Capítulo 90° — Organizando

— Bom dia Helena! — Isaura sorriu ao nos ver, desci com o Theo assim que tomei um banho e também dei um banho nele.

— Bom dia Isa! — sorrir. 

— Bom dia principezinho. — ela sorriu alisando o rosto do meu bebê.

— A babá chegou? — perguntei, e a campainha tocou.

— Deve ser ela! — ela sorriu. — vou abrir.

— Por favor Isa. — sorrir, me sentando na mesa para tomar café da manhã.

Era a babá Emanuella que ao nos ver sorriu.

— Bom dia Dra. Helena. — ela disse.

— Bom dia Emanuella, tudo bem? — sorrir. — pode me chamar só de Helena mesmo. senta e toma um café com a gente.

— Não muito obrigado, acabo de vir da padaria do condomínio. — ela sorriu. — Esse é o Theo. — ela disse com a voz doce e alisou o rostinho dele, que levou a mãozinha na mão dela.

— Sim esse é o Theo nosso bebê. — sorrir.

— Posso segurá-lo é bom que você toma seu café.

— Sim, claro. Ele acabou de mamar.

— Sim, tomarei cuidado. —ela disse enquanto pegava meu bebê e se sentou na cadeira.

— Bom Emanuella, hoje vamos ficar por aqui mesmo irei te observar durante essa semana. E bom a noite você só fica se eu precisar sair ou algo parecido, vou tomar meu café e te levar no quarto do Theo, mostrar onde fica  as coisas, pra você não ficar tão perdida. — Sorrir.

— Ótimo. Ele é tão amável!

— Ele é sim, não dar trabalho nenhum. — ouvir a campainha tocar outra vez.

— Eu atendo Lê. — Isa disse.

— EU CHEGUEI! — Léo chegou como sempre chegava fazendo a festa.

— O Luan ta dormindo não grita, ou! — ri.

— Ah esqueci que o patrão ta em casa hoje. — ele riu. — Olá Emanuella, oi amorzinho do tio! — ele beijou o rosto de Emanuella e a cabeça do Theo.

— Olá, é Léo né? — ela sorriu gentilmente.

— Isso! — ele sorriu. — Parece que Theo gostou de você.

— E isso é muito bom né?— ela disse olhando nós dois e em seguida pro Theo.

— Tome café Léo. — falei.

— Ah eu quero mesmo.

— Que dia que você não quer! — Luan descia as escadas rindo. — Por que você chega na casa das pessoas de madrugada gritando?

— Bom dia Luan, que bom você estar em casa. — ele riu. — temos coisas demais para ser resolvidas.

— Bom dia. — Luan disse ao chegar próximo da gente me deu um selinho.

Emanuella ficou sem graça ao ver que Luan desceu, aliás, ela ainda não tinha sido apresentada ao Luan. Todas as pessoas que não o conhecia pessoalmente quando o via o nervosismo tomava conta. Eu entendo ela. Quando atendi o Luan pela primeira vez naquele hospital, não sei o que passou pela minha cabeça, não imaginaria estar com ele hoje, não mesmo. 

— Bom dia amor. — sorrir. — deixa eu te apresentar a Emanuella, que irá nos ajudar com o Theo.

— Emanuella tudo bom? Prazer! — ele sorriu abraçando-a e dando um beijo no rosto dela. — espero que goste de trabalhar com a gente!

— O prazer é meu Luan! — ela sorriu ainsa sem graça. — espero passar no teste!

Nós sorrimos Luan brincou com o Theo e se sentou ao meu lado para tomar café.

— Então quer dizer que deu a louca em você Luan. — ele e Luan riram.

— Ué Léo fiz certo não fiz? 

— Claro, só nos pegou de surpresa! — ele riu. — Aliás temos que olhar o vestido essa semana Helena.

— Sim o mias rápido possível, que eu nem sei se terá que fazer.

— Faça o mais lindo do jeito que você quiser. — Luan sorriu.

— Helena será a noiva mais linda do desse mundo, aguarde Luanzin! — Léo disse.

Bom eles tomaram café e Luan conversava com Emanuella sobre o Theo, ele queria saber das experiências dela e tudo certinho. Quem via aquele Luan super sério nem imaginaria que é o mesmo que passa horas tentando irritar, fazendo gracinhas. Depois de passar algumas instruções, peguei o Theo e fui mostrar a casa para ela, mostrei cada cantinho para que quando necessitarmos da ajuda ela realizar com facilidade. Fomos ao quarto do Theo mostrei onde fica cada acessório, roupas, sapatos, os cremes, fraldas tudo que ela fosse precisar para cuidar do Theo.

— Bom posso te chamar de Manu? — perguntei.

— Claro. — ela sorriu. 

— Ótimo Manu, faremos assim e qualquer dúvida me chame ou se quiser algo fique á vontade!

— Obrigado Helena.

Ela estava se esforçando o máximo trocou as fraldas, cuidou. Depois de amamentar o Theo ele dormiu e eu o deixei no berço, ela disse que iria até a cozinha para perguntar das roupas a Isaura. Todos tinham gostado dela, e ela estava se dando bem por ser o primeiro dia dela. Logo após o almoço me sentei no sofá com Léo e Luan e começamos a pesquisar por ideias de convites, era um mais lindo que o outro e os dois tentavam me ajudar escolher. Até que falei mais ou menos como queria meu convite e Léo disse:

— Deixa eu desenhar, acho melhor e levamos na gráfica pode ser? — ele me olhou.

— Ótimo! 

Então foi o que fizemos e saiu do jeitinho que eu queria.

— Os padrinhos? —ele me olhou.

— São três pra cada né? —Luan olhou pensando. — Bom os meus serão Bruna e Breno, Caio e Larissa, Rober e Cecília.

— E os seus Helena?

— Ai, não sei!— ri. — Vamos lá, você e o Rafa, Lisa e Cauã, Thomas e Laura.

— Ah eu amei! — ele disse sorrindo. — obrigado. Olha como ficou, gostaram?

— Ficou show! — Luan disse.

— Que tal umas cores mais rústicas? — olhei os dois.

— Olha é bom hein! 

Resolvemos as cores que seria compostas no convite e estava pronto, dei ideia de antes de entregar o convite para os padrinhos entregaria uma caixinha com a cor da gravata dos meninos que cada um usaria e para as meninas uma pulseira para que usassem no dia. Um convite para ser os padrinhos e madrinhas.

— Adorei a ideia!

— Vocês são criativos. — Emanuella sorriu.

— A gente tenta. — ri.

— Pra quem estava desesperada ontem. — Luan riu.

— Ué né Luan! Você não me deu escolha.

Bom o restante do dia foi tranquilo Léo me ajudou com algumas coisinhas pro Bazar que já é semana que vem. Tínhamos que ir no local amanhã começar a arrumar tudo e isso tudo em uma hora, pois era o tempo que Theo iria estar dormindo. Vida de mamãe! Era muita coisa acumulada meu Deus! Luan a tarde foi para o estúdio resolver umas coisas com o Dudu, mas isso foi após Rober subir para tomar um café e encher o saco. Mentira! Rober era um amor, mas as vezes, rs.

Durante o dia acompanhei o primeiro dia com o Léo a babá, ela estava se saindo muito bem. O único problema para ela era só quando o Luan estava em casa, tínhamos reparado nisso. Quando deu umas seis e meia ela deu um banho no Theo e eu o amamentei, logo ela se sentou na sala com ele.

— Tem certeza que você pode ficar por mais um tempo? — perguntei.

— Claro Helena. — ela sorriu. — estou livre!

— Ótimo! Semana bem cheia, juro que não é sempre assim.

— Não mesmo. — Léo disse rindo.

A campainha tocou e chegaram todas juntas Marizete, Bruna, Larissa, mãe, Lisa e Cecília. Elas entraram todas animadas para ajudar, apresentei elas a Emanuella que ficou um pouco sem jeito, mas logo se acostumou. 

— Já se adaptando Emanuella? — Bruna perguntou.

— Hm..— ela pensou sorrindo olhando de mim para Theo. — por ser o meu primeiro dia, acho que sim.

— Isso é ótimo. — Larissa sorriu. — e então no que começamos?

— Vestido! — Léo disse. — Passei num ateliê que tem vestidos maravilhosos e quem faz os vestidos é a estilista Camila Chain é perfeita pra noiva super detalhista que aliás, sabemos que você é Helena! Além do estilo elegante dos vestidos, ela é preocupada com os mínimos detalhes, como o forro do vestido e tudo! Passei nessa ateliê e são lindos!

— Deixa eu ver a revista! — Pedi.

— Os convites? — Marizete perguntou. 

— Léo mandou pra gráfica ontem mesmo. — sorrir. — ficou lindo gente, nós mesmo criamos.

— Deixa eu ver. — Bruna pediu.

Enquanto Léo mostrava á elas o convite, estava apreciando os vestidos um mais lindo que o outro. 

— Eu preciso ir nesse Ateliê! — disse.

— E nós vamos. — Léo disse.

— Decoração filha? — minha mãe olhou. 

— Ai mãe queria algo mais simples, mas algo muito bonito. Flores brancas, copo de leite talvez? — olhei para elas.

— Helena decoração da festa e igreja deixa comigo e sua mãe. — Marizete sorriu. — pode ser Amélia?

— Pode! — ela sorriu. — Confia na gente!

— Sempre. — sorrir.

— O que será servido na festa? — Bruna perguntou e a porta se abriu.

— Pensei no Paris6. — Luan disse ao passar pela porta com Rober. — Tem pratos maravilhosos, salgadinhos, sobremesas. Quanta mulher nessa casa, mamusca! — Lascou um beijo na bochecha da mãe abraçando-a.

— Oi meu filho, tudo bem? — ela o abraçou.

— Bem demais. Oi sogra! — ele foi puxar o saco da minha mãe como sempre fazia.

— Oi meu genro querido, deu a louca? — ela riu. — Amei viu?

— Ô sogrinha tô loco pra casar logo com essa muié! — Luan riu.

— Oi gente boa noite! — Rober sorriu.

Depois de cumprimentar os meninos Luan pegou o telefone  e ligou para Isaac Azar para conversar com ele, escutei Luan dizendo para que ele mandasse os nomes dos pratos no e-mail para que pudéssemos escolher alguns. 

 

Anúncios