Eu também meu amor. — Ele riu. — Cadê meu filho? Ta no quarto dele com Claudinha e Lavínia. — Disse.

– Tô morrendo de saudades de vocês, amanhã tô ai. — Ele disse.

– Venha meu amor, e vamos matar essa saudade. Ah! E amanhã tem uma coisa pra te falar.

– Sobre?

– Amanhã! — Ri. — Um beijo, vou lá ajudar as meninas.

– Um beijo, eu te amo, juízo.

– Você também, te amo. — Desliguei.

 

Então voltei e me sentei com as meninas, terminando de arrumar as coisas já estava quase anoitecendo algumas amigas, primas da Larissa ia chegando, Eu terminava de me arrumar em meu quarto, Breno dormia no quarto junto com Lavínia. Hoje Claudinha ficaria aqui pra ajudar com as crianças, ela se ofereceu e como a gente iria precisar. Então terminei de me arrumar e desci, estava tudo arrumado todos comendo, bebendo champanhe,cumprimentei todas e começamos a conversar. Horas depois começamos várias brincadeiras, pra Larissa adivinhar o que ganhava com os olhos vendados, se errasse tinha uma parte do corpo pintado. Tiramos várias fotos e eu postei uma!

424422_547705328587243_1026502138_n

“Estamos perdendo mais uma, socorro! Despedida de solteira da @larissacarvalho, top demais! @brusantanareal @annesampaio @juuandrde @juanaalcantra  e a galera!”

11072309_10202735377424874_1723364414_n

tumblr_nkjkgjPxz51qkbvx6o1_540

“últimas horas de solteira da minha loira, gente! Minha amiga, irmã, companheira de todas as horas. Só Deus sabe o que passamos, e o que passou em nossa vida. São momentos inesquecíveis, desde quando nascemos tão juntas, e agora Guel te roubou de vez! Haha, meu amor te desejo toda felicidade desse mundo pra vocês, que essa união seja de muito amor, felicidades, carinho e tudo de bom e que além da Lavínia possa vir o Arthurzinho pra gente né? Pois gostamos é de família grande! @larissacarvalho”

Enfim, a noite foi maravilhosa. Fomos até as três da madrugada e as mulheres foram embora. Bruna, Larissa, Jujuba, Juana dormiram aqui. E eu enquanto tentava dormir, Luan postou uma foto dos meninos na despedida do Miguel. Deles se divertindo a legenda era.

“Tem certeza disso meu amigo?? @miguelgarcia ;x “

Esse Luan!

 

Capitulo 106° — Desconhecido

Acordei no outro dia com Larissa me chamando para ir ao shopping mas tarde, eu aceitei. Então acordei Breno já estava acordado também, dei um banho nele me troquei e desci pra cozinha e comecei a tomar café, enquanto Claudia dava mamadeira Breno.  Então depois fui me sentar com Breno na área da piscina pra tomarmos um solzinho bom. Logo meu celular tocou novamente e agora era Luan, ai que saudades do meu menino, mas assim logo cedo me ligando? Era até estranho, assim diz ele que estava morto de saudades, que estava se sentindo sozinho naquele quarto de hotel que queria que eu estivesse lá fazendo companhia. Disse também que sábado estaria de volta para o casamento da Larissa e do Miguel e o batizado da Lavínia. Então ficamos conversando mais ou menos por uma hora ali namorando pelo telefone, ele falando que me ama demais e eu falava que o amava mais ainda. Até que ele disse que ia se arrumar para ir tomar café com o Rober e desligamos. Então também entrei com Breno e nos deitamos lá na sala brincando.

A tarde chegou fui com Breno, Larissa e Lavínia pro shopping, passamos a tarde inteira lá. Fomos comprar coisas pra Lua de Mel de Larissa, compramos Lingerie, depois compramos algumas roupas pra gente e pras crianças. Depois fomos comer no MCVício, hahaha. A tarde foi maravilhosa, só voltamos pra casa às 18:00 horas. Deixando Larissa em casa, voltei com meu menino, e o carro de Bruna estava estacionado na porta de casa, então coloquei o carro na garagem. Peguei meu menino que já estava dormindo, peguei as sacolas e logo veio Claudia me ajudar com as sacolas.

– Bonito, vai ao shopping e nem me convida. — Bruna me olhou.

– Minha gatinha, amor da minha life cê tava no teatro uai. — Ri, abraçando-a com o Breno ainda no colo.

– Eu sei cunha, só estou zoando com você. — Ri. — Acabei de chegar.

– Opa, então vai ficar um tempinho com a gente. — Sorrir.

– Vou sim. — Ela disse. — O dó do neném da titia, dormiu.

– Deve está cansadinho né Bru, queria tanto da um banho nele. — Falei.

– Espera ele acordar amiga, vou colocar ele lá no berço pra você.

– Ta bom Bru. — Ela pegou e subiu com Breninho.

– Mari estou deixando a janta pronta. — Claudia disse. — E amanhã estou aí de volta.

– Ok Claudinha, muito obrigado. — Sorrir. — Alguém ligou?

– Não ninguém. — Ela sorriu. — Precisa de mais alguma coisa? 

– Não Claudinha, já pode ir. — Sorrir. — E até amanhã ta?

– Ok minha linda. — Ela sorriu e foi se arrumar para ir embora.

– Tenho tantas coisas pra te falar. — Bruna apareceu do nado se jogando ao meu lado no sofá.

– Conta amore mio! — Sorrir, cruzando as pernas feito borboletas e me virei pra ela.

– Já tenho um pá pra me acompanhar no casamento sábado, e eu tô meio quase enrolada. — Ela riu.

Hm, quem é? — Perguntei.

– Mateus o seu colega de trabalho. — Ela me olhou.

– Hm então o trem ta sério com Mateus Drumond. — Ri.

– A gente ta indo né? — Risos. — Como a gente já esta saindo há 3 semanas, nos conhecendo e tal, ta indo até bem.

– Boa sorte pra você com o Dr. e te falar, se deu bem hein!

– Ei cuide do seu cantor, que do meu Dr. eu cuido! — Ela riu.

– Idiota! — Abracei.

Então fomos jantar, e continuamos conversando, Bruna me falava do teatro, que não via a hora de fazer as novelas e tudo. 

– Tira uma foto comigo aqui, fazer inveja no luanzin. — Bruna riu.

– Ó dó do seu irmão Bruna, e poxa eu também to com saudades, sua bruxa! — Nós rimos e ela me puxou pra foto.

Tiramos várias fotos e Bruna postou, eu também postei várias. Mas ela disse que tinha que ir, pois tinha que estudar. Então ela foi eu fechei a casa e fui tomar meu banho, vestir meu pijama e fui ao quarto de Breno que preguiçoso acordava, enquanto ele se espreguiçava e acordava fui preparar seu banho quentinho, que logo também vestir nele um pijama. Então desci preparei sua mamadeira e nos deitamos na cama, enquanto eu dava mamadeira a ela o celular tocou, número desconhecido.

– Alô quem é?

– Marina? 

Capítulo 105° — Voltando aos shows

Então lá baixo um carro buzinava, olhei pro Luan e fiz um biquinho.

– Ele não poderia demorar, mais um tiquinho? — O olhei e ele riu.

– Né amor? — Riu. — É mais deixa eu ir trabalhar. — Luan deu um beijo em Breno que o olhava atento. 

– Vamos te levar lá na porta e xingar o tio Robe né filho? Levando o papai de nós. — Ri e peguei Breno na cama, mas Luan o pegou de mim.

Já estava quase anoitecendo, desci junto com o Luan Rober já tocava a campainha.

– Pronto ele ta aqui. — Ri. — Apressado! — O abracei dando um beijo no rosto. — Quer levar meu namorado de mim, e ainda quase estraga a minha campainha, assim ta fácil uai. — Falei rindo.

– Nossa Mari, boa noite pra você também. — Ele riu. — Oi Brenão — Rober brincou com o pequeno.— Borá Luan! 

– Bora macaco, vai levando a mala que já vou.

– 5 minutos! — Rober disse. — Tchau Mari, um beijo.

– Beijo Rob, boa viagem pra vocês. — Sorrir.

– Obrigado. — E então ele foi levando a mala de Luan.

– Amor olha qualquer coisinha ocê me liga tá? — Luan me olhou. — Juro que volto rapidinho.

– Fica tranquilo vai ficar tudo bem. — Sorrir. — Vai pro seus shows antes que eu desista de deixar você ir. — Risos.

– Bobinha. — Me deu um beijo demorado, assim quando estávamos sem ar nos olhamos e demos alguns selinhos. — Eu te amo, fica com Deus, e sonha comigo todas as noites.

– Hm, pode deixar. — Sorrir. — Eu te amo demais, vai com Deus também e bons shows e juízo hein Luan Rafael!

– Meu sobrenome. — Luan riu. — Beijo meninão do pai. —Me entregou Breno. — Qualquer coisa chama minha mãe se precisar sair amor.

– Amanhã Claudinha tá aqui, dia de semana ela me ajudará, vai tranquilo. — Dei mais um selinho nele, e Rober gritou.

– Borá Luan!
– Tô indo Testa. — Luan riu. — Te amo. — E deu outro beijo em mim e no filho, e ele foi, ficamos na porta vendo ele ir, ele entrou na van e da janela ele ainda mandou beijos e acenou, ficamos ali até ele sumir no quarteirão.

– É meu filho, agora é nós dois! — Sorrir e entrei para preparar a mamadeira de Breno, assim que ele mamou acabou dormindo e eu o coloquei na minha cama, e fui tomar meu banho. Coloquei meu pijama e me deitei mexendo no celular. Logo chegou uma mensagem, era Anne e Juliana no grupo.

Ta em casa Mari? (Anne)

Tô meus amor Luan acabou de ir viajar.

Podemos ir ai? (Ju)

Aram, venham!

Breninho ta aí pra eu brincar com ele?

Haha, acabou de mamar e dormir.

Já já tô chegando aí, Di vai comigo. 

Vou com o Vitor! 

Isso mesmo e eu fico de vela, que amigas vocês! kkk, venham logo!

Então resolvi descer com Breno coloquei ele no carrinho o cobrir e me sentei no sofá, enquanto ninguém chegava postei a foto.

tumblr_nf408kgDY51rald1do1_500

“Domingão chegando ao fim, morzão já foi e a saudades ficou! #boanoite “

Alguns minutos depois, a campainha tocou fui atender era Juana, ai que saudades que eu estava.

– Amiga! — Abraçando, sorrir. — Que saudades muié, entra!

– Obrigado Mari, saudades demais! E você faz falta no hospital. — Ela disse.

– Fiquei sabendo que entrou uma nova em meu lugar. — Sorrir. — Deve ser uma boa pessoa.

– Ah não é não! — Ela riu. — Muito metida.

– Ai Ju! — Ri. — Porque muié?

– Ela se acha demais, fica se jogando pra cima do Mateus… mas como você sabe Mateus ta saindo com sua cunhada e tal, e eles tão a cada dia mais próximos. — Juana sorriu.

– Ai que bom né amiga, espero que der certo. E enquanto a moça, um dia cê acostuma com ela. — Ri.

– É quem sabe.. — Rindo. — Esse meninão ta lindo demais.

– Não tá? — Sorrir. — Meu bebezão, um anjinho amiga, só dorme.

– Nem da trabalho né Mari.

– Nada. — Sorrir. — Tô esperando Juliana, Diego, Anne e Vitor tão chegando aí, e você chegou pra mim não ter que segurar vela! — Risos.

– Sua salvação. — Rimos.

Então fui atender a campainha, eram os quatro que chegaram quase gritando, e quase também matei eles.

– Não gritem poxa! — Ri.

– Esquecemos do pequeno, foi mal. — Jujuba disse e me abraçou, logo Anne fez o mesmo.

– Esse guri só dormi? Oxê! — Anne riu.

– O dó do meu menino Anne. — Ri. — Oi Vitor, Oi Di! — Abracei eles. — Entram e fiquem a vontade.

Então todo mundo entrou e cumprimentou a Juana e ficamos ali conversando, Breno quando acordou, Anne foi a primeira a pega-lo era uma necessidade tremenda, risos. Ela ficou com ele brincando que dava sorrisos lindos junto dela. Enquanto eles conversavam na sala fui prepara um suco natural e peguei alguns salgados que tinha no congelador e coloquei para esquentar, depois levei tudo pra sala.

– Amanhã vou pro Rio amiga! — Juliana disse.

– Fazer o que lá Jujuba? — Perguntei.

– Tenho fotos novas pra fazer.

– Opa, sério? Parabéns amiga, depois quero ver todas.

– Tô gostando dessa viagem não sabe… — Diego olhou Juliana.

– Tem que acostumar mesmo Di, vai ser fácil não hein! —nne riu.

– Tô acostumando com nada não— Riu. — Só tô vendo essas ideias doidas ai da Ju.

– Di, para com isso vai. — Ri. — Cê nunca foi assim parça.

– Frescuragem! — Juliana riu e deu um selinho em Diego que apenas riu.

– E vocês dois que estão aí estragando meu filho, mimando ele. — Olhei Anne e Vitor. 

– Eles já querem um neném gente. — Juana riu.

– Nada mulher, ta louca? — Anne riu. — É bom paparicar filhos dos outros, mas o nosso deixa mais pra frente né amor?

– Isso aí, vamos ter um time de futebol.

– Boa sorte amiga! — Ri. 

– Vitor tá pirando! — Anne riu. — Ta louco né amor?

– Falando a verdade. — Ele riu.

– E você Ju, e o namorado? — Perguntei.

– Ta vindo de jegue, um dia ele chega.

– Ta esperando o príncipe encantado né Ju? — Juliana riu.

– Olha demorando desse jeito, ta mais pra sapo do que príncipe Jujuba. — Juana disse rindo.

Ali conversamos bastante com muita zoeira, mas foi ficando bem mais tarde quando deu 21:30 o povo foi embora e eu fui organizar o que tinha ficado bagunçado, Breno estava chorando.

– O que é amor? — O olhei. — O que você quer hein príncipe? — Disse enxugando minhas mãos no pano, e quando fui pra pega-lo, meu celular tocou, peguei o celular era Luan, Breno voltou a chorar, atendi e coloquei no alto falante.

– Oi amor. — Coloquei o celular na mesa.

– Oi amor, porque ele ta chorando?

– Querendo colo amor. — Ri, enquanto pegava Breno. — Ai parou, peguei ele. — Risos.

– Que manha gente. — Ele riu. — Cheguei tem um tempo já aqui amor. — Ele disse.

– Esta no hotel ainda?

– Não, já estou no camarim, vou atender os fãs já já.

– Ah sim amor. — Sorrir.

– Cê ta muito gata na foto que você postou, da vontade de pegar aqueles marmanjos tudo e quebrar a cara de cada um que comenta. — Luan riu.

– Nossa que violento, meu Deus! — Ri, e ia subindo pro quarto de Breno para troca-lo.

– Sou muito. — Ele ria. — E o que cê ta fazendo aí?

– Vou trocar o Breno e depois acho que irei dormir amor. — Ri. — Aqui nessa casa sozinha não tem nada pra fazer.

– Deixa eu voltar que iremos fazer muitas  coisas. — Ele disse safado.

– Que coisas? — Disse fingindo está desentendida.

– Quer  que eu fale. — Ele riu.

– Idiota, então volta logo. — Ri.

– Olha que já volto hoje hein. — Luan deu uma gargalhada. — Amor vou atender a galera aqui, um beijo, te amo.

– Te amo também palhaço, bom show!

– Obrigado meu amor. — Ele então desligou.

Então fui trocar Breno, logo após me deitei na cama e decidir Breno dormir comigo hoje. Então fui dormir, pois o dia tinha sido longo e eu estava muito cansada. Enfim, dormir a noite toda!

Capítulo 104° — Sem me controlar

– Cê ta brincando né? — O olhei.

– Não amor, não estou. Em cada canto do país vou ter um show essa semana, e no último dia é aqui em São Paulo. — Ele disse. — Queria muito que vocês dois fossem comigo, vou sentir falta de vocês. — Ele me abraçou, minha lágrimas desciam pelo rosto. — Vou ligar todos os dias pra você ta bom? E você também, qualquer coisa me liga.

– Ta meu amor, eu só não queria que fosse por tanto tempo. — Falei. — Mas vamos conseguir, já tô com saudades até antes de você ir.

– Mari eu te amo ta bom. — Ele sorriu, segurou meu rosto entre suas mãos e me beijou, um beijo calmo ao mesmo tempo intenso, com desejo e com muito amor.

– Não mais que eu. — Assim que finalizamos o beijo, ele me puxou e nos sentamos na cama perto do Breno. — Quem te trouxe?

– Meu pai, e Rober vem me buscar junto com o Cirilo já já. — Ele falou.

– E onde é o show hoje? — Perguntei.

– Interior de São Paulo, hoje é pertinho. — Ele disse. — Amanhã vou para João Pessoa.

– Tão longe. — Falei e fiz biquinho.

– Assim fica difícil de ir né amor? — Ele me olhou. — Você fica nessa manha toda. — Ele me abraçou sorrindo. — Vou sentir saudades dos meus dois bebês.

– Bobão. — Risos.

Breno começou a resmungar e nós o olhamos.

– Ei nego do pai. — Luan sorriu, brincando com ele.— Papai vai ir, mas logo volta ta? E você rapaz cuida da mamãe pra gente ta? — Rindo, e deu um beijo no filho.

– Luan você comeu antes de sair de casa? — Perguntei.

– E Dona Marizete deixa sair sem comer? — Ele riu.

– E você já não gosta né? — Risos.

– Nossa amor, que injustiça.. me chamando de gordo.

– Não foi isso que eu disse amor. — Rindo.

– Sou um gordinho gostoso, minha filha. — Ele riu, e eu comecei a ter ataque de risos. — Luan cê só fala besteira meu Deus.

– Mas fala que não sou hein, hein! — Ele mordeu os lábios querendo me seduzir.

– Para Luan! — Falei.

– Para com o que muié? Ué!

– Você mordendo esses lábios aí. — Falei rindo.

– Ué, mas quem ta olhando é você.. a carne é fraca é? — Ele riu.

– A carne é fraca, não sou lata o corpo  pede eu vou obedecer. — Cantarolei e ri.

– É meu instinto tudo o que sinto eu vou em busca do que dá prazer. — Ele cantou a música continuando.

– Me deixei leva. — Cantei e ri. — Ta parei, essa música não é de Deus!

– Que isso amor? — Ele riu. — Deixa eu cantar o refrão vai. — Luan me abraçou e em meu ouvido ele cantou. — Sem me controlar, te pego, te abraço, te beijo na boca você se segurando, me diz não ser louca quer ter tudo no seu tempo, tudo num certo momento. — E foi me beijando e já íamos deitando, quase em cima de Breno.

– Luaaan! — Falei com nossos lábios colados ainda, ele me puxou de volta.

– Desculpa amor, é o meu instinto! — Ele riu.

– É né louco! — Dei um tapa nele.

– Bate que eu gosto! — Luan riu.

– Que perverso você está hoje amor, nossa! — Ele ria.

– Você que me deixa assim ué, fazer o que? — Ele me deu mais um selinho e continuou dar atenção o filho, enquanto Luan estava com Breno aproveitei pra descer e pegar alguma coisa pra comer, peguei um pratinho e coloquei o bolo de chocolate e subir novamente comendo.

– Eu quero! — Ele disse.

Me sentei na cama e dei na boca do Luan, e também encostei na do Breno, era linda a caretinha que ele fazia, meu Deus.  E ficamos ali por um tempo namorando e conversando, e Luan nos puxou para uma foto.

images (33)

“Curtindo a familia antes de ir, meus amores. @marianacavalcantti amo você! Já já tem show meus amors, beijo!”

Capítulo 103° — Todos juntos

Breno chorava em seu quarto, fui pra lá.

– Ehh mamãe! — Assim que ele escutou minha voz ele parou de chorar, ainda nem tinha me visto. — Bom dia amorzinho, mamãe chegou. — Sorrir, alisei seu rostinho. — Vamos descer e preparar uma mamadeira gostosa pro neném vamos? — Sorrir, ele sorriu, peguei ele troquei sua fralda e descemos pra cozinha, lá preparei sua mamadeira e ele mamou ela todinha.  Logo também tomei o meu café, enquanto olhava o celular. Chegou uma mensagem.

Bom dia coisa mais linda da minha vida, tô com saudade. Ta melhor? Me preocupei a noite toda com você amor.

Bom dia meu amor, acordei bem sim. Ótima, alias! Que tal vocês virem almoçar aqui hoje? 

Opa, tô indo! haha. Vou avisar o povo.

Ta bom, te amo!

Então coloquei o celular para carregar e subir para da um banho em Breno, preparei o banho e o vestir.

E0FB920120

E desci novamente coloquei Breno no bebê conforto e coloquei em cima da mesa o bebê conforto. Ele acabou adormecendo novamente, bebês assim era bem calminho, mamava e dormia, Breninho é tão bãozinho. 

Enquanto Breno dormia, eu pensava o que fazer de almoço. Então resolvi fazer Carne especial com laranja, um arroz e a salada. Enfim, descido comecei a preparar os ingredientes coloquei tudo sobre a bancada, e lá deixei. Tinha hora que Breno resmungava eu olhava estava apenas dormindo. A hora foi passando e o almoço ia fluindo, a carne que cozinha cheirava toda a cozinha. E tudo estava ficando muito bom, já eram quase meio dia, e a campainha tocou. Fui até a porta, era Luan e sua família.

– Bom dia. — Sorrir. — Entrem fiquem a vontade!

– Oi Mari. — Bruna me abraçou. — Hmm, que cheiro maravilhoso!

– Haha, irá comer uma coisa que eu meio que inventei Bru! — Risos. — Oi Amarildo, Marizete. — Abracei eles.

– Tudo bem querida? 

– Tudo ótimo. — Sorrir. 

Luan vinha logo atrás com seus óculos de sol, e girando o boné na cabeça e  na  outra mão girando a chave do carro, veio até a porta sorrindo, com um olhar safado. 

– Bom dia gostosa. — Ele disse baixinho em meu ouvido, me deu um beijo.

– Bom dia amor. — Sorrir. — Entra e deixa eu ir olhar  minhas panelas no fogo.

– Cadê meu fio? — Luan veio atrás com seus pais e Bruna.

– Em cima da mesa. — Disse.

– Oi? Como assim muié? — Luan se assustou.

Eu ri com a cara que ele fez.

– No bebê conforto né Luan. — Ri.

– Esse Pi! — Bruna riu.

Luan entrou na cozinha e logo foi pegar o filho e se sentou na cadeira que tinha ali, Bruna ficou também paparicando Breno junto com Amarildo.

– Quer alguma ajuda Marina?

– Não sogra. — Sorrir. — Ta tudo  certo aqui, hoje vocês só vão comer. — Os olhei. — Nada de ajudas!

– Então ta. — Ela sorriu. — E a noite como foi hoje?

– Bem tranquila Mari, graças a Deus. — Falei. — Com Breno no berço sem medo de esmaga-lo. — Ri. — Tudo certo.

– Imagina esmagar esse pequenino? — Amarildo disse.

– Nem quero imaginar. — Risos. — Deus me livre!

Então enquanto eu terminava o almoço eles iam conversando comigo, fiz também uma sobremesa e  em questão de quase uma hora a comida estava pronta. Havia ficado assim.

a65e1b653404c823c1baccec58045ce4

O cheiro estava bom, o gosto divino! Coloquei a mesa, preparei um maravilhoso suco natural de Laranja e nos sentamos.

– Enfim, gente vocês podem almoçar.  — Sorrir.  — Espero que gostem.

 – Tenho a certeza que vamos adorar!  — Bruna sorriu.

Então como já se passava quase de três horas que Breno havia mamado, peguei mais uma mamadeira e dei ele, enquanto eles almoçavam e falaram que o almoço estava muito bom.

– Muié do céu, casa comigo!?  — Luan o palhaço como sempre.

– Besta!  — Ri.

– Casa que vou pra casa de vocês todos os dias da semana comer.  — Bruna disse.

– Gente eu cozinho só as vezes, quem faz mais comida aqui é Claudia.  — Disse.

– Por causa que você também nem almoça em casa né Mari?  — Sogra disse.

– Exatamente.  — Disse colocando Breno no bebê conforto, e me servi.  — Então ela prepara quase sempre uma janta, mas só quando eu peço mesmo. Nem sempre janto. 

– Uai porque? — Amarildo olhou. 

– O que cê acha pai? Medo de engordar, um dia o vento arrasta ela.  — Ele me olhou.

– Luan idiota.  — Ri.  — Nem é, as vezes só lancho mesmo, como uma fruta ou algo assim. Mas quando quero comer comida, não a nada que me sustente a não ser…

– E o vício do MC? 

– Continua.  — Sorrir.

– Ela me fez ir com ela no MC só pra comer, se eu não tivesse ido… Sei lá viu!

– Nem é assim Lu.  — Risos.  — Não como tanto como antes Bru.

– Também não faz bem né Marina, trocar a janta pelo MC.  — Sogra me olhou.

– Certamente não, mas as vezes é inevitável.  — Rimos.

Então, continuamos nossa conversa durante o nosso almoço. Gente nem eu me lembrava o quanto boa eu era na cozinha, há tanto tempo não cozinhava. Por morar sozinha, opto mais por uma macarrão ou até mesmo miojo,bem mais fácil! Então depois do almoço, Bruna e sogra me ajudavam na cozinha arrumando e limpando as coisas. Luan e seu pai viam TV na sala e Breno estava com Luan.

– Gente também preparei uma sobremesa pra vocês.  — Sorrir.

– Eita que amanhã vou ter que correr muito na esteira!  — Bruna disse, rindo.

– Boba, olha ai Mari vê se Bruna precisa disso?  — Falei olhando Marizete.

– Essa Bruna é louquinha Marina, ninguém entende.

– Nossa gente, amo vocês.  — Bruna ria.

Então terminando de limpar a cozinha, eu peguei as sobremesas na geladeira que estavam assim, bolo com sorvete e morango. 

download (12)

– Que maravilha!  — Bruna disse já comendo.

– O que essa gorda ta comendo aí?  — Luan apareceu.  

– Sobremesa que Mari, fez só pra mim Pi.  — Bruna riu.

– Vai mesmo, quando cê sair rolando cê vai ver…  — Luan riu.

– Idiota.  — Ela disse.

– Aqui amor o seu;.  — O entreguei e peguei o da sogra e do Amarildo que Marizete levou. 

Então fomos todos para sala e peguei Breno em meu colo, coloquei um pouquinho de chocolate na boca dele, ele fez uma careta. Meu Deus, nós rimos. Então enquanto seus pais e Luan viam TV e Breno dormia, aproveitei pra conversar com Bruna, que logo tiramos uma foto.

269346_332318146845742_1328330416_n

“Hoje o almoço foi na casa da @marinacavalcantti, se eu ficar aqui mais um pouquinho vou sair rolando!!! Heeeelp! hahaha”

Então eles ficaram a tarde toda aqui em casa, quando deu umas 16:30 Bruna disse que tinha encontro com Mateus, e seus pais também iriam em um jantar de negócios. Luan também iria ter show, mas disse que antes de ir pro show voltava pra cá. Então ele foi e eu fiquei esperando sua volta, fui pro meu quarto com Breninho e tirei uma foto.

tumblr_mohy1eDyyA1rzs2lno1_500

“Presente mais lindo que Deus nos deu. Meu principizinho, eu amo você.”

Em questão de uma hora mais ou menos.

– Amooor!  — Luan gritava lá em baixo.

Eu continuei em silêncio para não acordar Breno que dormia do meu lado. Então Luan logo apareceu no quarto, sorrindo lindo, de banho tomado, cabelos penteados, cheiroso e gostoso!

– Oi Lu.  — Sorrir.

– Olha, tenho uma coisa pra te contar..

– Ihh, o que é?  — Ajeitei Breno na cama e me levantei.

– Só te disse que ficarei fora por duas semanas.

Na hora em que ele disse isso, meus olhos lacrimejaram.