Capítulo 118° — Acontece

Julie On.

Por causa do que houve na escola hoje nossos pais está indo pra escola com a gente. Meu pai foi o caminho todo dizendo ninguém mexe com a princesinha do papai. Eu ria, pois ele fazia isso só pra nos fazer rir mesmo, não é por nada não, mas eu sei que o melhor pai do mundo é meu, sempre foi.

— Papai, posso te pedir uma coisinha só? — ele me olhou ao parar no sinal e concordou. — Só não fica falando isso na escola. — referir ao princesinha de papai. — pois eu e o Theo já somos considerados filhinhos de papai e mamãe nessa escola, muitos nos odeiam só por isso. — ri.

— E por que vocês nunca falaram isso pra gente? Mudaríamos vocês de escola. — minha mãe falou.

— Mãe vocês sabem que pra qualquer escola que a gente for, será assim. — Theo falou. — Pois somos os filhos de Luan Santana e Helena Mitchell. São milhares de cochichos quando chegamos a escola, reparem só.

Julie OF.

Luan sempre me dizia que o medo dele quando tivesse filhos fossem esses. E ele só me lançou um olhar e eu o entendi, ele estava chateado, mas nós sabíamos que isso iria sim acontecer. Só alisei sua mão que estava em cima da perna e dei um sorriso.

— Vocês querem que eu entre com vocês ou somente a mãe de vocês? — Luan parou o carro em frente a escola.

— Você vai descer sem o Well? — Julie perguntou. — Não é arriscado?

— Não, não é. — ele falou.

— Certeza? — o olhei. 

Ele apenas concordou e colocou seu boné e um óculos de sol, as crianças desceram do carro e eu logo em seguida, Luan também desceu e segurou minha mão. E na nossa frente as crianças, realmente todos comentavam e reparavam, mas o Luan Santana estava ali.

Luan On.

Ninguém veio pra cima pegou celular para tirar foto, mas éramos a atração ali no corredor da entrada. Assim que chegamos na diretoria da escola a diretora nos recebeu e nos pediu para entrar em sua sala. Então ela começou a falar o que aconteceu e como ela ficou sabendo. Disse também que entendia a raiva de Theo, mas que ele nunca havia tido uma confusão tão grande na escola.

— Mas queremos saber o que houve com o garoto que estava bulindo com a Julie?

— Ele tomou uma advertência Luan, e está por fora das salas por três dias.

Luan Of.

— Lúcia nós sabemos que eles sempre vão ser alvos, mas confiamos na escola. Eu saio pra trabalhar, Luan também e o mínimo que queremos quando eles chegam em casa é que não voltem machucados. Theo nunca foi disso, mas ele foi proteger a irmã,mas eu disse  à ele que de forma errada. — olhei Theo. — Só que eles me falam que sempre são zoados por várias coisas, bom eu no mínimo espero que isso se resolva. —falei.

— Helena você pode ficar tranquila, tudo irá se acertar! Theo e Julie são dois alunos exemplares, Theo como vocês sabem é presidente do clube do ensino médio notas sempre altas.

— Eu agradeço e peço desculpas Lúcia pelo acontecido. — sorrir.

— Theo e Julie podem ir pra sala, os professores deixaram vocês entrar.

— Ok, tchau mãe, tchau pai. — Theo disse e saiu.

— Tchau mamãe. — julie abraçou e beijou o pai. — Tchau papai.

— Boa aula. — falei.

— Lúcia os desempenhos deles está tudo certo? — Luan perguntou.

— Sim Luan está, como eu disse seus filhos são ótimos alunos, educados e é somente notas boas.— ela sorriu.

— Ótimo! — sorrimos. 

— Qualquer coisa vocês podem estar ligando pra gente. — Lúcia disse.

— Obrigado.


Nos levantamos para ir embora e o pátio da escola já estava vazio, pois estavam todos em horário de aula. Saímos e logo estávamos dentro do carro.

— Ai Helena me sinto tão culpado. — ele disse cabisbaixo.

— Luan isso não é culpa sua. — disse. — você sabe que iria ser assim, já preparamos as crianças pra isso. — segurei sua mão que estava na perna, sorrir para confortá-lo. — as crianças ama você, como elas mesmo dizem é o melhor pai do mundo, e isso não acontece somente com os nossos filhos Luan, não mesmo. 

— Mas você viu como todos olham pra eles e comentam?

— Com sua irmã com certeza não foi diferente. — sorrir. — ei, olha pra mim. — disse enquanto ele já estacionava em frente de casa. — isso é normal ta bom? Nós pagamos a melhor escola para eles, a filha do Fernando estuda lá também e ele já falou que acontece o mesmo. 

— Tudo bem. — ele sorriu fraco.

Entramos em casa e fomos tomar café mais tranquilos, já que antes de sair apenas tomei uma xícara de café, ao Julie gritar feito louca dizendo que estava atrasada para a prova. Tomamos café da manhã tranquilos.

 

Julie On.

— Juuu, pensei que você não iria vir depois do que aconteceu ontem com o Matheus. — Giovanna minha melhor amiga disse. — pensei em passar na porta da sua casa, mas meu pai estava atrasado pro trabalho. 

— Gio eu vir com os meus pais, eles vieram conversar com a Lúcia.

— Os dois?

— Ahãm. — disse. — O Matheus ta suspenso por três dias.

— Cara seu irmão acabou com ele. —  João Miguel disse.

— Ér… — suspirei, o assunto na escola era só esse. A professora entrou na sala e começou a aula.

— Formem grupo de quatro pessoas. — ela disse.

Então juntei com Giovanna, João Miguel e Benício, e prestamos atenção no que a professora explicava.

Julie Of.

Dois dias depois…

— Só peço juízo pros dois, por favor! — disse antes de sair para o aeroporto. — A Isa está autorizada a arrancar as orelhas se precisar! A avó de vocês depois vem também ver vocês.

— Mãe relaxa é só uma semana. — ele riu.

— Uma semana que sei lá que estrago vocês podem fazer. Você são filhos do Luan meu amor e são iguais. 

Luan gritou. 

— EII! — e riu.

— Theo sabe aqueles filmes os pais viajam e fazemos uma festa de arromba, nuu! — Julie riu.

— Vai mesmo, tô até vendo já. — ri. — vem da um beijo na mãe de vocês anda!

— Mamis relaxa só a Gio vem dormir aqui comigo, que eu chamei. — ela disse me abraçando. — curta demais a viagem de vocês para descansar, pois merecem.

— E eu vou chamar a Laura. 

— Oi?

— Mãe ela é minha namorada! — ele me abraçou e me beijou na testa como sempre fazia, ele já estava maior que eu.

— Vocês são duas crianças! 

— Amor deixa esses meninos, vamo embora. — Luan riu. — Parem de atormentar a mãe de vocês anda.

— Ô meu véi sem mais criança para essa casa beleza? — Theo disse rindo.— não da mais.

— Vocês sabem que se eu quiser gêmeos eu vou ter né? Não me irritem! — disse rindo. — Tchau Isa.

— Eu também topo Helena. — Luan riu.

— Deus me dibre! — Julie disse fazendo todos rirem.

— Tchau Isa. 

— Tchau casal vão com Deus. — ela disse. — descansem e aproveitem muito. 

— Obrigado Isa. 

Fomos direto pro aeroporto com o Well que nos levou. Chegando lá pegamos o jatinho mesmo. E estamos indo para Jericoacoara. Dessa vez seria no Brasil mesmo, mas em um dos lugares mais lindos do mundo.

— Uma semana só pra nós. — ele me beijou. — como era antes.

— Isso é maravilhoso. — sorrir. 

 

Anúncios

Capítulo 117° — Protegendo

Eles amavam zoar com a cara do pai, aliás não perdiam uma se quer! Nos sentamos na cozinha e tomávamos um suco natural que Isa acabara de fazer pra gente. 

Me sentei conversando com eles, e postei uma foto.

“Ás vezes eu e o @luansantana nos perguntamos. Por quanto tempo dormimos? Gente é inacreditável que Julie já tem seus 12 anos  Theo seus 16 anos. E eu me sinto honrada de ser mãe de duas crianças incríveis (eles vão me xingar kkk). Hoje percebi que o tempo passa, passa tão rápido que mal percebemos, e é por isso que estou escrevendo, reservo um tempo para pensar e voltar atrás. Eu só tenho a agradecer, pela minha família que Deus tanto me abençoa. E só tenho a amar vocês meus bens mais preciosos. Nunca se esqueçam que vocês podem contar comigo pro que precisarem. Eu amo vocês! @theomsantana @juliemsantana”

 

A campainha tocou e Julie foi abrir.

 Oi tio Rober, tudo bem? — ela sorriu.

— Oi Juju estou sim e você?

— Estou ótima, entra!

— Não da tempo avisa seus pais que já chegamos. — ele sorriu.

— Ótimo! Pai, mãe o tio Rober chegou vamos? — ela pegou o celular e a bolsa.

— Vamos! Com Deus Isa!

— Vão com ele também.

Chegamos na porta da van lá estavam Nandinho e Lisa dentro da van, entrei cumprimentando todos e me sentei no canto, Julie do meu lado e Luan do dela.

— Oi Ju! — Lisa sorriu.

— Oi tia Lisa, tudo bem? Oi Nando!

— Estou sim, cada dia mais linda! — Lisa disse e Julie corou de vergonha.

— Oi Juju! — Nando disse e sorriu.

Enquanto Luan ia conversando com Rober e Wellington fui conversando com Lisa. Paramos na casa da namoradinha do Theo, era muito linda e educada. Se sentou ao lado dele e é claro que Rober e Well não poderiam deixar de zoar o Theo, aliás eles carregaram essas crianças no colo. Ao chegarmos no local do show descemos e dentro do camarim eu fui oficialmente apresentada à minha nora.

— Mãe essa é a Laura, amor essa é a Helena minha mãe. — sorriu.

— Oi Laura é um prazer te conhecer. — sorrir abraçando-a. 

— O prazer é todo meu Helena, Theo me diz só coisas boa da senhora e do Luan! — ela sorriu.

— Ah é muito bom ouvir isso. — risos, olhei Theo. — Torço por vocês.

— Ela é só um pouquinho ciumenta Laura, mas é tranquilo. — Luan zoou com a nora. — Prazer conhecer você, é bom saber que meu garoto tá namorando.

— Ô pai tá bom né? — ele riu. — Tio Rober a pulseira da gente, por favor, antes que meu pai comece. 

Todos no camarim riram, e eu apenas ri e me sentei no sofá ali do camarim.

— Mãe vou pro camarote com a Laura, me manda mensagem qualquer coisa. — ele disse.

— Ok Theo, cuidado hein! — disse.

Fernando sentado ao lado da mãe e Julie ao meu lado. Resolvi ajudar, é claro!

— Por que vocês dois não vão dar uma volta, só não ir muito longe? — olhei pra Nandinho e Julie. 

Ela me deu uma cutucada e eu ri.

— Vão mesmo, só ter cuidado e não vão lá pra fora.

— Vamos andar então Nandinho. — Julie sorriu ele também.

— Vamos Ju.

— Você sabia que as crianças estão apaixonadas? — olhei Lisa.

— Quem? Nandinho e Ju?

— É!

— Não eu sempre sou a última a saber das coisas Helena. — ri.

— Pois é miga estão, ela me disse que gosta dele e bom parece que ele o mesmo. — sorrir. — fico feliz por ser o Nandinho.

— Quem diria não? — ela disse. — Que tal irmos pro camarote também?

— Vamos.

— Onde? — Luan me olhou.

— Curtir o Dj! — ri. — vou pro camarote com a Lisa.

— Minha mãe chegou lá agora.

— Ótimo vou ficar com eles. — dei um selinho. — bom show. 

— Obrigado Lê, cadê Ju?

— Com Nandinho. — ri.

— Como que pode? — ele cruzou os braços. — é Rober esse filho seu pegando minha princesinha, oiá oiá!

— Como é? — Rober riu. — é sério isso?

— É, mas… 

Julie e Fernando entrou no camarim.

— Mãe estamos subindo pro camarote.

— Espera filha, vamos com vocês.

— Quem disse que seria fácil, quem? — Rober riu.

— Quem? — ri. — bom show meu amor.

— Obrigado minha linda.

Saímos do camarim e fomos pro camarote junto com as crianças. Onde curtimos o show do Luan, que continuava lotando arenas, exposições, rodeios. Muitas fãs realmente cumpriram o pra sempre com você. Breno e Laura estavam na frente no camarote algumas garotas mexiam com ele, era galã igual o pai sempre foi, dali de longe reparava a Laura o reempreendendo. Quando o show acabou era hora de irmos e resolvemos passar no Paris6 para jantarmos. 

….

Hoje estávamos comemorando hoje mais um ano juntos. E todos esses anos junto com o Luan foi mágico, foi de muito amor, companheirismo. Um pai incrível, amigo, parceiro de todas as horas. E hoje era início das minhas férias e Luan estava de folga.

— Ô mãe a gente não pode ficar aqui?

— Theo só se a Isa ficasse com vocês. 

— Não vejo problema nenhum. — ela sorriu.

— Mãe quando vocês voltarem da lua de mel de vocês. — julia revirou os olhos rindo. — tragam presente ta?

— Ah claro Ju não irei esquecer! Isa então você sabe qualquer coisa pode puxar orelha, dos dois!

— Sabe que eu puxo quando é necessário Helena, mas essas crianças são uns anjinhos.

— Anjinhos? Uhum. — Eu disse.

— Ei mãe! — ele riu.

— Mãe pelo amor de Deus eu não quero mais irmãos já basta o Theo, então por favor!

— Ah sua pirralha, eu quem nasci primeiro não vem não. — Ele retrucou.

Ela riu.

— Ô porque vocês dois não vão logo pra aula de vocês hein? — eu disse rindo. 

— Porque hoje é o dia do papai levar e ele não levantou até agora.

— Então vamos peguem o material de vocês. — disse me levantando e peguei a chave do carro. — E vamos. Isa, volto já!

— Ok Helena!

— Tchau Isa. — eles disseram.

— Tchau crianças até mais tarde.

 Ao deixar eles na escola, voltei pra casa e Luan estava saindo. 

— Posso saber onde vai? — sorrir. — bom dia. — o beijei.

— Bom dia minha linda, dormiu bem? Feliz mais um ano pra nós meu amor, que Deus continue nos abençoando muito. — ele me abraçou e me beijou outra vez.

— Dormi. Feliz mais um ano amorzinho, você sabe o quanto eu amo isso em você em lembrar dos pequenos detalhes. Eu te amo. — sorrir. 

— Eu que te amo. — ele segurou minha mão e beijou. — respondendo sua pergunta, vou correr vamos?

—Hm.. — pensei. — tenho que arrumar nossas malas.

— Vamos correr um pouquinho comigo, quando chegarmos tomamos um banho e te ajudo com as malas.

— Ok.

Então entrei para me trocar e depois fomos correr juntos. Luan sempre corria pelas manhãs quando estava em casa, e eu quando podia acompanha-lo eu também iria. Depois de quase uma hora de muito exercício, voltamos para casa e um banho delicioso de banheira tomamos. 

Enquanto me vestia no clouset e Luan no dele ele falava sobre como o tempo passou, e os filhos cresceram que ele não estava conseguindo acompanhar. E eu realmente concordei com ele.

— Pra você ter noção nem ir pra casa dos avós eles querem mais. — ri. — A Isa irá ficar com eles.

— Mas ela poderá ficar com eles?

— O que a Isa nega para as crianças Luan?

— Verdade, nem pra mim ela nega. — ele riu.

— Bobo. — dei um beijinho e comecei a separar as coisas para viagem. — separa sua coisas e pega as malas que estão aí do lado. 

— Ta bom.

Então o resto da manhã fiquei por conta das malas para a viagem. Como era apenas uma semana não levaria tanta coisa a não ser o necessário, pois compraria lá também. Já a mala do Luan ele colocou bastante coisa, ele deixou tudo para arrumar, enquanto foi buscar nossos filhos na escola para almoçarmos. Ao terminar a minha comecei a do Luan, o bom que as roupas já estavam tudo dobradas fui só ajeitando as roupas dele.

Logo mais ouvir vozes eles haviam chegado, mas escutei Theo nervoso subindo as escadas discutindo com alguém. Sair do quarto e quando olhei Theo tinha um machucado na boca, o que tinha acontecido?

— O que houve? — perguntei sem entender o motivo de toda gritaria, olhei pro Luan que não estava nada contente e Julie chorava.

— Um babaca mexendo com a Julie! — ele ainda disse alterado e nervoso. 

Ela me abraçou forte.

— Gente vem com mais calma. — ia andando pro meu quarto. — me expliquem o porque o Theo ta machucado, e você Julie alguém te machucou filha?

— Não mãe. — ela soluçava. — O Theo me ajudou, ai tudo saiu fora de controle. O menino estava me chamando de nomes ridículos, e eu fiquei nervosa e bati na cara dele e ele veio com tudo pra cima de mim, se o Theo não aparecesse ele tinha sei lá feito o quê.

Theo estava sentado na minha cama e me olhou.

— Sei que você sempre me pediu pra não arrumar confusão, mas mãe quando eu vi eu não gostei. 

— Filho você fez certo sim em proteger sua irmã, mas vamos começar a tentar resolver as coisas sem violência. — pedi. — olha sua boca Theo sangrando.

— Mas ele também não saiu andando não. — ele sorriu e o Luan riu também, olhei os dois séria.

— Amor ele protegeu a Julie, fez certíssimo!

— Não Luan você sabe que certo não foi. — disse. — Vão se arrumar para almoçarmos anda. 

— Mãe me desculpa ta? — Theo me abraçou e beijou minha testa.

— Tudo bem. — disse. 

Luan saiu junto do quarto com o Theo.

— E você Ju, tá tudo bem mesmo? Não se machucou?

— Não mãe, eu só não queria ficar com o menino que estava forçando a barra. — ela disse tristinha. — desculpa.

— Você quer que eu vou à escola antes e ir viajar?

— Sim mandaram um bilhete pedindo que você ou o papai vá amanhã. — ela disse pegando na mochila. 

— Ok. Vai tomar seu banho te espero pra almoçar.

Ela saiu e logo Luan entrou.

— Theo nunca foi de briga Luan. — disse.

— Helena o menino estava levantando a mão para bater na Julie, é de tirar do sério mesmo. — ele falou. — amanhã vamos na escola, vem vamos descer.

— Ok.

Desci junto com o Luan e ele se sentou na sala, e Isa veio me perguntar o que houve. Expliquei para ela toda a confusão, e em questão de minutos estava tudo pronto, ela já colocava a mesa do almoço. 

Theo On.

— Princesa. — Entrei no quarto da minha irmã, ela penteava seus longos cabelos. — Desculpa ta quando gritei com você dentro do carro, eu só estava muito nervoso. — a abracei.

— Eu sei Theo, eu te desculpo e te agradeço. Se você não tivesse ali eu nem sei o que teria acontecido, aquele Matheus é ridículo. — ela falou. — vamos descer.

— Vamos.

Nós descemos e o papai estava sentado na sala nos sentamos com ele para poder conversar.

— Vem almoçar gente. — minha mãe chamou.

O almoço foi muito bom, pois havia um tempo que não conseguíamos estar todos juntos. Ou é a mamãe no hospital e meu pai na estrada ou outra coisa. 

Theo Of.