Capítulo 92° — Madrinhas e Padrinhos?

— Finalmente em casa! — disse vestindo uma camisola. — É tão bom meu Deus!

— Verdade amor. — ele sorriu. — deixa eu ver os convites dos padrinhos.

(finjam que a gravata é rose)

— Olha amor que amor que ficou! — sorrir. 

— Ficou muito criativo Lê! 

— Sabe o que eu pensei em fazer? Um jantar com nossa família e os padrinhos, tipo até amanhã daria, pois você só tem reunião não é?

— Sim Lê!

— Ótimo! Vou mandar no grupo. — ri. — Um jantar para anunciar os padrinhos, amei.

Olhei na agenda de Caio e Breno não tinham nada. Então criei um grupo com Luan, Bruna, Larissa, Caio, Breno, Rober, Cecília, Rafael e Léo, Lisa, Cauã, Thomas e Laura.

E mandei uma seguinte mensagem.

PARA TUDO!

Você amanhã tem um compromisso super importante. Gostaria muito da presença de todos vocês na nossa casa, ás 20hrs para um jantar. Sua presença é muito importante! Esperamos por todos vocês. Beijos da amiga mais linda que vocês tem! Hahaha. 😘😘

As mensagens que mandavam no grupo era muito engraçadas, além do mais da desconfianças deles. E então todos confirmaram presença, da família pais de Luan e meus pais também toparam.  

— Você é engraçada amor! — ele riu se deitando ao meu lado. — deixaram todos eles curiosos.

— Por que se eu falar acaba com a surpresa, entendeu? Tenho que acordar amanhã e fala com Isaura do jantar, eu quero decorar tudo. Vai ficar lindo! — ri abraçando o Luan e deitei minha cabeça em seu peito.

— Eu sou feliz demais por ter você meu Deus. — beijou o alto da minha cabeça.

— Eu também sabia? Grata a Deus. — passei a mão sobre o rosto dele. 

Escutei um chorinho pela babá eletrônica. Luan me olhou sorrindo, selou meus lábios.

— Mas já? — ele riu. — vou pegar ele amor.

— Tá bom Lu. — fui até o clouset pegar um casaco fininho estava friozinho, voltei pro quarto. — O que foi bebê? O que o meu neném tá chorando hein? 

Beijei o rostinho dele e ele realmente conversava como se fosse gente grande, querendo contar alguma coisa e Luan ficava bobo olhando o filho. 

— Amor é a fralda por isso ele tá chorando.

— Vou buscar as coisas pra trocá-lo. 

Fui no quarto e peguei tudo. 

—Vamos tirar esse fedô fora, vamos mamãe? — disse beijando seu rostinho.

— Tem um neném que não tá com cara que vai dormir por agora não hein. — Luan deitou na cama do lado do filho, enquanto eu trocava a fralda.  

— Fala com o seu pai que você tá com saudade da gente né? Que você ficou o dia inteirinho longe da mamãe e do papai, que o neném sentiu saudade. Né amor?  

Ele tentando falar era a coisa mais linda, era muito amor transbordando. Não sabia me conter! 

— Ai Luan que vontade de morder. 

— Da né? Ele tentando conversar. Acha que é gente grande né papai. 

Fui até o banheiro jogar a fralda fora, lavei as mãos. Voltei pro quarto me sentei na cama.

— E então nós vamos dormir sim ou não hein? — olhei pro Theo que sorriu.

— Brincar né filhão! Ele tá é com fome.

— Vou dar mamãe pra ele Lu, pois aí ele dorme. 

Peguei ele o ajeitei nos meus braços e ele começou a mamar.

— Indo na cozinha quer algumas coisa? 

— Traga a mamadeira de água do Theo e um copo de água pra mim?

— Ok!

Enquanto Theo mamava eu via o filme que passava na TV. Logo Luan voltou com a mamadeira de água e minha água. Theo demorou, mas pegou no sono esperei um pouco para levá-lo para o quarto, e quando voltei conversei mais um pouco com o Luan até dormimos.

(…)

— Qual jogo de pratos você quer utilizar Helena? — Isa me ajudava com os preparativos do jantar.

Já estávamos arrumando a mesa.

— Os brancos mesmo, que são quadrados. Isa aqueles guardanapos que eu ganhei, pega pra mim, por favor.

— Aqueles de pano bordado? 

—Sim!

Comprei uns aneizinhos para enfeitar a o guardanapo. Luan veio para ame ajudar, e preparamos toda mesa quando terminou estava assim.


— Amei!

— Ficou lindo. — Luan disse. — será que você pode me dar uma ajudinha rápida? 

— No que amor? 

— No meu look de hoje. Vem!

— Mas Luan….

— Vai Helena eu termino o resto, aproveita pra se arrumar também, pois já são seis horas. — Isaura disse. 

— Obrigao Isa, vamos o nenê meu.

— Vamos. 

Subimos e preparamos nossos looks para receber nossa família, amigos e padrinhos. Ajudei Luan e depois separei minha roupa, logo depois fui separar a roupa de Theo e pedi Rafaela que o arrumasse ele pra mim, é que já estaria liberada. 

Luan tomou banho se arrumou e eu também fui, lavei cabelo? Sequei, fiz make, vestir minha roupa quando terminei de arrumar, faltavam 15 para oito da noite, e a campainha já tocava. Luan estava com Theo brincando na cama, escutei a voz da minha mãe lá em baixo.
— Temos que descer. — disse enquanto colocava um brinco.

— Uai né mamãe, a gente já está pronto há horas! — Luan riu.

— Calma só o perfume! — ri. 

Estava assim.


Theo estava assim.

Luan assim.

— Vamos! — ele disse.

— Sim, vamos. — falei pegando os convites dos padrinhos e madrinhas e descemos os três.

Na sala encontrei meus pais que conversavam com a Isaura.

— Boa noite pai, mãe.

— Boa noite Amélia, João! — Luan disse.

— Boa noite, como vocês estão lindos. — minha mãe nos abraçou e já pegou o neto. — Deixa eu mimá-lo, enquanto o restante da família não chega e começa a disputa. — ela riu. — Eu tô muito lindo vovó! 

— E aí Luanzão! Oi minha filha. — beijou minha testa.

— Oi papai, bença. — sorrir.

Meu pai cumprimentou Luan e sentaram juntos para conversar. Eu conversava com minha mãe enquanto ela brincava com o Theo em seu colo. Coloquei os convites em cima da mesa cada caixinha tinha o nome da madrinha e do padrinho.

— Helena você viu as fotos de como será a decoração? — minha mãe me olhou.

— Da igreja? 

— Isso.

— Vi e amei, bom já esta tudo pronto na verdade né? Só falta mesmo os vestidos e o dia! 

— E você ficou louca dizendo que não daria tempo.

— Mas isso p0r que todo mundo ajudou né Luan?

— Sim amor. — ele riu.

Os minutos foram passando e os convidados chegando, pais de Luan chegaram e logo se juntaram com os meus para conversar. Bruna e Breno, Larissa e Caio, Lisa e Cauã, Rafael e Leonardo, Laura e Thomas e Rober e Cecília. Todos haviam chegados e estavam lindos arrumados. Curiosos querendo saber o porque do jantar. 

— Não é Helena se não deixar todo mundo curioso né? — Bruna riu. — A mesa está linda!

— Obrigado Bru. — ri. — relaxem, podem vir pra mesa o jantar está pronto.

— Cada um tem sua própria cadeira, até com os nomes olha só! — Rober disse. 

— Caixinha verde para vocês meninos e a branca para as meninas não abrem agora. —risos. — Bom eu e o Luan achamos legal essa ideia de fazer um jantar para esse momento que é tão importante para nós. Foi de uma hora pra outra, mas vocês são testemunhos do nosso amor, e por isso que hoje nós decidimos chamar vocês para esse jantar, para revelar uma coisas a vocês. Bom eu espero que vocês gostem, pois foi feito tudo com muito carinho e amor. — sorrir. — Podem abrir a caixinha de vocês e bom espero que vocês digam sim!

Todos ao abrir a caixinha ficaram encantados com tanta criatividade. O sorriso no rosto de cada um era a coisa mais gratificante, e eles nos olharam e disseram um: SIM coletivo. Luan tinha pegado o vinho e servido todos para um brinde.

— Ah Helena! — Bruna sorriu. — Isso é lindo demais.

— Que bom que vocês gostaram, pra vocês usarem no dia do casamento. — sorrir.

— Então já que sou um dos padrinhos. — Rober começou a falar. — Vamos propôr um brinde a esse casal a essa família que é tão querida e amada por todos. Para que sempre continuem sendo pessoas maravilhosas que são. Ao Luan que é um amigo e tanto, convivemos mais tempo juntos do que a própria Helena. — ele riu e todos os acompanhou. — Mas é isso um brinde a vocês, pois vocês são maravilhosos vocês merecem toda felicidade da vida! Muitas crianças correndo pela casa junto com o Theo, fazendo a farra junto com  gente pra que no futuro seja orgulho de vocês! E que Deus abençoe esse novo começo de vida pra vocês e que ele sempre abençoe a família de vocês. Um brinde a esse casal!

— Um brinde! — todos disseram brindando e sorrindo.

Logo fui me sentando com Luan e Theo em meu colo.

— Vamos um pouquinho com calma em muitas crianças não queremos uma creche né? — Eu comecei a rir. 

— Pra mim ta tudo sob controle! — Luan riu.

— Ah claro, vou nem falar nada Luan.

— Ô amorzinho. — ele riu.

— Eu amei a pulseirinha. — Lisa sorriu. 

— E a gravata meninos? — perguntei.

— Vai combinar com o terno. — Rafael disse.

— Sim meu amor. — Léo disse. — Tudo bem pensado, vai ser o casamento do ano!

— Vai mesmo que vai estar tudo lindo! — Sogra disse. — a decoração…

— Não falem nada, vai ser uma surpresa pra Helena. — Minha mãe riu.

— Então já que vocês não querem falar e nem vão, fiquem calados! — ri. — e vamos comer.

— Hmm comidinha da Isa! — Cecília disse.

— Você Cecí come mais da comida da Isa, do que eu próprio. — Luan riu. 

— Isso é verdade, não podemos negar. — Cecília disse rindo. — Mas o Léo também.

— Vocês moram mais aqui do que o Luan né mores? — ri. — minha companhia.

— Antes só do que mal acompanhado hein! — Cauã disse zoando.

— Cauã que absurdo! — Léo disse rindo.

Durante todo o jantar foi risada, conversas, brincadeiras muita zoação. Coloquei o caldinho da comida na boca de Theo que amou, tão novinho e já louco para comer comida mamãe. Depois do jantar todos nos sentados na sala conversando, tirando fotos com os amigos. O Theo acabou dormindo, levei ele pro quarto troquei de roupa e o coloquei no berço, voltei pra sala para ficar com a galera.

Anúncios

Capítulo 91º — Bazar da Helena

— Será que conseguimos os vestidos tudo no mesmo ateliê? — Bruna me olhou.

— Talvez. — sorrir. — Os vestidos  das madrinhas vão ser Rosê, e as gravatas dos padrinhos também. 

— E quem são os padrinhos? — Larissa perguntou.

— Logo vocês irão saber. — disse.

— Helena os convites ficam prontos quarta, mandei junto com a lista de convidados que você e o Luan me passaram ontem, são só aqueles mesmo?

— Sim são, colocou todo mundo né Luan? — perguntei.

— Sim amor!

A hora passou tão rápido que nem vimos. Isaura preparou um jantar para todo mundo, antes de jantarmos amamentei o meu pequeno primeiro que logo ficou quietinho deitadinho no carrinho. Logo após o jantar dispensei a Emanuella que tinha me ajudado bastante com o Theo, ela me disse que teria amado trabalhar com a gente e que esperaria passar no teste. Depois de um tempo todos foram indo embora ficando somente Luan, eu, Theo que já dormia e Isaura que terminara de limpar cozinha.

— Bom amor, até que não estar tão ruim assim né? Ta em andamento. — ele riu.

— Você me apronta cada uma. — ri. — te amo já te disse isso hoje?

— Hm, não disse não. — ele me abraçou forte selou meus lábios.  — diz!

— Eu amo você, eu te amo muito!

— Não mais que eu minha princesa, pode ter certeza.

Sorrir e ficamos ali abraçados olhando nosso bebê dormir. Logo demos boa noite Isaura e subimos, colocamos o Theo no berço e fomos pro nosso. Precisava muito de um banho!

— O que achou dessa babá? — perguntei.

Ela se deu muito bem amor, pelo menos hoje, cuidou do nosso menino tão bem.— ele disse tirando a camisa.

— É… vamos ver no decorrer da semana. — disse sorrindo e entrei pro banheiro.

Abrir o chuveiro e me coloquei debaixo daquela água morna caindo sobre minha cabeça, quando do nada.

— LUAN!

— Oi amor. — ele fez uma carinha de cachorro sem dono.

— Não poderia esperar? 

— Tô com saudade. — ele sorriu me abraçando.

Logo também me entreguei e nos amamos loucamente ali naquele exato local. 

Uma semana depois…

A babá Rafaela que estava com a gente essa semana, que aliás estava corrida demais. Hoje temos o bazzar, onde conseguimos mais de duas mil peças de roupas. Luan estava viajando pro Rio em gravações de TV.

— Helena vamos! — Cauã gritou da porta.

— Já vou. — disse descendo as escadas. — Vamos Rafa! — chamei a babá.

— Estamos prontos. — ela disse ao chegar com o meu bebê.

— Você realmente irá levar o Theo?

— Não, vamos deixá-los na casa da Mari. — ri. — Luan vai pra lá assim que chegar.

— Então borá, lá pegamos a Bru! — Léo disse.

— Ouvir dizer que temos fila pro bazzar! — Cauã disse ao ir em direção a casa da Marizete.

— Já estou mega animada! — sorrir.

Ao chegarmos na porta da casa Marizete estava na porta conversando com Amarildo que já saia, desci com Theo em meus braços que grudou a mãozinha em minha blusa. Ele sabia que eu iria ficar umas horinhas distantes, meu neném sentia. 

— Oi Mari. — sorrir, cumprimentei com dois beijinhos. — tudo bem?

— Tudo Lê. — sorriu. — oi amor da vovó, oi Rafaela!

— Oi Marizete, Amarildo boa tarde!

— Boa tarde! Vamos entrando. — Mari disse.

— Chama a Bruna pra mim? — pedi, dei um beijinho no meu neném. — mamãe já volta amorzinho.

— Luan vem pra cá? — Amarildo me olhou.

— Sim ele disse que vem direto ver vocês, e que queria conversar com você Amarildo.

— Sobre?

— Ah! — ri. — isso eu não sei.

— Luan e seus mistérios!

— Sempre. — ri.

— Oi tô pronta vamos. — Bruna apareceu me abraçando. — Tchau pai, tchau mamis.

— Tchau pra vocês, boa sorte lá! — eles disseram.

— Obrigado. Me liga qualquer coisa tá Mari? 

— Pode deixar.

Sair dali rápido, pois Cauã já gritava lá do carro. Partimos para o shopping Léo começava a falar e não parava um só segundo, fomos escutando ele falar até chegar lá. Assim que chegamos tive uma surpresa, além de uma mesa enorme de guloseimas, doces e salgadinhos tudo decorada com o nome bazar da Helena, iria acontecer um desfile antes de começar as vendas. Era uma surpresa pra mim quanto para as pessoas que iriam também poder assistir. Eu amei a surpresa, me sentei ao lado da Bruna e assistimos todo o desfile. Logo depois me chamaram para que eu pudesse começar o bazar.

No microfone fiz alguns agradecimentos e desejei boa vindas a todos. Então começou as vendas Bruna e Léo me ajudavam, e estava indo tudo tão bem. Muitas fãs do Luan vieram para comprar também, além de deixar presentes para Luan, pro Theo e até para mim. Quando eram quase cinco horas da tarde meu celular tocou e Bruna que estava no caixa me chamou.

— Helena seu celular!

Pedir licença aos fãs de Luan que conversavam comigo, quando peguei o celular era meu amor.

— Oi amor, tudo bem? — disse entrando para sala de descanso onde estavam Lisa, Laura e Valentina experimentando algumas peças.

— Oi minha linda, estou bem e você? Como está aí?

— Estou bem amor, um sucesso Luan! — disse. — Você já chegou na casa dos seus pais?

— Que lindo meu amor. Sim cheguei agora a pouco.

— E o Theo?

— Tão calminho que nem parece seu filho. — ele disse rindo. — brincadeirinha lindeza, mas ele ta bem.

— Idiota! — ri. — nunca fiquei tanto tempo longe do meu bebê, ele mamou todo leite que deixei? 

Perai deixa eu perguntar a Rafaela. — ele deu um grito no meu ouvido perguntando à babá. — Sim amor. 

— Ótimo, assim que acabar irei embora.

— Estamos te esperando, ah os convites estão aqui minha mãe disse que é só entregar.

— Hm, ótimo! Preciso mesmo conversar com sua mãe e minha mãe. Ah, não esqueça de me lembrar amanhã quando Rober ir te buscar entrega-lo o convite de padrinho chegou lá em casa.

— Ta bom amor, vou brincar um pouquinho com o meu garotão. Beijo, te amo e até mais tarde.

— Até, da um beijinho nele por mim.— sorrir, que saudade do meu filho. — te amo!

Desligamos.

— Ê amor! — Laura riu.— Já escolhi o que eu quero.

— Ah que ótimo! — sorrir. — e como está o hospital, que saudades de trabalhar com vocês.

— Só falta você, a Dra. Luciana que está no seu lugar ela é até boa sabe? Mas cheia dos “não me toque” tem hora que da vontade de voar nela. — Lisa riu.

— Tivemos que segurar Valentina esses dias. — Laura disse.

— Que? — Olhei pra minha amiga rindo. — Você Va? 

— Anjinho eu não aguento ela mais, chegou agora e quer mandar em todo mundo? Ah! Me ajude aí né?

— Daqui uns meses eu volto meus amores. — ri. — enquanto isso não voem em ninguém. Vem vamos lá fora!

Ao sairmos as roupas já tinham sido quase todas vendidas e só ia chegando clientes, meninas que pediam fotos, conversas e risadas. 

— Quase na hora de ir pra casa. — Cauã apareceu ali e abraçou Lisa, nas mãos ele tinha algumas sacolas. — comprei um café pra gente. — ele sorriu.

— Por isso que eu amo esse menino gente! 

— Para de falsidade Helena, você ama é a comida. — Cauã riu.

— Olha eu tento ser fofa..

— Mas ninguém te deixa ser né Lê? — Bruna riu.

— Pois é, depois não reclamam. — ri. 

Um cliente chamo fui atendê-lo.

Quando deu seis e meia estávamos todos mortos de cansados e com fome, fechamos a loja e fomos comer, conversamos. Com a ajuda de Cauã fechei o caixa e estava feliz com o resultado, seria uma ótima doação. Ao terminarmos para Léo, Bruna e Cauã dei um presente pela ajuda deles. Algumas peças que sobraram Bruna, Laura, Valentina e Lisa dividiram e ficaram com elas. Separei um presentinho para a sogra antes, pra minha mãe e Larissa que não pode vir, por causa dos shows dos meninos.

— Mores vamos embora tenho meu filho no meu aguardo. — disse.

— O dó do Theozinho. — Laura disse.

— O dia todo sem a mamãe. 

— Mas está em ótimas mãos. — sorrir. — Isso me deixa tranquila.

Despedi das meninas e fomos para o carro levando algumas sacolas, no carro foi Bruna, Léo e eu atrás e na frente Lisa. 

— Gente obrigado de verdade pela ajuda de vocês, se não fosse vocês nada tinha saído tão perfeito. Foi lindo a surpresa do desfile que eu não esperava, estou muito feliz! Arrecadamos muito mais do que eu imaginei, e isso é muito bom, logo Cauã vai entrar com os papéis para doação e vai ser só realizações. Obrigado de verdade!

Todos me agradeceram também e então chegamos na casa dos sogros, fui correndo com Bruna estava morta de saudades do Theo. Quando entrei pra dentro ouvir o chorinho do meu bebê.

— Eu cheguei! — disse.

Fui direto pro banheiro lavei as mãos enxuguei.

— Cadê o neném da mamãe? — Perguntei indo atrás do choro.

— Estamos aqui Lena! — Sogra disse da sala de estar.

Cheguei estava Theo no colo de Luan, Marizete conversando com Rafaela.

— Ai que saudade. — disse pegando meu bebê dei um beijinho nele e ele parou de chorar. — a mamãe chegou meu bebê.

— Oi mamãe o marido também tem saudade.  — Luan disse do sofá sorrindo.

Ele era o meu outro bebê de vinte e seis anos. Me sentei perto dele e dei um selinho demorado.

— Oi meu amor. — o abracei.

— Lindeza! Pronto Theo agora que sua mãe chegou você cala né? 

— Chegou quem faltava né Theo! — Mari disse rindo. — Vou terminar o jantar pra gente.

— Ajuda Mari?

— Não querida a Rafaela tá me ensinando um prato hoje. — ela sorriu.

— Ah que ótimo! E o Theo Rafa, deu trabalho?

— Nada ele é um anjo Helena, você sabe, brincou dando gargalhadas com o Luan né?

— deixa eu te mostrar os vídeos amor.  — Luan disse pegando o celular.

Rafaela foi para a cozinha ajudar a sogra, e Luan me mostrava um vídeo lindo de Theo que dava lindas gargalhadas. Não tem mais fofo que meu filho.

— Esse neném da mamãe e a coisa mais lindo do mundo, né Papai?

— Vocês são as coisa mais linda desse mundo todo , amo vocês.

Theo procurava meu peito para mamar e Luan disse rindo.

— Tem neném com fome mamãe. 

— Também só mamou mamadeira hoje né filho? — Me encostei no sofá e comecei a amamentar meu filho e contei pro Luan como foi todo bazar. Depois de Theo mamar, ele arrotou e logo estava dormindo feito um anjinho. Coloquei ele no carrinho e fomos todos para mesa de jantar que estava pronto, jantamos com os sogros e Bruna contava pra todo mundo como foi o bazar, sobre as brincadeirinhas só dia, do desfile surpresa pra mim. Foi incrível!

O jantar estava maravilhoso como sempre, conta a novidade né? Marizete sempre arrasa. Após o jantar um bolo de chocolate foi servido, pensa no tanto que eu comi? Ao terminar sogra trouxe meus convites de casamentos que eu já mandaria amanhã para os meus convidados. Todos os convites tinha o nome dos próprios convidados gravados neles já, eu amei tanta criatividade do Léo! Deixei os dos sogros e logo despedimos, pois eu estava exausta por ficar o dia inteiro fora de casa. Ao chegarmos em casa liberei Rafaela e coloquei Theo no berço. Enquanto o Luan foi tomar um banho, fui conversar um pouco com Isa e depois subir para o banheiro e tomei um banho também.