Capítulo 56 — Reunião

– Que foi Luan? — Ele me olhou.

– Porque você coloca esses trem difíceis de tirar? — Ele me olhou sério, eu cair na risada.

– Olha eu tiro pra você. — Ri e tirei jogando no chão. Ele olhou meus seios com um sorriso safado, e depois olhou pra mim.

– Aí muié assim meu coração, não aguenta!

Mordi seus lábios puxando o inferior e depois fui até seu ouvido e sussurrei.

– Hoje sou sua!

Bastou dizer isso! Luan me agarrou me dando um beijo de tirar o fôlego, minhas mãos percorriam pelas suas costas, eu o arranha de tanto prazer. Sua mão em minha nuca entre meus cabelos, dando leve puxões. Com a outra bem de leve tirava minha única pesa íntima, eu fiz o mesmo tirando aquela cueca branca, que já estava me enlouquecendo.

Logo estávamos nos amando loucamente, como dois loucos apaixonados. Luan como sempre carinhoso, mas ao mesmo tempo sem cuidado nenhum, seus beijos quentes, ardentes fazendo que eu pudesse deseja-lo, mais e mais. Suas mãos tocando sempre nos lugares certos, tirando em mim vários gemidos de prazer, que nos fazia querer um ao outro mais e mais. Tentávamos fazer o máximo de silêncio possível, a cama seguia nossos movimentos… A noite foi maravilhosa, extremamente uma loucura, como se fosse a primeira vez.

 

Um mês depois..

Os serviços na Equipe estavam cada dia aumentando mais e mais. Eu fazendo de tudo pra que tudo desse o mais certo possível! Muitas reuniões, preparações da divulgação do novo trabalho do Luan um CD. Que havia músicas maravilhosas, foi um CD acústico que ainda será lançado esse mês de Dezembro. Nesse mês que passou Bruna oficializou o namoro com o Breno, da dupla Breno e Caio César.. Tudo com muita correria por causa do recesso do natal, trabalhos na equipe, cuidando da minha pequena em primeiro lugar, que já estava com 1 ano e dois meses. Enorme. Linda demais! Ela agora estava formando frases, e ampliara bem seu vocabulário.  Já corria pela casa inteira Hoje teríamos reunião na central então resolvi ficar mesmo na casa dos sogros. Estávamos todos na mesa almoçando, Clara na cadeira maior dela ao meu lado e do Luan, já observava todos comendo e também pegava a colher e comia, algumas bagunças? Muitas! Mas faz parte.

– Amor! — Luan sorriu.

– Oi Lu? — Tomei um pouco do suco.

– Tenho uma novidade pra você, quer dizer pra vocês! — Ele olhou todos.

– Fala Luan! — Bruna riu.

– Calma Piroca! — E sorriu. — Eu marquei a data do casamento.

– Ah meu Deus. — Sogra disse. — Pra quando meu filho?

– Daqui a três meses Março. — Ele me olhou. — Tudo bem pra você?

– Tudo ótimo! — Sorrir. — Só temos mesmo é que organizar tudo. — Limpei a boquinha da Clara e as mãozinhas. Peguei um copo dela e dei pra ela segurar, e ela tomava o suco.

– Já escolhi o meu padrinho e minha madrinha. — Luan disse.

– Quem? — O olhei.

– O Arthur e a Bia. — Ele sorriu.

– Meus amigos! — Sorrir. —  Ótimo meus padrinhos serão Bruna e Breno!

– Opa!! — Bruna me abraçou.  — Obrigado!

– Nada Bru! — Sorrir.

– E a pequena a porta aliança? — Sogro me olhou.

– Com certeza! — Sorrimos. —Minha pequena entrando na igreja, né Clara? — Ela sorria.

– Hoje a pequena vai ficar com a vovó, enquanto a mamãe vai pra reunião. Né meu amor? — Sogra sorriu.

Ela estendeu os braços pra Marizete, que pegou ela. Eu e Bruna tiramos a mesa e lavamos as louças, arrumamos a cozinha. Peguei a sobremesa, creme de abacate e levamos pra eles. Comemos, estava uma delícia! Luan simplesmente amou. Rs’.

 

Terminando fomos tomar um banho para irmos a reunião. Luan foi primeiro, separei a roupa dele. E depois ele se vestiu.

179886

Sair do banheiro já vestida.

lookwhite2

Peguei minhas coisas e Luan me esperava na sala, brincava com a Clara correndo pra lá e pra cá. Feito duas crianças, quer dizer ele feito criança, uhaushsua.

– Vamos Lu?  — Olhei eles.

– Bora amor. — Pegou Clara. — Tchau lindona do papai, olha daqui a pouco tô de volta ta? — Luan encheu ela de beijos.

– Tchau papã. — Ela sorriu.

– Tchau princesa da mamãe, te vejo mais tarde. — Dei um beijo em sua cabeça. — Beijo Mari, beijo Bru. Até mais tarde!

– Até! — Elas falaram.

– Bora pai!? — Luan chamou sogro.

– Bora gente!

Saímos e entramos no carro, Luan e seu pai foi conversando durante todo trajeto e eu organizando algumas coisas das reuniões. Em minutos chegamos na Central, logo entramos e todos já nos esperava na sala de reunião. A reunião foi falada sobre as divulgações do novo CD, dos recessos, do show da virada. E de tudo relacionado aos shows. Reunião durou umas três horas e meia. Depois voltamos pra casa. Clara dormia, Bruna estava dormindo também. E sogra via televisão, nos sentamos na sala e ficamos conversando por algum tempo. Depois ouvir Clara chorar, subir e peguei ela que estava suando pelo calor que estava fazendo, dei um banho rápido nela só pra refrescar e voltamos pra sala, pra brincarmos. Eu e sogra conversávamos sobre o casamento, como seria e tal. Luan queria que o casamento fosse em um lugar aberto, ao ar livre. Então achamos rancho, eu queria casar na igreja mas tudo bem! Também fizemos a listas dos convidados. E assim passamos o resto do dia.

Depois do jantar fomos dormir no dia seguinte Luan teria um show em Goiânia a tarde. E teríamos que sair um pouco mais cedo. Durante a noite escutava Clara da uns resmunguices, acordei pra ver o que era. Ela estava um pouco quente, só poderia ser febre. Pra febre passar dei um banho nela e depois uns remédios que eu tinha ali pra ela. Ela demorou a voltar a dormir com muita dificuldade conseguir. E pudi voltar a dormir, preocupada com minha pequena.

No outro dia, acordei mais cedo que todos e fui arrumar as coisas minhas e do Luan. Quando terminei, fui ao quarto da minha pequena e ela estava bem melhor que a noite passada. Já não estava com mais febre. Voltei pro quarto e tomei um banho e vestir um short jeans, com uma regata rosa bebê, rasteirinhas nos pés. Clara já estava acordada dei um outro banho nela e a vestir.

Ana Livia - 8 Meses

Luan logo após acordou e vestir uma camisa branca, calça jeans, All Star nos pés, e um boné. Tomamos café com todos, logo depois chegou Rober e Well. E fomos a caminho do aeroporto, quando chegamos lá…

Capítulo 56 — Pedido

Clara vinha andando lá dos palcos. Gabriela foi pra pega-la. Eu pedi pra deixar, a peguei no colo e sorrir. As fãs gritavam pela Clara e ela sorria, toda feliz.

– Eita filha, até você quer está perto é princesa? —  Deu um beijo em Clara. —  Então Lice, escute bem essa letra. —  Ele sorriu e começou.

Com você quero estar seu jeito sincero, tudo é certo e assim eu espero. Temos muito que viver, nós dois juntos, sem temer. Ninguém vai poder nos impedir e eu vou te mostrar… vamos nos encontrar ficar sempre juntos, vamos nos encontrar viver nossos sonhos. Tenho muito pra dizer, (Pra dizer) — Nas partes entre parênteses a Marla e Kari cantavam como segunda voz. —  Tanta coisa a aprender e eu vou te mostrar. Ontem eu não dormi pensando em seu jeito, e hoje eu percebi qual foi meu defeito. Só te peço por favor, eu sei que existe o amor, não me faça ter que te esperar não vou aguentar. Eu te entendo e me defendo agora (E todo mundo vai saber o que aconteceu) Não te impeço, só te peço agora (O seu sorriso ainda é só meu) e se você achar que ainda é tempo… — Luan sorriu me olhando sorrindo, e eu chorava, a letra da música era linda. E ele tinha feito pra mim, mais uma! Era uma felicidade imensa. Ele fechou os olhos. — (É quase de manhã e ainda não dormi) Vamos nos encontrar, (Fiquei lembrando do teu olhar) ficar sempre juntos (E a gente sempre dará certo). Vamos nos encontrar (Ainda vou poder sonhar) viver nossos sonhos (Com você…) tenho muito pra dizer (Com você…) tanta coisa a aprender e eu vou te mostrar… — Luan tirou na hora uma caixinha do bolso. Com um anel maravilhoso, ele me olhou sorrindo, eu enxugava minhas lágrimas. Todos estavam emocionados, Vi abaixado em nossa frente o Rober filmando tudo ao vivo pras fãs, e ele também chorava. Voltei a olhar o Luan.

(Essa música não é do Luan amores, essa música é da banda Scracho! Maravilhosa ela, mas mudei algumas palavras, mas se depois quiserem escutar a original, é só procurar. “Seu sorriso é meu – Scracho.)

– Alice meu amor, como diz na música. Temos que viver nós dois juntos, sem temer, ninguém vai nos impedir e eu vou te mostrar, vamos viver nossa história, nossos sonhos juntos, eu quero acordar todos os dias e a primeira coisa que eu quero ver é teu sorriso. Mozinha eu te amo muito e você sabe, todos aqui sabe! Todos dessa Equipe maravilhosa, sabia o que iria acontecer aqui hoje, as meninas que ganharam a promoção também! — Eu olhei elas e elas sorriram. — E é com isso tudo e com a ajuda de todos que eu te pergunto. Você aceita se casar comigo? — Ele sorria de uma forma tão intensa, eu lia o sorriso dele. Era uma felicidade que eu não via há tempos.

Eu sorrir, as lágrimas ainda percorriam pela minha face. Todos gritavam aceita, aceita! Respirei fundo.

– Cara é tudo muito lindo, perfeito! Sem palavras pra descrever isso tudo! Eu quero construir nossos sonhos, quero viver nossa história sempre juntos, com nossos filhos que teremos pela frente! Quero isso tudo e mais um pouco, porque está ao seu lado, pra mim nada mais importa! — Eu olhava Luan e ele segurava as lágrimas. — Como você mesmo diz moor, ” O verbo amar se conjuga em todos os tempos, e o nosso tempo é hoje! “. E é nesse tempo que eu quero tudo com você, tudo o que você quiser! Sim eu aceito me casar com você Luan Rafael! — Todos gritavam Beija beija!  Apenas obedecemos! Era como se fosse o primeiro beijo, quente, intenso, com muito amor. Paramos e nos olhamos sorrindo. Vi que nessa hora Rober tirou uma foto, certeza que ficou linda. Clara em nosso meio, demos juntos um beijo na cabecinha dela e depois mais um selinho. Ele pediu minha mão e colocou o anel, Rober tirou mais algumas fotos.

– Te amo, te amo, te amo, te amo Alice! — Luan sorriu. — Obrigado por tudo!

– Eu que amo você meu amor, e eu que agradeço por tudo isso aqui hoje! E tudo o que já fez por mim! — Sorrir.

– Lindooooooos! — Marla gritou!

Eu sorrir pra ela. E depois pro Luan dei um selinho nele. E nos levantamos , todos aplaudiram! Sair do palco e continuaram o show.

– E meninas sapecas! — Eu ri. — Sabia de tudo hein!

– Opa! Foi lindo, parabéns Lice! — Larissa sorriu. — Sei que vocês vão ser muito felizes, e que você vai fazer nosso anjo feliz!

– Eu que agradeço vocês viu? — Sorri, dando um abraço coletivo. Rober nos olhos.

– Foto de vocês! — Paramos pra foto. Peguei minha câmera e Luan cantava a última música já! Com as fãs ainda emocionadas. Curtiram o resto do show e Luan se despediu, agradecendo a todos!

Saímos na frente do Luan conversando, rindo. Pedi que todos fossem pro camarim quando voltarmos. Quando entrei estava Bruna,Bia, Marizete, Amarido, Arthur.

– Obaaa! Temos casamento! — Bruna gritou e me abraçou.

– Boba! — Eu ri. — Que bom que vocês vieram! — Abracei todos. — Bem que o Luan disse que todos sabiam!

– Claro né muié, tem que tramar tudo direitinho.

Rimos e as meninas da promoção foram conhecer os sogros e a Bruna. Depois de todos ali reunidos no camarim, passei Clara pra vovó Marizete. E comecei.

– Olha gente eu quero agradecer vocês do fundo do meu coração, muito obrigado! Primeiramente pela amizade que temos aqui nessa equipe um pelo o outro. Sabemos que podemos confiar em cada um aqui. Quero agradecer ao Lu por mais uma música que é linda, eu amei cada verso, cada palavra cantada, eu simplesmente amei! Quero agradecer a Marla que sempre, sempre que precisamos de algo ela ta com a gente, pelo carinho que todos tem com a nossa filha. — Sorrir. — Aos meus amigos que vieram de Florianópolis e já sabiam de tudo. — Eu ri. — Aos meus sogros por depositarem essa confiança que tem em mim, a Bruna minha cunhada, amiga que sempre que preciso ou até mesmo quando não preciso ta por perto! E se eu vou ficar aqui falando, falando, nunca vou terminar. — Rimos. — Então muito obrigado a todos vocês, as meninas da promoção, foi muito, muito bom conhecer vocês que são uns amores,  amei trabalhar com vocês nesse dia! Me desculpe por ser um pouco chata as vezes ta? Mas aqui todos sabem como realmente é a Alice! — Eu ri. — Então é isso, obrigado a todos!

Todos aplaudiram. Juntamos todos ali e pedi que um segurança que estava na porta do camarim tirasse pra gente, passei minha câmera e meu celular.

– Awn essa minha nora é nota 1000! — Amarildo sorriu.

– Ahhh gente que isso! Vocês que são! — Sorrir.

 

No hotel..

– Hoje eu sou seu meu bem! — Luan cantava.  — No quarto tinha um berço coloquei Clarinha que já dormia. E Luan me puxou de uma vez só! — Vem, se entrega inteira fica comigo, vem hoje sou seu, meu bem.

– Nossa! Que isso?

– Isso é amor! — Ele me deu uma juntada.  — O resto é conversa!

Já foi beijando o meu pescoço, tirando minha blusa, eu tirando sua camisa, depois de ficarmos só com roupas intimas. Luan me jogou na cama sem dó, e subiu por cima de mim. Quando foi pra tirar meu Sutiã…

– Porra Lice! — Ele disse.

O olhei. Oo

Capítulo 55 — O grande Show.

Eu reconheci pela voz, mas só acreditei quando vi.

– Arthur, Bia? — Eu sorrir.

– Nós ué! — Eles disseram.

– Vieram pro show? — Perguntei e ele se sentaram.

– Sim! Chegaram nossos ingressos! — Bia sorriu. — Ei Clarinha.

– E cadê o Luan? — Arthur brincava com Clara em meu colo.

– Em um jantar com as fãs que ganharam a promoção. — Sorrir.

– E por que não foi amiga? — Bia me olhou.

– Preferir deixa ele um pouco com as fãs né Bia. — Sorrir. — É o memento delas!

– Ótimo que horas vai pro show?

– Esperando o Rob! Olha ele lá! — Me levantei. — Vamos?

– Borá!

– E ai Bia, Arthur! — Ele cumprimentou eles.

– Oi Rober! — Eles disseram.

– Vamos então Rob! Já era pra mim estar lá. — Ri.

– Verdade eu tinha me esquecido, que tinha que vim buscar vocês.

– É desse jeito que são os amigos, estão vendo né? — Eu olhei Bia e Arthur.

– Que isso Lice! — Rober riu e entramos no carro.

Fomos conversando rindo um monte. Chegando no Citibank Hall eles foram pro camarote e eu fui com Clara pro palco, já com minha câmera. Fotografei os fãs. Depois de mais ou menos meia hora Luan chegou junto com as meninas. Então fui pro camarim.

– Oi amor. — Dei um selinho. — Oi meninas! — Sorrir. — E aí gostaram do jantar?

– Oi mor. — Ele sorriu. — O trem foi bão demais.

– Ótimo! — Elas falaram em coro.

– Então agora vocês vão pro camarim de vocês, vestem o figurino! A Marla está lá pra ajudar vocês. — Sorrir. — E depois que o Lu atender os fãs, vocês voltam pra cá? Ok!

– Ok Lice! — Gabi sorriu. — Mas antes queremos uma foto com você, Luan e Clarinha. — Ela sorriu.

– Opa! — Sorrir. — Agora meninas.

– Oba!

– Guto, tira pra gente! — Passei meu celular e a câmera pra ele.

Ele tirou as fotos e saiu junto com as meninas. Luan foi se arrumando pra atender os fãs e a imprensa e foi me contando do jantar. Eu postei a foto.

Com as neguinhas da promoção, já já tem elas cantando com o @luansantana! Depois posto vídeos pra vocês!”

– Moor! — Luan me chamou.

– Oi amor?

– Me ajuda aqui, arruma essa camisa. — Ele veio e se agachou perto de mim. Enquanto eu arrumava. — Princesa do papai, você comeu papa? comeu? é? — Falava com uma voz fofa.

– Papã. — E dava alguns gritos.

– Eita! — Eu ri. — Você hein filha!

– Hoje tem uma coisinha pra ser feita no show, pra você! — Ele sorriu. — Pedi ajuda as negas.

– O que é?

– Surpresa! — Ele me deu um selinho rápido, antes de eu pedi pra contar. — E não vou falar.

– Ok! Não irei insistir! — Sorrir. — Vou chamar a imprensa. Beijo.

– Beijo gostosa!

– Olha os modos garoto! — Eu tentei ficar séria, mas com a cara que ele fez foi impossível. Sair rindo do camarim.

Chamei a imprensa fizeram muitas perguntas. Depois os fãs entrou e eu com o meu trabalho tirei as fotos. Depois de mais ou menos uma hora, as meninas voltaram e tiraram fotos com Luan. As roupa que Marla havia escolhido pro figurino era Short jeans, camisas e amarrada na barriga, salto nos pés. Estavam todas lindas! E elas estavam realmente muito feliz por estarem ali hoje realizando sonhos que muitas fãs, sonham um dia em realizar também. Hora do show, fomos todos pro palco.

– Bom show Luu! Arrasa morzão.

– Sempre! — Ele me deu um selinho, deu um beijo na filha. E cumprimentou a galera ali e correu pro elevador.

Deixei Clara com uma das meninas que ficaram todas ali do lado do palco, junto com o Gutão, Márcio.  Fui tirar as fotos, Luan entrou cantando Cê Topa! A galera ia a loucura, as Paulistas estavam realmente muito animadas! Depois de algumas músicas cantandas, Larissa e Júlia foram chamadas no palco.

– Amores estão aqui hoje quatro neguinhas minhas. — Luan sorriu. — Essa é a Larissa e a Júlia! As outras já já vem! Elas vão cantar comigo, são as ganhadoras da promoção. Vamos lá então meninas?

– Bora Luan! Ai! Não tá fácil. Mas borá! — Ela olhou pra Marla e depois pra banda.

– Então é assim! — Luan começou. — Uuuuuh uuuuuuuh, Mesmo que você não caia na minha cantada, mesmo que você…

Estava lindo pedir que Rober tirasse as fotos eu filmava. Cara ficou lindo demais os três cantando juntos, elas realmente se soltaram. Falaram que estavam com vergonhas, mas foi perfeito. Terminando a música.

– Uma salva de palmas pra Larissa e pra Júlia aé!! — Ele Batia palmas. E abraçou as meninas. — Foi lindimais! Parabéns viu negas! — Elas agradeceram, fizeram um agradecimento a todos da equipe LS.

– E especialmente quero agradecer o Rob e a Lice, que se não fossem ele pra ter essa ideia, a gente não estaria aqui hoje realizando nossos sonhos, uma salva de palmas pra eles. Muito obrigado!

Elas saíram do palco.

– Olha daqui a pouco vão entrar mais duas. — Luan sorriu. — Antes eu quero ver todo mundo tirando o pé do chão aí. Porque O nosso tempo é hoje!

Luan começou a cantar O nosso tempo é hoje, nossa a galera saia do chão, pulavam, cantavam, gritavam. Estava realmente lindo o show.

– Chega pra cá Gabi e Mariana! — Luan chamou elas.

– E aí negas! — Gabi sorriu.

– Então vamos de Te vivo? — Sorriu.

– Borá Luan. — Mariana disse.

– Então cantem assim com a gente ôh! Quando me sinto só te faço mais presente, eu fecho os meus olhos e enxergo a gente…

As meninas cantavam muito bem alias conversando com elas mais cedo. Duas delas estavam com planos em se formar em música. Cantaram e ficou perfeito. Depois elas também agradeceram a todos nós. E foram pro lado do palco.

– Agora neguinhas é um momento muito importante pra mim, e eu sempre quis fazer isso em frente de vocês. Sempre quis que vocês fossem as primeiras a saber de tudo. As meninas que estão ali me ajudaram hoje bastante no que fazer, e sabe é o que eu mais quero nessa vida. Ao longo desse ano tudo mudou em minha vida, e pra melhor! Tudo graças a vocês, e sabe? Eu não canso de dizer nunca que vocês são os melhores fãs desse mundo inteiro. As vezes acho que vocês deveriam estar aqui em cima e eu aí em baixo, aplaudindo vocês! Isso sim! Olha eu conheci essa pessoa 1 ano e nove meses, e essa pessoa ela é tudo pra mim, ela sabe me alegrar quando tudo ta difícil, ela sabe cuidar de mim, ela sabe cuidar de vocês e isso me encanta. Saber que vocês gostam da Alice o quanto ela gosta de vocês! — Eu sorrir e Rober tirou a câmera da minha mão e me empurrou pro meio do palco. — Vem cá mor. — Segurou minhas mãos e me puxou pra sentar perto dele ali no palco. — Li todos aqui sabem o tamanho do meu amor por você, pode ser calculado pelas estrelas, pela grandeza do mar, pelo neverso inteiro, e ainda seria pouco. Temos nossa pequena que a cada dia está mais esperta, não mesmo? — Sorrimos. — Olha amor eu quero que saiba que eu te amo é muito e não pouco, que você é tudo pra mim, aconteceu assim do nada, e se tornou tudo! De um forma tão simples. As vezes me pergunto se realmente mereço você, será que faço de tudo por você? Será que te agrado todos os dias? São essas perguntas que eu faço no dia a dia. E nunca tenho as respostas. Escute bem! — Ele começou a tocar. E cantar.

– Tem dias que eu acordo pensando em você, em fração de segundos vejo o mundo desabar. E aí que cai a ficha que eu não vou te ver… Será que esse vazio um dia vai me abandonar? Tem gente que tem cheiro de rosa, de avelã, tem o perfume doce de toda manhã. Você tem tudo, você tem muito. Muito mais que um dia eu sonhei pra mim. Tem a pureza de um anjo querubim. Eu trocaria tudo, pra te ter aqui! Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo que você quiser. E se você quiser, te dou meu sobrenome! ÔooooÔ — Ele fechou os olhos. Fiquei arrepiada com o “ôôôô”. Ele abriu os olhos e sorriu. — Tem gente que tem cheiro de rosa, de avelã, tem o perfume doce de toda manhã. Você tem tudo, você tem muito. Muito mais que um dia eu sonhei pra mim, tem a pureza de um anjo querubim. Eu trocaria tudo, pra te ter aqui. Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo que você quiser. E se você quiser, te dou meu sobrenome… ôôôo… – Ele fechou os olhos de novo. Cantou de olhos fechados agora. – Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo que você quiser. E se você quiser, te dou meu sobrenome… ôôooôo…

Ele finalizou com um toque no violão e abriu os olhos.

Eu sorria de uma forma inesperada, as fãs que eu via ali choravam, as meninas do lado do palco todos emocionados. A banda inteira, Marla sorrindo pra mim e chorando também. Ele me olhou sorrindo.

– Li eu tenho um pedido pra fazer! — Ele sorriu.

Eu apenas sorrir.

– Claraa! — Luan gritou rindo. Olhei assustada pra trás.

 

Capítulo 54 — Jantar

Eu tinha que ir pro local do show. Antes fui almoçar com o Luan e a Clara. Depois deixando os dois no quarto, me vestir pra ir trabalhar.

– Lu tem certeza, que da conta dela?

– Sim muié pode ir. — Ele me abraçou. — Nós vamos fazer um pouquinho de bagunça agora né, filha? — Luan olhou a Clara ela concordava com a cabeça.

– Mamã. — Estendeu os bracinhos. Peguei ela.

– Mamãe já volta ta princesa. — Dei um beijo nela. — Fica com seu papai.

– Vem cá Clarinha. — Luan pegou ela. Dei um selinho. — Qualquer coisa me liga Lu. — Peguei minhas coisas.

– Ok, beijo te amo.

– Amo vocês! — Sorrir e mandei beijo, saindo do quarto.

Em minutos estava no hall do hotel. Na porta estava cheio de fãs, quando eu ia saindo. Rober entrou com quatro meninas.

– Uai Rob, eu já estava indo pro local do show. — Sorrir.

– Mas vamos agora! — Ele disse. — Essas são as meninas Lice.

– Oi meninas, prazer conhecer vocês viu? — Abracei cada uma. — O nome de vocês é? — Eu as olhei.

– Eu me chamo Larissa, ela Júlia,Gabriela e Mariana.

– Então meninas vocês sabem como vai ser?

– Temos algumas dúvidas. — Ela falaram.

– Já almoçaram? — Eu olhei elas.

– Já sim! — Elas responderam.

– Então fomos pro local do show e vamos conversando, pode ser?

– Ótimo!

Fomos saindo do hotel e as fãs que estavam na porta me abraçava, atendi todas e fui pra van com as meninas.

– Então como eu e o Rober que tivemos essa ideia brilhante. — Eu ri. Ele também riu. — Nós que vamos ajudar vocês em tudo!

Elas riram.

– Vocês brilham! — Mariana riu.

– Opa!! — Rober disse.

– Então meninas, vocês irão jantar com o Luan antes do show. Só vocês e ele, eu não estarei presente. A não ser o Well. — Sorrir. — Depois irão pro show junto com ele e lá fotos no camarim, e quando vocês forem cantar, eu ou o Rob chamaremos vocês.

– Entendido. E o jantar será quantas horas? — Larissa me olhou.

– Será ás oito horas, em ponto! Sem atrasos!

– Ainda mais na parte daquele macaco. — Rob riu.

– Aquele ali deixa comigo.

As meninas riam demais.

– Pior que mulher pra arrumar meninas! — Sorrir. — Mas voltando, e agora como a banda já está lá vocês irão ensaiar pegar tudo direitinho.

– Iremos as quatro cantar juntas com Luan? — Júlia nos perguntou.

– Então Júlia achamos melhor você e a Larissa cantar Te esperando que foi a música que vocês mandaram cantando, e a Gabriela e Mariana cantarem Te vivo, que aquela apresentação que vocês fizeram na porta do hotel. — Sorrir. — Tudo bem assim pra vocês?

– Ótimo! — Gabriela sorriu.

– Vocês já se conheciam antes de se verem hoje? — Rober perguntou.

– Não! Foi hoje que a gente se viu no aero, e viemos conversando. Estamos super nervosas! — Elas sorriram.

– E o Luan super animado pra conhecer vocês hoje! É ou não é Rob?

– Verdade viu meninas! Ele disse hoje mais cedo.

– Ai gente, meu coração! — Larissa falou.

– Fiquem calmas. — Sorrir.

Chegamos no local do show e entreguei pra elas as pulseirinhas.

– Enquanto a galera da banda se prepara, se quiserem me ajudar no camarim, acho que vocês iriam gostar!

– Opa! Bora nosso sonho! — Elas sorriram.

Fomos pro camarim e elas me ajudaram a colocar as coisas nos lugares, arrumar tudo!

– Bem que vocês mandaram bem! — Sorrir. — Borá pro ensaio?

– Borá!

Fomos todas pro palco elas cumprimentaram todos.

– Cadê a Clara? — Marla perguntou.

– Ficou com o Lu no hotel. — Sorrir. — Ele disse que dava conta.

– Quero só vê essa hein!— Rob zoou.

– Pois é! — Eu ri. — Larissa e Júlia primeiro vocês, ajam naturalmente e Marla e Karielle também vão ajudar vocês. — Sorrir.

– Ok!

– Borá então negas! — Marla sorriu. — Vai aí galera.

As meninas começaram o ensaio só a primeira vez saiu ótimo, elas ensaiaram umas dez vezes junto com a banda. Foram ótimas! Depois foi a vez da Gabriela e Mariana que se saíram super bem também, logo depois sentamos todos ali no palco e ficamos conversando.

– Agora saiu ótimo né? — Gabi riu. — Quero ver quando o Luan tiver no palco, e aquela multidão lá em baixo!

Rimos.

– Vai dar tudo certo meninas! — Sorrir. — Podem ter certeza! Mas vamos que já são cinco horas. E Luan deve ta pirando com Clara lá!

– Bora!

Antes eu tirei uma foto das meninas com a banda e depois elas quis uma comigo e Rob tirou. Logo depois fomos pro hotel. Elas foram pro quarto e eu fui pro meu. Entrei bem devagar, e Luan falava com Clara que começava a chorar.

– O Princesa do pai, não chora! — Ele pegou Clara e balançava nos braços. Ele não tinha me visto ainda. — Ô Lice chega logo muié! — Clara olhava ele e chorava. — Oiá princesa, se você ficar caladinha a gente brinca de qualquer coisa. Olha só já comeu, não é fome! Não é a fralda, o que é hein moça?

Eu ria baixinho vendo tudo.

– Filha por favor pequena, oiá xii! Isso quieta, caladinha. — Ela ia se acalmando, do nada era começou a chorar de novo. Eu ria e muito. — Não Clara, filha, menina! Lice meu amor, cadê você?

Eu entrei no quarto e segurei o riso.

– Cheguei! — Fingindo não saber de nada. Clara quando me viu parou de chorar.

– Muié você chegou! Obrigado papai do céu. — Ele riu, e me deu um selinho.

– Tudo certo por aqui? — Olhei eles e peguei Clara.

– Tudo né filha? — Luan olhou ela e eu comecei a rir.

– Ahh é?!

– Sim uai, sou ótimo como babá amor. — Ele riu. — Mas melhor ainda na cama! — Ele piscou e deu um sorriso safado.

– Ô Luan! Idiota. — Eu ri. — Criança no quarto.

– Filha você nem entende, ne? — Ele ria.

– Falo nada com você! Papai te deu algo pra comer pequena?

– Claro uai a mamadeira gostosa, a bananinha amassada que eu pedi o serviço de quarto pra amassar. — Luan riu. — Sou um pai que toda criança sonha ter, viu D. Alice?

– Ou um noivo que toda mulher quer ter, mas só eu tenho. — Eu pisquei.

– Depois eu que provoco! — Luan me agarrou me dando um beijo. Clara batia em nossos rostos de leve.

– Papã, mamã! — Ela ria.

– O que foi sapequinha da mamãe? — Enchi ela de beijinhos. — Suas fãs da promoção são muito fofas! Já fomos ensaiar, me ajudaram no camarim, o ensaio saiu ótimo! E elas devem ta muito nervosa viu?

– Ah amor, que lindas! O jantar você não vai? — Luan me olhou.

– Não! Só você e o Well, estarei esperando vocês no show!

– Ok!

– A noite temos uma coisinha pra resolver. — Ele me olhou.

– Seu bobo! — Taquei o travesseiro nele. — Vou arrumar a Clara. Pode ir tomando banho amor, que horas você marcou com o And, que vocês vão sair daqui?

– Às 19h e meia.

– Vai tomar seu banho, anda.

– Tá bom muié! — Lu me deu um tapinha na bunda -. pegou sua toalha e foi pro banheiro.

– Atrevido! — Eu ri.

Ele olhou da porta e mandou beijos.

Algumas músicas cantadas debaixo do chuveiro depois…

Lu apareceu na porta do quarto, estava pronto, ou melhor, nossa, que lindo! Calça jeans clara apertadinha, camisa azul escuro, omg, deixou os músculos dele apertados, será que estavam bem grandes? Cabelo arrepiado, um perfume, que dava pra sentir de longe! Como estava lindo! Eu o olhei e sorrir.

– Suas fãs vão morrer do coração coitadas!

– Sou gostoso demais, olha só! — Ele levantou a metade da camisa.

– Ai Luan! — Eu ri.

 

Clara estava assim.

970106_369065786528004_811404779_n

Fui tomar meu banho e me vestir.

lookrock

– Nossa amor, pra que isso tudo? — Ele me olhou e me fez da uma voltinha.

– Uai Lu, apenas me vestir normalmente. Oxê!

– Gata, maravilhosa, cheirosa, gostosa! — Ele me deu uma juntada, e me deu um beijo de tirar o fôlego.

Bateram na porta.

– Poxa! Bem agora? — Luan ria.

– Quem é? — Gritei.

– Sou eu Anderson, bora Luan!

– Já vou! — Ele gritou e sussurrou em meu ouvido. — Mas tarde terminamos. — Piscou. — Tchau filha linda do pai, té mais tarde, — Luan deu um beijo na cabeça dela. — Amo vocês!

– Também amamos vocês, bom jantar moor!

– Obrigado! — E saiu.

O Luan foi pro jantar dele e eu desci com Clara pra jantarmos. Me sentei numa mesa e chamei o garçom que trouxe logo. Quando eu terminava de comer.

– Oi, posso sentar?

Capítulo 53 — Guarda

– Visto aqui nesse tribunal o lado dos dois, mãe e pai, além de ouvir todas as testemunhas dos dois lado e os próprios envolvidos nesse momento, priorizando o bom envolvimento dos advogados de ambas as partes, eu Juiz Felipe Santos declaro que a guarda integral da menor Clara Bittencourt Santana ficará a partir de hoje com Alice Bittencourt e Luan Rafael, declaro essa sessão encerrada.

Na mesma hora eu abracei fortemente o Luan. Ele fez o mesmo. Meus pais e os sogros vieram me abraçar, pra mim aquela resposta era tudo! Minha menina iria ficar comigo! Claro que ele nunca poderia ficar com ela.

– Eu te falei meu amor!  — Luan me deu um selinho. — Ela vai continuar com  a gente!

– Pra sempre meu amor, pra sempre! — Eu sorrir.

Do outro lado Fernando me olhava com muito ódio. Ele veio andando e apenas disse.

– Ainda não acabou! — Falou baixo e ia saindo da sala.

Eu o ignorei e fui agradecer muito ao meu pai, ao meu sogro, que me ajudaram nesse mês de muito sofrimento. Foram dias sem comer, dias sem sair de casa. Mas isso tudo havia passado. Também agradeci aos meus amigos, que me ajudaram por cada palavra dita! Mas o que eu realmente queria era poder chegar em casa logo, pra poder abraçar minha filha, a minha pequena! Era só isso, apenas isso!

Chegando em casa, Bruna estava vendo um DVD com a minha pequena. Eu entrei rapidamente e corri pra minha filha, a abracei enchendo-a de beijos, carinhos. Minha princesa.

– Eu te amo princesa da mamãe, eu nunca, nunca irei te deixar! Sempre será eu você e o seu papai Luan, Te amo minha linda! — Sorrir.

– Conseguiu a guarda? — Bruna sorriu. — Já era de se esperar! Eu sabia! — Ela me abraçou.

– Obrigado viu Bru, só eu sei o quanto vocês me deram forças pra continuar lutando por minha filha. Só tenho a agradecer e devo minha vida a vocês, eu amo vocês minha família! — Eu sorrir, e chorava de tanta felicidade.

– Awn minha nora você merece isso e muito mais, você sempre cuidou de sua pequena, não tinha como não continuar com a guarda dela. — Ela me abraçou.

– É verdade minha filha, eu sei o tudo o que você sempre fez pra nossa netinha. E olha é uma ótima mãe, tanto que Clarinha nem desgruda. — Minha mãe sorriu, eu olhei Clara que via o DVD, mexia no cabelo dela.

– Nossa pequena! — Luan sorriu. — Nossa!

– Só nossa! — Eu abracei Lu.

A tarde passou e eu e Luan ficamos brincando o dia inteiro com a Clara fomos, pro quarta de brinquedos dela e espalhamos todos no chão. Pintamos, montamos, brincando a tarde inteira. A vovó Mari preparou pra gente bolo de chocolate, Clara já pequena adorava, minha mãe preparou pães de queijo, comemos. Depois de um banho bem gostoso, depois de uma tarde tão divertida. Bruna e Luan deram ideia de irmos em um circo que estava aqui em Florianópolis. Fomos chegando lá fomos pra área vip, onde não causaria tumulto por causa do Luan. Clara adorou! Foi uma noite de comemoração, pelo que havíamos passado. Voltando pra casa Clara já estava dormindo. Amanhã cedo resolvi que iria com Luan pra São Paulo!

 

No dia seguinte… São Paulo.

– Lii! — Marla estava no hall do hotel. — Fiquei feliz em saber da notícia! Minha afilhada, linda da tia! — Pegou Clara.

– Ahh obrigado, viu Mar? — Sorrir.

– É hoje Lice! — Rob chegou.

– Sim é hoje que é o prêmio das quatro fãs! — Sorrir.— E elas já chegaram?

– Chegaram depois do almoço!

– Opa! — Sorrir. — Quero vê-las! Quando chegarem me avisa.

– Cheguei galera! — Luan entrou com Well atrás.

– E aí macaco! — Rob disse. — Hoje tem o jantar com as fãs hein? E depois cantaram no palco com você.

– É mesmo cara, tô animado pra conhecê-las. — Luan sorriu e me abraçou.

– É tão bom ver vocês assim sorrindo! — Marla nos olhou.

– Ontem nós comemoramos, levamos Clarinha no circo. — Luan falou.

– Sim Mar, precisava ver ! Ela amou.

– Imagino né princesa. — Marla beijou ela. — Olha vou indo pra passagem de som, nos vemos daqui a pouco na gravação do programa da Eliana.

– Ok, beijo! — Falei. — Estamos indo também.

– Hoje o dia ta corrido viu? — Rober falou.

– Então bora! — Luan pegou Clara e entramos todos na van.

Em minutos estávamos na Sbt! Eles foram para passagem de som. Depois de mais ou menos quarenta minutos chegou a hora da entrevista começar. Eu e Clara nos sentamos ali atrás e And estávamos ali atrás do monitor. O produtor chegou.

– O Programa vai começar! Luan Santana primeiro você entra no palco, canta e depois a Eliana chama a Alice ok? — Luan falou que sim e saiu. Eu olhei Luan.

– Me chamar? — Olhei Luan. — Como assim?

– Uai amor, se disse bora nós!

– Meu Deus! — Eu ri. — Vai lá amor, arrasa. — Dei um selinho, e ele deu um beijo na Clara.

– Beijo!

 

– E agora participando com a gente da nossa entrevista, Luan Santana!

– Ahhh!  — Elas gritavam.

– E ai meus amores! — Luan acenou, todo sorridente.

– Oi Luan Santana! Tem um tempo hein, que você não aparece.

– Oi Eliana, é verdade tem um tempo mesmo.. Tudo bem muié? — Ele a abraçou.

– Sim. Então Luan já comece com Tudo o que você quiser. — Ela sorriu.

– Borá uai!

Luan cantou tudo o que você quiser, era lindo! As fãs cantavam juntos, era um coro lindo.

– Então Luan, primeiramente quero saber dos shows como andam? — Ele se sentaram.

– Graças a Deus está sendo ótimos, muito corrido, muitos shows por mês. Mas ta tudo maravilhoso com a nossa nova tour 2015. Muitas músicas novas. Só novidades! — Luan sorriu.

– E os  assédios das fãs? Continua? — Ela riu.

– Luan:Pra falar a verdade eu gosto desse assédio! — Ele riu. — E cada dia que passa aumenta mais, viu Eliana.

– Eu imagino viu! Elas fazem muitas loucuras por você né?

– Luan:Fazem! Eu chego a ficar preocupado com elas, porque dormem em frente hotel, passam noite na chuva. Mas eu amo tudo isso que elas fazem, de maneira alguma não me incomoda! Eu amo esse amor que meus fãs tem por mim, como eu tenho o meu por eles. Eu costumo a dizer que o amor entre um ídolo e uma fã é o mais sincero que possa existir!

– Que lindo! Hein!

– Sim e eu amo!

– E esse novo CD que saiu, é só sucesso hein! Maravilhoso. Foi um sucesso né… está sendo!

– Sim Graças a Deus! Estamos ai conquistando mais um objetivo, mais um sonhos. Fazendo o melhor pros meus fãs, por que tudo que faço é pra eles.

– Mais que merecido Luan! Bora cantar Cê topa?

– Obrigado. Bora!

Então o Luan foi para o palco e começou a cantar Cê topa! E a plateia ia a loucura com as reboladas dele e da Mar. Depois da musica continuou a entrevista.

– Então Luan, você está noivo não é?

– Sim. — Sorriu.

– E você ama ela de verdade?

– Amo demais, viu?  Ela e minha filha são tudo pra mim!

– Ouuunwt! Que fofo né meninas?

– Aaaaaahhh! — Elas gritavam.

– Então pode entrar, noiva de Luan Santana. Alice Bittencourt!

– Oi Eliana, é um prazer! — Sorrir.

– O prazer é meu Alice. Ei coisa fofa! — Clara sorriu pra ela.

Luan pegou Clarinha.

– Me fale como é ser a noiva desse garoto? — Ela sorriu.

– É maravilhoso Eliana, Luan é um homem que toda mulher sonha ter ao seu lado. É carinhoso, é tudo pra mim. — Sorrir. — É um pai maravilhoso Eliana, eu fico indignada!

– Awn meu Deus! Que fofura esse Casal gente!

– Você trabalha é com o Luan mesmo né?

– Sim trabalho com ele na Equipe, estou sempre presente!

Luan soltou Clara e ela foi andando até a Marla. Eu ria.

– Mas que esperta gente! — Eliana riu.

– É muito grudada na madrinha. — Eu sorrir.

– Ela é a madrinha dela?

– Sim a Marla é madrinha dela. — Sorrir.

– E quando vem o casamento, Luan?

– Em breve, não vejo a hora!

– Opa! Vem casamento por aí. — Rimos.

– Foi muito bom Luan ter você aqui com a gente de novo.. Obrigado!

– Eu que agradeço a oportunidade de sempre esta vindo aqui, obrigado Eliana! Beijos pras minhas negas, tchau galera!

– Tchau gente! — Eu acenei.

E saímos dali.

Fomos saindo na porta da Sbt estava cheio de fãs. Luan atendeu elas e depois veio pra van. Meu celular começou a tocar. Eu olhei quem era.

– Alô Rob?

– Eu mesmo Lice, é que preciso da sua ajuda aqui no local do show!

– Ok! Vou deixar Luan e Clara lá e vou pra ir, beijos.

– Beijos!

Fomos para o hotel.

 

Capítulo 52 — Tomada pelas dores

– Não pode ser! — Falei baixinho.

– Disse algo amor?

– Não Lu! — Sorrir. — Já volto. Fica de olho na Clarinha amor.

– Ta vida.  — Dei um selinho no Luan.

Fui pra fora do salão e ele me acompanhou.

– Vim ver minha filha! — Ele disse.

– Ela não é sua filha. — Falei tentando me controlar.

– Ah ela é sim! E não aquele cara que ela chama de pai!

– É mas foi aquele cara que cuidou dela durante esse um ano, e que ela chama de pai. Por favor, não estrague o aniversário da minha filha. Vá embora!

– Não posso vê-lá? — Ele me olhou.

– Não Fernando, não quero! — Eu o olhei. — Vai por favor, não me faça chamar a segurança.

– Ok! Não posso né? Esse papel é pra você, não abra agora! Não quero estragar a festa da minha filha. — Ele me olhou. — Eu te avisei! Adeus. — Ele saiu com muita raiva.

Eu peguei o papel e guardei dentro do meu bolso. Entrei pra dentro, fechei os olhos respirando quando abrir Luan estava bem minha frente.

– Ai que susto! — Eu ri.

– Nem sou feio assim, pra você ta se assustando muié. — Ele me abraçou.

– Não é mesmo, mor. — Sorrir. — Te amo!

– Eu te vivo! — Luan me encheu de beijinhos.

A festa continuou por muitos e muitas horas, foi acabar ás 21:00. Os convidados despediram e foram embora! Eu estava exausta também, pegamos os presentes de Clara e fomos todos pra casa. Chegando dei um banho na Clara e dei uma mamadeira, ela dormiu. Depois de tomar meu banho vestir meu pijama também, Luan também. Lembrei do papel que Fernando havia me dado, me sentei na cama e comecei a abrir o envelope. Quando li, meu coração parecia sair pela boca, não dava pra acreditar!

– Não acredito! Isso não pode ser verdade! — Falei alto demais.

– O que foi amor? O que é isso aí?

– Uma intimação. — Eu comecei a chorar.

– Intimação? Que é isso aí Li? Para de chorar amor! — Luan pegou os papeis das minhas mãos.

– É uma intimação pra me comparecer ao tribunal mês que vem, o Fernando quer a guarda de Clara! NÃAAO, ELE NÃO PODE! — Me alterei.

– Que canalha! — Luan se levantou. — Meu amor eu tô nessa com você, ele não vai pegar nossa menina!

– Por tudo o que ele já fez, não pode mesmo Luu. — Eu chorava com muito ódio.

– Ei princesa! — Luan me abraçou me deitando em seu peitoral. — Vida, ele não vai conseguir! Ok? Vem cá descansar, amanhã conversamos com os nossos pais. E vamos arrumar um advogado. E olha não quero você chorando, tá?

– Ta Lu. — Limpei minhas lágrimas.

Nos deitamos abraçadinhos e Luan cantava bem baixinho pra mim dormir, só que eu não poderia dormir. Era muita coisa na cabeça!

Ele não tem direito de fazer isso com a Lice, ele não vai fazer! Nem que eu tenha que fazer algo, mas nossa filha ele não leva! Minha princesa está tão triste, odeio ver ela assim! Ainda mais por quem não merece nem um prato que come. 

Luan beijou o alto da minha cabeça e continuava a fazer carinhos em meu cabelo.

“Quando será que conseguirei seguir minha vida em frente junto com o Luan e minha pequena? Quando esse cara vai parar de me perseguir, quando ele vai me deixar viver! Nem que eu tenho que mata-lo, ele não vai pegar minha filha! Não vai mesmo, se ele pensa isso, está muito enganado!”

Em meio esses pensamentos fui dormir já eram quase três da manhã.

No outro dia acordei era cedo, Luan não estava na cama. Tomei meu banho e me vestir.

images-10

Passei no quarto da Clara ela não estava escutei os gritinhos dela, vindo lá de baixo.

– Oi gente bom dia! — Sorrir.

– Bom dia cunha! Ta bem? — Ela sorriu.

– É tô. Ei minha pequena. — Dei um beijo na bochecha da minha linda. — Bru cadê o Luan?

– No escritório com seu pai e meu pai.

– OK! Obrigado! — Fui logo pro escritório e entrei.

Eles conversavam pelo o acontecido.

– Pai ele não pode ter a guarda da Clara! — Eu falei.

– Pior que sim minha filha, ele é o pai!

– Não ele não é pai dela! — Eu falei. — Nunca foi! O único pai da Clarinha é o Luan, e ponto!

– Amor pensa com a gente, se quando é um estupro e a mulher tem esse filho o cara pode querer requer a guarda de um filho. Imagina um que é pai biológico. — Luan tentava me acalma.

– Mas gente como minha filha pode ficar nas mãos de um psicopata? Como isso?! Um que já tentou matar um ser humano? Alguém me diz?

– Minha nora se acalma. — Sogro falou. — Olha vamos arrumar um advogado, mas a guarda da pequena Clara ficará com você! Como sempre foi, sua e do Luan! Porque ela contém o sobrenome do meu filho. Ela é uma Santana! — Ele sorriu. — Olha se acalma, eu e o seu pai vamos resolver isso pra você. Fica tranquila!

 – Eu confio em vocês! Sei que não vão me decepcionar.

– Pode ter certeza minha filha!

Pois é não tinha como o domingo, ficar pior! Começou muito bem, que isso! Eu e Luan saímos dali e eu fui tomar café. Logo depois fomos andar pelo condomínio junto com Clara. O sol da manhã estava muito gostoso.

– Me diz! — Luan me olhou. — Quem te entregou aquela intimação?

– Ele mesmo! Ontem na festa da Clara. — Falei.

– Ele estava lá? — Luan ergueu uma sobrancelha. — E você nem me falou?

– Lu eu queria evitar qualquer transtorno no aniversário da nossa menina!

– Poderia ter me avisado pelo menos né?

– Lu! Eu tive medo da sua reação. Eu te conheço bem, sei que quando fica nervoso seu sangue ferve! — O olhei. — E mais eu mandei ele ir, não queria que ele ficasse ali também.

– Ok amor. Tudo bem.

1 mês se passou…

Luan já voltara dos seus shows eu estava em casa resolvendo algumas papeladas da intimação. Luan dava mamadeira pra Clara ao meu lado.  A campainha tocou. Fui atender.

– Senhorita Alice? Aqui está mais está intimação, você deverá comparecer ao tribunal semana que vem. — Um homem de terno me olhara com uns papéis em mãos.

Eu assinei  e o homem se foi, eu estava em transe, deus  ele tivera coragem, fez o que prometeu, o que seria agora, o que iria fazer?Sentei-me ali no sofá e fiquei perdida em pensamentos e entre lagrimas, alguns minutos depois Luan vendo minha preocupação se sentou do meu lado me abraçando. Eu olhava minha filha em seus braços.

– Ele, ele quer tirá-la de mim, ele quer tirar minha filha dos meus braços e não poderei viver sem ela Lu, por favor, me ajuda, não deixa ele tirar a Clara dos meu braços.

Eu chorava muito, meus pais e Luan estavam arrasados por ver desse jeito, me abraçaram e me davam todo apoia, uma palavra de carinho, sempre me ajudando.

Na sala eu chorava muito.

– Alice minha filha, tente ficar calma sim? Não irá ajudar nada em você ficando assim.

– Mãe, a senhora não entende, meu Deus, o quanto sofri com esse cara, e o Fernando quer tira-la de mim, ele não pode fazer isso comigo, não pode fazer isso mãe.

– Ele não vai conseguir, minha filha, não vai!  — Minha mãe me abraçou.

– Estamos com você meu amor. — Luan beijou minha testa.

Subi pro quarto da Clara, junto com ela e me sentei só nós duas ali na poltrona. Ela acabou dormindo no meu colo, dei um beijinho nela e a coloquei no berço. A cobrir e fui pro meu quarto. Me deitei na cama e em meio a tantos pensamentos acabei dormindo, nem esperando Luan.

No outro dia acordei cedo. Eu pedi uns dias na equipe LS eu precisava de um tempo em casa. Eu já não saia de casa, ficava o tempo todo com minha menina. Luan tentava me animar, mas era impossível.  Os dias foram passando…

O grande dia enfim chegou, a Clara ficara com a tia Bruna, pois naquele dia sairia a decisão de quem seria a guarda permanente dela, eu estava muito nervosa e Luan sempre ali do meu lado, fomos para o Fórum na companhia de meu advogado Lucas, meus pais, sogros, e meus amigos que sempre perceberam as mudanças, desde o início. E Fernando na companhia de seu advogado, seus pais e sua irmã.

Ao chegarmos no local, eu estava sentada muito nervosa, Luan trouxe um copo de água pra mim acalmar.

–  Alice, quero que fique muito calma, e quando for a sua vez de responder as perguntas do juiz seja clara e objetiva e o mais importante não fique nervosa e não seja influenciada por provocações ou qualquer coisa que vier da outra parte sim. — Lucas disse.

– Ta Lucas estou muito nervosa, mas sei que vai dar tudo certo.

– Vai sim vidinha, eu sei que vai. — Luan me abraçou. Eu o abracei também.

– Isso vale para os três também viu?— Falando com meus pais e Luan. — Calmos é tudo muito mais fácil.

Conversaram mais um pouco, tomamos um pouco de água e logo em seguida fomos chamados pra  tal sala. Todos já estavam em seus devidos lugares, me sentei do lado do meu advogado e Fernando do outro lado acompanhado de seu advogado, na ponta da mesa estava o juiz e mais algumas pessoas que compunham o júri.

– Começaremos a partir de agora a decidir a guarda da menor. — Ele lia um papel.  Clara Bittencourt Santana, filha de Alice Bittencourt e Fernando Andrade. Peço que o advogado do Fernando comece, mas peço a ambas as partes que não interrompa em momento algum para que a sentença ainda saia hoje conforme o planejado, bom, tem a palavra senhor Fábio.

– Obrigado excelência, bom gostaria de começar aqui, afirmando que antes de tudo, o meu cliente quer apenas o bem da menor, por esse motivo ele decidiu lutar pela sua guarda perante o tribunal.

Eu respirava fundo, com muita raiva.

E começou… Fábio conversou muito, mostrou os pontos positivos de Fernando e como o esperado, os meus negativos, todos estavam ali, ouviam bobos cada palavra dita pelo tal advogado, sim, realmente ele era bom em argumentar, por isso era um dos melhores advogados da área. Chegou o momento dos depoimentos, o primeiro a se pronunciar foi o Fernando, depois Fábio chamou para depor a irmã de dele, em seguida  Luan e depois Bia minha amiga, e por ultimo eu mesma, fazendo-a muitas perguntas, em algumas eu me confundir  em outras fiquei nervosa… Após o interrogatório do advogado de Fernando, foi a vez de Lucas, ele fez um show diante todos, mostrando tudo o que realmente acontecera, falara desde a concepção da Clara até mesmo antes quando Fernando não quis aceita-lá e sim me fez escolher entre eu e ela. Eu estava confiante, como Fábio, Lucas também fez suas perguntas, começando pelos meus amigos Bia,  Nay, depois Arthur, Luan e os meus pais, depois eu e por fim Fernando, após Lucas  se pronunciar, era a vez do Juiz, ele mais uma vez fez perguntas a todos, começando com Luan e terminando por fim comigo, Juiz já tinha a sentenças em mãos.

Minutos depois o juiz volta, todos ficam de pé esperando o veredito, Luan pedi que ele ficasse ao meu lado, o juiz então começou a ler um papel, por certo daria o veredito agora.

– Como disse no inicio Alice e Fernando brigam pela guarda da menor Clara… Vejam bem, quero que fique claro aqui para todos e principalmente para os pais da menina, o que irei dizer aqui é exclusivamente para o bem estar da menina, não apenas o bem estar espiritual como amor, afeto, carinho, mas todos sabemos que uma criança não vive apenas disso, ela precisa de boa alimentação, de um plano de saúde de qualidade de uma boa educação, então aqui, em minhas mãos está o futuro da menina, e quando me refiro a um bom futuro, não quer dizer que estou dizendo que ela não ficando com um ou com outro queira dizer que ela não será bem cuidada que não será amada, apenas quero que fique claro, que meu foco é o bem estar da criança. Bom, vamos a minha decisão…

Minhas pernas bambeavam. Meu coração acelerado, minhas lágrimas saíam facilmente.

Capítulo 51 — Festa!

– Quem mandou esse monte de presentes? — Falei olhando, era muitos brinquedos.

– As fãs do Luan entregaram tudo lá na porta do condomínio. — Bruna me olhou.

– Mas gente quantos presentes!

– Minhas neguinhas são lindas demais! — Luan falou e descemos a escada.

– O que é isso aqui? — Sogra entrava junto com meus pais e o sogro.

– As fãs mandaram pra Clarinha, gente! — Luan sorriu. — Tem brinquedos pra brincar por muito tempo!

– É e você não precisa enche-lá mais de presentes. — Falei.

– Ah  isso aí não! Claro que vou dar minha menina, muito e muitos presentes. — Luan riu.

– Vou te falar viu! — Ri.

 

Eu arrumava Clara que ficou linda demais, a vestir.

free--shipment-yellow-flowers-short-sleeve-baby-dress-MOQ-4pcs

Estava igual uma princesa. Eu também me vestir.

look

Luan estava todo lindo.

img-572473-luan-santana20131214181387052257

Luan arrumava o cabelo faltavam quinze pras cinco.

– Amor borá! Seu cabelo ta impecável, mas temos que ir.

– Eita mor, calma muié.

– Os convidados já devem está chegando, bora anda! Só falta nós três, o povo já foi!

– Filha sua mamãe é muito apressada né, pequena? — Luan pegou Clara em meu colo rindo.

– Você que fica aí pior que mulher nesse espelho. — Ri pegando meu celular.

– Fica calada! — Ele riu e me agarrou, caímos os três na cama. Luan quase esmagou a Clarinha. Ela soltou uma risada deliciosa.

– Luan! Seu gordo. — Rimos. — Levanta.

– Gordo, vou te mostrar quem é gordo mais tarde. — Ele ria e saiu do quarto.

– Como? — Eu ri.

– Me aguarde! — Ele deu uma risada sarcástica. Me deu medo. uhsauha’

– Meu Deus, que absurdo! — Eu ri.

Entramos no carro e fomos pro local da festa estávamos atrasados! Chegando Bruna esperava a gente na porta.

– Pensei que não iam vim! — Ela riu.

– O Luan!   — Eu falei.

– Sempre é eu! — Ele riu.

– Papã!

– Viu amor até a Clarinha disse que foi você! — Rimos. — Linda da mamãe.

– Mam… maãm.. mamã! — Ela tentava repetir.

– Ai meu Deus!! Sim filha mamãe, te amo coisa linda! — Sorri e dei um beijo na bochecha dela.

-Lindas! — Luan nos abraçou.

– Chegou alguém? — Ela me olhou.

– Sim alguns convidados. — Bruna falou.

Entramos no local que estava lindo, muito meigo, estava tudo maravilhoso. Do jeito que eu queria.

blog-vittamina-festa-de-aniversario-para-1-ano-tema-passarinhos-tema-para-festa-de-aniversario-1

blog-vittamina-festa-de-aniversario-para-1-ano-tema-passarinhos-tema-para-festa-de-aniversario-2

blog-vittamina-festa-de-aniversario-para-1-ano-tema-passarinhos-tema-para-festa-de-aniversario-3  

blog-vittamina-festa-de-aniversario-para-1-ano-tema-passarinhos-tema-para-festa-de-aniversario-4

A decoração tinha ficado um arraso. Marla e namorado estavam ali. Logo veio.

– Ei princesa da dinda, parabéns meu amor. — Marla pegou ela. — Tudo bem Lice? Oi Luan!

– Oi Mar, tudo ótimo. — Sorrir.

– E aí Marloide! — Luan sorriu.

– Ficam a vontade viu? — Sorrir.

– Pode deixar.

Os convidados foram chegando, familiares do Luan. A minha família também, amigos que o Luan havia convidado, a galera da equipe, meus amigos, Bia e os outros. Estava realmente bem cheia o local. Garçons servindo todos.

Cada detalhe tudo preparado com muito amor. Os flashes voltaram para Clara, pedi para os fotógrafos não perderem nenhum momento. Meus olhos doíam de tantas fotos tiradas. Luzes diferentes, vermelhas, roxas e azuis detraíram os olhinhos dela. Sair no meio do povo com o Luan  e a Clarinha paramos em frente a mesa de bolo, maravilhosa! Tudo personalizado dos passarinhos o bolo todo pintado. Ficou muito legal o nome da Clara em quadros provençais!  Todos os doces e personalizados, e as maquetes de tecido destacaram-se na decoração. Ficou perfeito! Pediram pra pousamos pras fotos na frente do Bolo. Eu Luan e Clara tiramos algumas, depois chamei a Bruna, os sogros e meus pais. Uma foto mais linda que a outra foi tirada! Depois não podia faltar com nossas companhia de viagem de trabalho, toda banda tirou foto com a gente! Cada um da festa quis tirar foto com a Clara e não era pouca! rs. Clara andava e dançava com as outras crianças.

A música ia rolando, músicas infantis! As outras crianças filhos dos convidados pareciam se divertirem muito, dançavam na pista de dança. Onde as luzes piscavam, estilo boate.  A festa estava muito divertida! Conversamos com alguns parentes, amigos, todos comiam bebiam, garçons estavam fazendo o um bom trabalho. Vi as caixa onde colocaram os presentes, não cabiam mais nas duas que tinham ali! Meu Deus, quantas coisas!  Oo

– Olha só como a pequena ta feliz! — Bia sorriu.

– Demais né amiga? — Sorrir.

– Sim, passou rápido demais. Ela cresceu! — Nay falou.

– Nem me fala! Ta enorme.

– E cada dia mais linda e parecida com o Luan. — Babi riu.

– É incrível né? — Eu sorrir. — Ela parece muito com o Luu, gente!

– Demais, os olhos a boca! Perfeita essa menina, vai arrasar os corações quando ficar adolescente.

– Quem vai arrasar os corações Babi? — Luan chegou.

– A Clara ué.

– Namorar é só depois dos vinte cinco. — Luan riu.

– Ah ta bom viu! — Eu ri. — Vai pensando viu Luu.

– É Luan sei não hein! — Bia zoou.

Ficamos conversando.

 

Algum tempo mais tarde..

Hora dos parabéns! Todos vieram ao redor da mesa, eu e o Luan ficamos com Clara atrás da mesa, que por descuido do Luan enfiou o dedinho, no bolo e colocou na boquinha. Awn que linda! Tiramos algumas fotos e Luan acendeu a vela.

– Vamos lá gente!  — Bruna gritou. — Um, dois, três… — Clara batia as mãozinhas com um sorriso lindo nos lábios..

– Parabéns pra vocês, nessa data querida muitas felicidades, muitos anos de vida, Parabéns pra vocês, nessa data querida muitas felicidades, muitos anos de vida!! Viva a Clarinha!

– Vivaa! — Todos juntos.

– É pique, é pique, é pique, é pique, é hora, é hora, é hora, rati-bum! Clarinha, Clarinha. — Ela sorria.

– Com quem será.. — Marla começou. — Com quem será que a Clara vai casar. — Todos cantavam juntos.

– Vai depender se o pai dela vai querer! — Luan gritou mais alto que todos.

– Eita pai ciumento, hein! — Sorocaba gritou.

– Viu nada! — Eu ri.

Primeiro aninho da minha princesa estava tudo maravilhoso, como eu sempre sonhei. Todos felizes junto com a gente, todos alegres, só na comemoração. Clara ela estava amando a festa, dançava junto com a gente. Hora de cortar o bolo seguramos nas mãozinhas dela com a espatula e cortamos o bolo. Demos pros avós, que estavam ali.

Fiquei ali sentada conversando com o povo. Quando levanto e viro pra trás e vejo. Fernando? ‘-‘