Capítulo 30 — Happy Birthday

– Você filmou isso né Lice? — Ele me abraço me dando um cheiro pro pescoço.

– Sim amor um presente pra você, tem que deixar marcado esse sonho não é? — Sorri.

– Ahãm. — Ele me abraçou e começou um beijo, terminando com a sogra nos chamando.

– Desculpe! — Ela sorriu.

– ó mamusca! — Ele abraçou a mãe.

– Eu quero uma foto com vocês! — Ela sorriu.

– Ah isso eu também quero sogrinha. — Falei. — Rober!  — Chamei-o.

– Oi Lice! — Ele veio.

– Tira um foto da gente, por favor.

– Claro.

– Mamusca fica aqui no meio de nós dois ó! — Luan abraçou a mãe eu também a abracei. Sorrimos pra foto, Rober tirou duas.

– Opa! Faltou nós ai. — Bruna veio com o Amarildo.

– Venham então gente! — Falei.

Luan ficou do meu lado a Bruna do outro, Sogros ficaram do lado do Luan. Rober tirou as fotos depois passei meu celular pra ele tirar uma foto. Ele tirou e me entregou. A festa continuou, dançamos muito, conversamos, rimos de cada coisas. Foi muito bom está todos juntos ali comemorando os 23 anos do Luan. A festa foi até ás quatro da manhã, depois de todos irem embora tomamos banho e fomos nos deitar…

 

Acordei eram dez da manhã olhei pro lado Luan não estava, me alevantei passei a mão no cabelo. Me olhei no espelho ali da cama mesmo e me levantei, arrumei a cama e fui pra um banho, me vestir.

E peguei meu celular, desci encontrei Bruna na sala.

– Oi cunha, bom dia! — Ela sorriu.

– Bom dia lindona, cadê todo mundo? — A olhei.

– Pi deixou um bilhete avisando que saiu com meus pais, mas que já voltavam! E hoje vamos lá pra chácara, lembra? — Ela se levantou. — Vem, te esperei pra tomarmos café juntas!

– Ah claro que lembro. Awn linda, borá então!

Nos sentamos na sala de jantar e tomamos nosso café, conversando. Bruna me falava do teatro que ela realmente adorava.

– Mas me fala, qual é a melhor parte que você gosta mesmo? Quando eu fazia eu sempre gostei de ser a vilã! — Ri.

– Opa! Então é nós, também amo essa parte e também as românticas. — Ele deu um sorriso meigo.

– Hmmm, e o beijo é nada técnico né? — Caímos na risada.

– Cara antes de eu entrar pro teatro eu tinha minhas dúvidas. — Ela riu. — Mas aí pude comprovar não é técnico nada. Pura mentira!

– Pois é Bru, o ruim é nos primeiros dias depois a gente se solta! — A olhei.

– É verdade, mas eu amo fazer teatro sabe.. E no futuro sonho em fazer novelas.

– Ah como o Luan mesmo diz, não desista dos seus sonhos viu? Você vai conseguir e vou está na torcida, por você. — Segurei a mão dela.

– Awn cunha, obrigado.

– Ah e hoje leve muitas roupas pra chácara, vou te fotografar lá. — Sorri. — Luan falou que lá é maravilhoso e quero fazer umas fotos suas.

– Ahh! Sério isso?

– Claro, sei o quanto você é fotogênica. — Sorri. — E tirarei umas fotos suas e colocarei no meu blog, se você autorizar claro.

– Opa, claro que pode ué. — Ela sorriu. — Vem cá, vamos tirar uma foto juntas. — Me juntei a Bruna e tiramos uma foto linda. Ela postou.

“Hoje sozinhas logo cedo! Nos abandonaram… kkk! Já te amo demais @alicebittencourt”

– Vêm me ajudar a escolher minhas roupas pra levar.

– Vamos. — Subimos pro quarto de Bruna.

Lá ela pegou várias peças de roupas e colocou na cama, ela pegou um vestido longo florido lindo, vários looks magníficos.

– Môoo! — Luan gritava lá em baixo.

– Meu Deus, nem é escandaloso né? — Olhei Bruna.

– Imagina. — Bruna ria.

– Ôooo Lice! — Ele gritou novamente.

Me levantei indo até a porta do quarto da Bruna.

– Aqui Lu! — Ele subia as escadas.

– Ahh muié, estavam falando mal de mim né? — Ele me abraçou e me deu um selinho.

– Estávamos Luan metendo a língua em você Luan. — Bruna riu.

– Ah Piroca veiá! — Rimos. — Vocês nem são dramáticas né?

– Oshh! O que fizemos agora? — Me sentei novamente ao lado de Bruna.

– Postaram aquela foto no instagram, reclamando que estavam sozinhas. — Ele riu.

– Uai, mas é verdade. Abandonou nós! — Bruna falou.

– Mas então Lu, mas mais uma vez… Meu parabéns muitos anos de vida, saúde, amor, paz, alegria, e que o seus sonhos todos eles se realizem amor. — Dei um abraço nele. Sorri. — Espera ai, vou pegar seu presente. Ahh, eu e a Bru que compramos juntas.

– Vai lá eu espero. — Ele sorriu.

Fui até o quarto de Luan e peguei a caixa que estava ali enorme, e sério mesmo? Muito pesada! =x Levei pro quarto de Bruna, ele olhou e riu.

– O que é isso? — Ele nos olhou.

– Abri pra você ver uai, sei que você vai gostar uma vez você disse que queria muito ganhar.

– E como é um coisa muito antiga. — Bruna sorriu. — Abri Pi!

– Vou abrir.

Luan abriu a caixa quando retirou era um vinil de discos, e um monte de discos antigos, como Coldplay, Elvis Presley, e entre outros.

– Meu Deus do céeeu! Caramba cara, melhor presente de todoooos! — Ele abraçou nós duas. — Obrigado minhas lindas!

– Então acertamos? — O olhei.

– Claro, ah obrigado.

– De nada Pi!

– Vem me ajudem vou levar pro meu quarto e vamos ligar. — Luan disse todo sorridente indo pro quarto.

Fomos atrás dele e chegamos lá ele ligou o vinil e já colocou os discos pra tocar. Ele estava realmente muito feliz com o presente. Ele tirou uma foto e postou.

Olha aí amoors o que a @brusantanareal e @alicebittencourt  me deram de presente, o melhor presente oiá só! Pense na chiqueza! kkk, obrigado minhas lindas!”

Depois ele parou em frente ao espelho e tirou uma foto, e também postou.

Pois é meus amores tô ficando mais veio hoje! Muito obrigado a todos vocês que me desejaram um feliz aniversários, por cada mensagem, eu li várias aqui já, e só tenho agradecer , viu? Obrigado minhas vidas, amo vcs!”

– Olha que lindo amor! — Sorri. Eu mexia no notebook com Bruna.

– O que? — Ele veio.

Anúncios

Capítulo 29 — É o amor

Meu celular começou a vibrar, era Bruna.

– Lu vai pro banho pra gente ir pra sua casa.

– Eu vou môzinha. — Me deu um beijo e entrou pro banheiro.

 

Atendi.

– Oi Bru! — Falei.

– Oi Lice, onde vocês estão?

– Ainda no hotel, Luan foi tomar banho.

– Ok! Quando chegar aqui no condomínio, avisa.

– Pode deixar, beijo.

– Beijo.

 

Alguns minutos.

– Amor eu não estava querendo ir pra casa agora.. — Ele me olhou saindo do banheiro. — Poderíamos jantar fora, o que acha?

Aí meu Deus! Como esse guri faz isso?

– Amor sua mãe ta te esperando na sua casa.

– Depois a gente vai uai. — Ele me abraçou.

– Então vamos fazer assim,vamos na sua casa chamamos eles pra ir com a gente. — Sorri.

– Ta bom, era bom se a gente ligasse né?

Soltei um suspiro, como ele era difícil meus Deus!

– Não amor vamos lá, temos que levar as malas.

– Ta bom, então vai tomar seu banho.

– Ok!

Tomei meu banho e me vestir.

look34

Olhei Luan que estava assim.

rober-lelis-5-red

– Nossa, que gatão! — Sorri.

– Gostoso também viu. — Ele levantou um pouco da camisa.

– Ai Luan Rafael! — Dei um selinho rápido. — Vamos?

– Borá! Já são oito horas!

Saímos do quarto do hotel e encontramos o Rober lá em baixo, logo entramos pro carro, fomos conversando, rindo, Luan nem imaginaria que todos estavam esperando na casa dele. Quando chegamos no condomínio avisei Bruna, em pouquíssimos minutos Rober já estacionava o carro na frente da casa.

– Vamos descer Testa! — Luan chamou.

– Borá Luan!

Fomos entrando, Luan fazia cada palhaçada que só Deus! Entramos Bruna estava sentada no sofá!

– Cunha! — Veio me abraçando.

– Oi Bru! — Sorri. — Tudo bem?

– Tô ótima! Quem diria em Pi primeira vez que a Lice vem é como amiga e fotógrafa, agora sua namorada!

– Só pra quem pode Piroca! — Ele abraçou a irmã. — Cadê a mãe?

– Está lá fora na área, vamos lá!

Luan segurou em minhas mãos e fomos indo pra fora, Rober e Bruna vinham atrás de nós. Quando Luan gritou. “Ô mamusca!”. Todos gritaram!

– SURPRESA! — Gritaram.

– Meu Deus do céu, o que é isso aqui rapais? — Ele ria.

– Uai mô festa surpresa pra você não é hoje, mas é amanhã e ficaremos aqui até o dia raiar! — Ri. — Só que não!

– Boba! — Ele me abraçou.

Foi cumprimentar todos que ali estavam Bruna chamou amigos do Luan, pessoal da banda, Fernando e Sorocaba, Zezé e Luciano, Luan estava pirando! Thaeme e Thiago, Tio Júnior que tinha sumido estava lá também. Luan pegava os presentes. Eu peguei minha câmera pra registrar cada momento.

Fui falar um pouco com os sogros, e os convidados.. Depois, nos sentamos e bebemos alguma coisa. Ficamos namorando um pouquinho. E do nada…

– Bora dançar?  Luan chamou já me puxando onde os outros dançavam.

– Vamos né! — Falei rindo. Estava começando a tocar Assim Você Mata o Papai. – Ah, agora te faço sambar! – Ri mais.

Comecei a fazer passinho miudinho. Haha. Segurei as mãos do Lu e fiz ele me acompanhar. Ri muito! Na parte do “Ai, ai, ai…” eu virava de costas pra ele e sambava coladinha à ele. Luan colocava as mãos em minha cintura e tentava me acompanhar. Luan pisou umas três vezes em meu pé. Estava muito engraçado. Notei Júnior com o cel na mão e fiz joinha discretamente. Ele tava filmando o Luan sambando. Que comédia. E todos dançavam juntos com a gente, estava muito divertido! Acabou a música, e Luan deu graças a Deus. Ri dele. Nos sentamos um pouquinho.

– Arrasaram! — Marla sentou com a gente.

– Foi ela aí ô! — Luan apontou. — Porque eu pisei várias vezes no seu pé, num foi amor?

– Pior que sim! — Eu ri.

– Foi top, já está na internet o Luan sambando com a Alice.

– Vocês não fizeram isso né, Júnior? — Luan olhou não querendo acreditar.

– Ele não, fui eu! — Bruna riu.

– Ah Piroca, se eu te pego você vai ver! — Ele tentou puxar Bruna, ela se esquivou.

– Deixa eu ver o vídeo? — Falei.

Cara o vídeo estava muito engraçado, Luan tentando sambar era uma piada. Meu Deus! Os comentários eram.

Lindos, O que é isso Luan?, Perfeitos, dançam demais, Alice arrasando!”

Luan ria.

– Eu não acredito cara, que vergonha!

– Relaxa mô. — Ri.

Faltava dois minutos pra dia 13.03.2014 Luan iria fazer 23 anos. Sogra chamou.

– Gente! — Ela gritou. Todos olharam. — Vamos cantar o parabéns pro Luan agora.

– Opaa! Parabéns pra mim! — Luan se levantou rindo.

 

Ele foi ficando por trás da mesa do bolo junto com seus pais e Bruna, eu fotografei.

– É um, é dois e três… Parabéns pra você.. — Eu puxei, todos cantaram juntos.

Tirei fotos lindas pros fãs de Luan, peguei meu celular e tirei uma foto dela cortando o primeiro pedaço de bolo. E postei.

Pois é hoje é o dia dele… Parabéns meu amor, muitos anos de vida que você possa continuar sendo essa pessoa humilde que você é! Que todos os seus sonhos possa se realizarem a cada dia, que Deus te dê muita saúde, paz, amor, alegrias. Que você nunca mude esse seu jeito de tratar todos da mesma forma. Por que é isso que faz o que você é hoje! Parabéns @luansantana eu te amo. Festinha surpresa pro Lu!”

– Então gente esse primeiro pedaço de bolo eu queria dar pra cada um de vocês, porque são todos muito importantes pra mim. — Luan sorriu. — Mas existem duas pessoas aqui que se não fossem por elas, hoje eu não estaria aqui junto com todos vocês. Eles são tudo pra mim, a razão de eu ser quem sou hoje, minha vida sem eles é um vazio. Pai e mamusca, é pra vocês! — Ele entregou o bolo sorrindo.

– Juntam aí gente uma foto! — Falei.

Eles juntaram e tirei a foto.

– Pera gente que ainda não acabou! — Luan riu. — Vou fazer até o terceiro pedaço. Então essa vai pra uma outra pessoa que mudou minha vida da noite pro dia, a pessoa pelo qual me faz feliz nas horas tristes. Uma pessoa de ouro como diz minha mãe, uma pessoa que dentro dela existe uma criança. — Eu sorri. — Pelo qual será meu filho. Licinha vem meu amor. — Todos falaram ensaiadinho.

– Awn que lindos! — Eu olhei eles e ri.

– Eu te amo vida. — Dei um selinho.

– Perai agora eu tenho que bater essa foto. — Rober gritou.

– Então espera Rob. — Bruna disse passando a mão no bolo e pintando o meu nariz e o do Luan. — Agora pode.

Eu e Luan tiramos uma sorrindo linda, e a outra com uma careta! Eu ri.

– Agora o terceiro pedaço vai pra uma guria que sempre me ajudou em tudo gente, essa menina é linda, chata, alegre. Ah quer saber eu amo ela demais da conta. Vem Piroca.

– Meu Deus quanto amor que até sufoca! — Bruna riu abraçando o irmão.

Todos riram e sogra continuou a cortar os pedaços de bolo. Luan e eu nos sentamos com Fernando e Sorocaba e Thaeme e Thiago.

– Galera! — Zezé gritou. — Sei que Luan ama essa música e agora ele vai cantar com a gente! É o amor.

– Não acredito! — Luan sorriu.

– Vai lá mozinho.

Eles se ajeitaram e começaram..

– Eu não vou negar que sou louco por você, tô maluco pra te ver eu não vou negar. Eu não vou negar sem você tudo é saudade você traz felicidade eu não vou negar. Eu não vou negar você é meu doce mel meu pedacinho de céu eu não vou negar, você é minha doce amada, minha alegria, meu conto de fadas, minha fantasia a paz que eu preciso pra sobreviver; Eu sou o seu apaixonado de alma transparente um louco alucinado meio inconsequente um caso complicado de se entender. É o amor que mexe com minha cabeça e me deixa assim, que faz eu pensar em você e esquecer de mim que faz eu esquecer que a vida é feita pra viver. É o amor que veio como um tiro certo no meu coração que derrubou a base forte da minha paixão e fez eu entender que a vida é nada sem você.  Eu não vou negar você é meu doce mel meu pedacinho de céu eu não vou negar, você é minha doce amada, minha alegria, meu conto de fadas, minha fantasia a paz que eu preciso pra sobreviver; Eu sou o seu apaixonado de alma transparente um louco alucinado meio inconsequente um caso complicado de se entender. É o amor que mexe com minha cabeça e me deixa assim, que faz eu pensar em você e esquecer de mim que faz eu esquecer que a vida é feita pra viver. É o amor que veio como um tiro certo no meu coração que derrubou a base forte da minha paixão e fez eu entender que a vida é nada sem você.

Luan cantando é o amor olhando pra mim eu estava realmente feliz, era lindo! Eu filmei ele cantando com os seus ídolos.

*-*

Capítulo 28 — Conversas, Boates, show

Ele chegou perto de onde estávamos e foi logo até Arthur.

– Nossa cara, quanto tempo! — Apertou a mão de Arthur.

– Pois é! — Ele falou.

– Lembro quando estávamos aqui nesse mesmo lugar, só os casais! E olha hoje como estamos, não é? — Ele me olhou e depois olhou Luan.

– Tem pessoas que escolhe diferente! — Bia disse.

– É! E você Alice não cumprimenta mais? E como ta o meu filho?

– Seu filho? Meu filho! Não é seu.

– Eu sei que é! E quando nascer ficará comigo.

– Tente! — Luan disse.

– E quem é você pra falar alguma coisa cara? Eu sou o pai dessa criança e se eu quiser pegar a guarda dele, eu vou pegar! — Ele aumentou o tom de voz.

– E eu apenas falei  pra você tentar, quero só ver! pai não é quem faz e sim quem cria, quem cuida, quem dá amor! — Luan se exaltou.

– Lu não liga amor.

– Vamos ver quem vai sair perdendo aqui. — Fernando saiu.

– Era por isso que eu não queria ter ficado! — Escorreu uma lágrima pela minha face.

– Lice meu amor, não chora! Ele não vai tirar nosso filho.. Ele não vai! — Luan disse.

– Amiga acredite no Luan, nós também estamos com você!

– É Alice, fica tranquila. — Arthur também disse.

– Obrigado gente, obrigado mesmo. — Falei. — Amiga você não se importa se eu ir pra casa? — Ela me olhou.

– Claro que não Lice, amanhã vão lá em casa.

– Pode deixar! Vamos Lu. Tchau Arthur, depois nos vemos.

– Tchau Alice.

– Tchau cara. foi um prazer conhecer você!

– Que isso Luan o prazer foi meu! Volta mais vezes aí!

– Sempre que tivermos um tempo né, Lice?

– É sim viu! — Ri. — Beijo gente.

Eu e Luan voltamos pra casa e nos sentamos perto da piscina. Luan me abraçou me deu uns beijinhos pelo pescoço.

– Vidinha. — Ele disse. — Não quero você triste assim.

– Eu tô bem mô. — O olhei, dei um sorriso.

– Não tá não! E pode ficar tranquila, que nosso filho, nós vamos cuidar juntos ta bom?

– Meu vidinha, te amo tanto.

– Não mais que eu. E pra você ficar mais feliz, borá numa boate? Curtir a noite.

– Borá Lu. — Me animei.

– Falou em farra, a mocinha adora. — Ele me puxou, me levantando.

O olhei rindo.

– Eu adoro! — Ri.

Fomos pro quarto nos arrumar, tomamos banho, Luan se vestiu. E me vestir.

lookblack

– Mãe eu e o Luan já vamos! Beijos.

– Beijo filha, tchau Luan.

– Tchau sogrinha. — Olha só essa intimidade, rs.

Fomos no meu carro conversando rindo, Luan conseguiu duas pulseirinhas do camarote vip. Comemos, bebemos, eu só no suco Luan me vigiava. Eu ria do Luan dançando, e ele ainda me puxava pra dançar junto. A noite foi ótima… A noite foi longa, mas nos sentimos cansados e despedimos dos amigos que Luan havia encontrado ali e fomos voltando pra casa. Chegando tomamos um banho e logo dormimos.

A quinta feira passou rapidamente, eu, Luan, Gabi, Arthur , os pais da Gabi e meus pais fizemos um churrasco. Curtimos o dia inteirinho. Amanhã sexta Luan tem show ás cinco da tarde em São Paulo. Depois no almoço na sexta voltamos pra São Paulo,  chegando lá tínhamos reunião antes do show. Bruna me ligou em cima da hora falando que a surpresa seria hoje, mas gente ‘-‘, depois do show na casa deles. A hora do show chegou.

Ia começar a contagem regressiva, fui pra beirada do palco, junto com And, Gutão e Rober. Luan se ajeitava em cima do elevador, e piscou pra mim lá de cima, e sorriu, sorri também, e acenei. Eu fazia meu serviço, junto ao Rober. A contagem regressiva começou, 10, 9, 8, 7 PQP! Eu não sei por que mas meu coração acelerava tanto! 3,2,1 LUAN SANTANA, o elevador ia subindo, as fãs foram a loucura, e ele começou cantando Sogrão Caprichou  aowwt que coisa linda, e interagia com os fãs, só via ursos, cartas, cartazes, calcinhas e sutiãs sendo jogados no palco, olhei pro publico, umas fãs lá em baixo acenaram pra mim, acenei pra elas de volta, umas lindas! O show tava sendo perfeitamente espetacular como sempre, Lu rebolava, OMG! Chamem a ambulância, porque eu passei mal!

Luan cantava a última musica. Já se despedindo dos fãs ali presentes, agradecendo o carinho que ele recebe, aowwt, que lindo! Peguei meu celular pra ver as horas.

 

Capítulo 27 — Sogrão

– Chegou um carro ali e estacionou, imagino que seja o sogrão. — Ele se jogou na cama.

– Deve ser ele mesmo. — Sorri. — Vai toma o seu banho. — Joguei a toalha pra ele.

– Mas amor você não ta entendo? Seu pai, seu pai! — Ele me olhou. — Chegou.

– Luan anda vai tomar seu banho, antes que eu chame ele aqui, vai! — Ri.

– Pirou muié! — Ele me deu um beijo rápido e correu pro banheiro.

 

Ri dele e me sentei na cama e liguei a TV e fiquei vendo por enquanto. Luan saiu do banheiro enrolado na toalha e eu o olhei.

– Cadê a privacidade? — Ele riu.

– Esqueceu que você tá no meu quarto? E eu olho onde eu quiser? — Apontei língua pra ele.

– Ah e você acha que é quem pra falar assim comigo hein? — Ele me empurrou na cama e segurou meus pulsos, e só de toalha ficou por cima de mim.

– Eu? Sou a Alice Bittencourt, da licença! — Ri dele.

Luan ainda me segurava e me dava leve beijinhos no ombro subindo pro pescoço.

– Se você não sair de cima de mim, eu vou ter que arrancar essa toalha. — Pisquei. — E imagina no primeiro dia na casa do seu sogro ele te encontra assim em cima da filha dele? — Ele me olhou assustado. E eu ria da cara dele.

– Deus me livre! — Ele se levantou indo até a mala de roupa. Eu o olhava, mordi os lábios. — Você não teria coragem.

– Você acha? Imagina  um homem desse em cima de mim enrolado só na toalha, a carne é fraca!

– Não mô, você é safada!

Cair na gargalhada junto com ele.

– Ai Luan Rafael você me mata! — Me levantei e dei um selinho. — Vou tomar banho.

– Vai lá, safadinha!

Ri dele e entrei no banho fazia frio hoje, me vestir.

 look-sapatilha-cor-burgundy-borgonha-tendência-outono-inverno-2012

– Então Lu, vamos descer? — Sorri.

– A não ta bom aqui. — Ele riu.

– Ai bobo, vem! — O puxei.

– Não sai de perto de mim, ok?

– Você ta parecendo aquelas criancinhas com medo sabe? — Íamos descendo a escada.

– Calada Lice.

– Ok. — Ri.

Passamos pela sala e fomos pra sala de jantar meu pai estava sentado de costa pra nós dois e minha mãe nos viu.

– Ah que bom que desceram! — Ela falou.

– Alice minha filha! — Meu pai me abraçou e sorriu.

– Oi Pai, saudades. — Sorri. — Pai esse é o Luan.

– E aí Luan, como você tá cara? — Luan soltou um suspiro profundo de alívio. Eu segurei pra não ri.

– Tô bem demais. — Ele apertaram as mãos.

– Então quer dizer que é meu genro? — Me sentei e Luan se sentou do meu lado.

– Então isso primeiro eu teria que vim pedir a mão dela pro Sr. — Aí eu tive que rir, Sr Luan? Luan me olhou e apertou minhas mãos, pra mim parar.

– O guri é claro que eu autorizo! E olha Luan nada de senhor, pode ser só Diego.

– Ótimo então Diego. — Luan sorriu. — Prometo cuidar bem dela.

– Eu sei que vai, mas você sabe que ela está grávida né? — Ele olhou pra mim.

– Claro e como também irei assumir, como se fosse meu filho. — Ele me olhou.

– Já gostei de você! — Meu pai riu. — Mas me conta como você aguenta a Alice? Muito chata cara.

– Ah a gente aguenta né? — Luan riu.

– Ou! Eu estou aqui né? — Olhei pros dois.

– Mas é a verdade minha filha. — Meu pai me olhou.

– Apenas observo vocês dois. — Ri. — Te ajudo mãe!

 

Fui pra cozinha deixando os dois que se deram bem até demais, Luan pra quem tava com medo já conversavam sobre futebol… mereço?

– Luan estava morrendo de medo do meu pai, mãe.

– E olha lá  estão se dando bem até demais.

– Num é?! — Ri.

Ajudei minha mãe a levar um café, com sucos, bolo, algumas torradas. E nos sentamos os quatro ali comendo, conversando, Luan falava sobre sua carreira, meu pai sobre a impressa, eu e minha mãe? Ficamos conversando entre nós duas, a saudades de ficar perto deles era demais, então quando eu vinha, teria que aproveitar o máximo! Luan ficaria aqui em casa até quinta.  Sexta cedo Luan tem show em São Paulo e no sábado é o aniversário dele. Eu, Bruna e Marizete estávamos preparando uma festa surpresa. Continuamos conversando por muito tempo, quando fui ver já eram quase uma da manhã. Demos boa noite pra cada um e Lu passou o braço sobre meus ombros e fomos pro meu quarto. Enquanto trocávamos de roupa reparei no rostinho dele, ele me olhava com uma cara de “porque você mentiu?”.

– Mentirosa! Seu pai é maior gente boa. — Ele riu.

– Mas eu falei uai. — O abracei.

– Vem cá. — Ele me pegou no colo, e esfregou devagarzinho seu nariz no meu, beijo de esquimó. — Te amo sabia?

– Eu também te amo meu amor. — Sorri. — Mas vamos dormir, você ta cansado né?

Ele me ajudou a arrumar a cama. Puxei-o pra cama e deitamos. Ele começou a dar beijinhos carinhosos em mim, até que ele bocejou.

– Vem, bora dormir de conchinha. — Falei e dei um beijo de boa noite nele. Apaixonado, confesso. Passei a mão no rosto dele, Luan sorriu e me deu um selinho demorado. Virei de costas pra ele, e ele me abraçou bem forte e segurou minha mão. Nem cinco minutos depois senti a respiração pesada dele. Já dormindo. Fiquei pensando se tudo aquilo era real, Luan e eu namorando há quase um mês. Dormi em meio à esses pensamentos…

 

Acordei assustada.

– Ah não casal pode levantar, anda! — Abriu as cortinas, a claridade entrou no quarto.

– Bia vai pra casa! — Coloquei a coberta por cima da cabeça e Luan fez o mesmo.

– Claro que não, vim desejar felicidades ao casal.

– Não poderia ser um pouquinho mais tarde? A gente aceitava. — Luan falou.

– É tô vendo que vocês dois combinam, até na preguiça! Meu Deus.. Hein! — Ela riu.

– Bom dia Bia, tudo bem?

– Ah tô ótima e cheia de novidades, se levantam e se trocam, espero vocês lá em baixo.

– Ta ta, chata! — Ela desceu.

 

– Ela é sempre assim? — Luan me olhou.

– As vezes pior mô. — Dei um beijinho. — Bom dia.

– Bom dia. Que amiga não?

– Pra você ver. — Rimos. Me levantei fiz minhas higienes e me troquei.

look_meu_zig_zag_e5381

(Sem a bolsa.)

Luan se levantou e também fez suas higienes e se trocou. Arrumei meu quarto e descemos Bia estava na cozinha com minha mãe.

– E aí Luan dormiu bem?

– Stella eu dormir sim viu. — Luan se sentou para tomarmos café. — Mas aí ela nos acordou. — Luan apontou pra Bia rindo.

– É sempre assim Luan! — Bia riu. — Mas prazer, acho que lembra de mim, não é?

– Claro, prazer é meu!

– Meu pai já foi?

– Sim já!

Tomamos café da manhã junto com minha mãe e a Bia, o dia foi perfeito, caminhamos, namoramos muito, até que já era de tardinha. Sentamos na praça do condomínio, eu, Luan, Bia e Arthur, sim eles estavam namorando! Essa era a novidade de Bia. Arthur e Luan se deram super bem. Ficamos ali conversando, tiramos fotos, estava tudo muito agradável.

– Lice quem é aquele que não para de olhar pra cá? — Luan olhou pro lado do lago.

– Não estou reconhecendo.

– Ah, mas eu sim Alice! — Arthur me olhou. — É o Fernando!

– Mas o que ele ta fazendo dentro do condomínio? — Olhei para Arthur.

– Ainda não sabe? Se mudou pra cá!

– Como?

– É verdade amiga.

– Então aquele é o Fernando? — Luan olhou pra lá novamente.

– Infelizmente! — Falei.

Ele vinha em nossa direção.

– Ai não Bia! — Falei. — Gente vamos embora.

– Não fica amor! — Luan disse.

Capítulo 26 — De volta a Florianópolis

– Sim sou eu, quem é você? — A olhei.

– Sou a ex do Luan. — Ela sorriu. — Vim vê-lo.

– Vê-lo?  Pra?

– Deu saudades. — Ela me olhou e sorriu cinicamente.

– Então quer dizer que você veio, por que sentiu saudades?

– Não pode? — Ela sorriu. — Preciso conversar com ele, cadê ele?

Eu cruzei meus braços a olhando.

 

– Alice, meu amor! — Luan veio com o Gutão, me abraçou por trás.

– Alguém sentiu saudades Luan. — Olhei pra ele.

Mas como podia ser tão cara de pau? Aparece depois que a notícia se espalhou que Luan estava namorando. Respirei fundo e dei um selinho no Luan o deixando com ela. Fui até um banco ali e me sentei, depois de uns 20 minutos Luan veio.

 

– Amor o que ela te disse? — Ele me olhou.

– Que sentiu saudades de você. — Sorri tristonha.

– Ei amorzinho não liga!

– Luan… Você ainda ama ela? — Ele me olhou.

– Não Lice eu amo você, preciso provar?

– Não preciso de provas Lu. — Uma lágrima escorreu em meus olhos, enxuguei rapidamente. — Vem vamos você tem que se arrumar.

Me levantei indo na frente dele ele veio parou na minha frente, colocou uma mexa do meu cabelo pra trás, me olhou nos olhos sorrindo.

– Eu amo só você, me entende? — Ele sorriu. — Não quero ver você assim tristinha.

– Ta amor, eu acredito em você. Eu te amo muito.

– Não mais que eu minha princesinha. — Me abraçou deitei minha cabeça em seu peito. — Agora olha aqui pra mim. — O olhei.

– O que é?

– Da aquele sorrisinho que só você tem! Cadê? — Ele me fazia sorrir. — Isso assim que eu gosto. Linda! Esquece ela tá?

– Você ta falando de que mesmo? — Sorri. — Vem se não você se atrasa.

Subimos pro quarto tomamos um banho juntos ficamos por mais ou menos uns quarenta minutos debaixo do chuveiro. Quando sair me vestir.

. lookrock

Terminamos de nos arrumar e fomos jantar antes de irmos logo depois o local era para o parque de exposições que estava lotado ingressos esgotados! Luan logo chegou e já foi pro camarim e nos sentamos ali eu não tinha nada pra fazer ali naquela hora, Marcio e Rober resolviam as últimas coisinhas. Peguei um cacho de uvas em cima da mesa de frutas que havia ali e fui comendo, enquanto Luan arrumava o cabelo.

– Essa uvas são gostosas né? — Ele me olhou.

– São uma delícia! — Sorri.

– É.. mas são minhas! — Ele me olhou rindo.

– Estão muito boas. — O ignorei.

– Você me escutou?

– Não quero que meu filho nasça com cara de uva, deixa de ser pão duro, e deixa eu comer.. Ok?

– Ok madame Bittencourt! — Ele riu pegando algumas uvas. Ele colocou uma na boca e deixou metade pra fora, fui pra morder um pedaço e ele comeu tudo.

– Gordo você, nem deixou eu morder. — Fiz biquinho.

– O bicudinha. — Ele riu. — Vem cá vem, vou pegar esse morango aqui ôh! — Ele colocou como da outra vez a uva, e deixou eu morder um pedacinho e logo em seguida me deu um beijo.

– Hmm.. Que delícia! — Falei.

– O beijo ou o morango? — Ele riu.

– Os dois!

– O Luan! — Marcio entrou no camarim.

– E aí cara!

– As fãs já vão entrar.

– Ok, manda ver! — Márcio saiu do camarim e Luan me deu um selinho e foi pro seu lugar. Peguei minha câmera.

Luan atendeu suas fãs no camarim, organizei a imprensa, todos foram atendidos com antecedência, escolhi uma fã como todos os shows para ser a donzela e chegou a hora do show, o acompanhei até o elevador, e fiquei esperando a contagem regressiva segurando a sua mão. — Arrebenta mais uma vez amor! — E o beijei.

O show foi mais uma vez recorde de público, Luan foi muito bem como sempre, acabando o show todos estavam muito animados ainda. Luan disse que voltaria e fazia o show todo de novo. (‘:

9 de Março de 2014.

– Lice o que vamos fazer? Será aqui em casa mesmo e você enrola ele ok?

Eu e Bruna conversávamos pelo celular combinando uma festinha surpresa pro Luan, seu aniversário de 23 anos estava chegando. Eu me arrumava pra ir pra minha casa e Luan tomava banho, hoje ele iria conversar com meus pais.

– Ótimo Bru! Será assim.

– Ta bom qualquer coisa te ligo, beijo.

– Beijo!

– Ô Luan anda aí uai, tenho que tomar meu banho filho! — Bati na porta do banheiro.

– Eu gostava mais quando você me chamava de amor. — Ele riu abrindo a porta.

– Amorzinho da minha vida, vai se vestir vai! — Rimos.

Ele saiu do banheiro e eu fui pro banho, minha barriga já estava maiozinha, já dava pra ver um pouco. Tomei um banho não muito demorado. Me vestir.

 look_doce_vida_0a3eb

Saindo do banheiro Luan juntava suas coisas.

– Você já comprou meu presente? — Ele me olhou.

– Já amor. — Sorri. — Mas não vai ver o que é, só no dia!

– Ah não Licinha, assim não vale. — Ele ria.

– Claro que vale, é assim ou não é nada!

– Ui! — Ele caiu na risada.

– Bora, Luan! — Chamei-o da porta do quarto. Falei rindo: — Para de se arrumar, caramba! O piloto do biguço jajá desiste de esperar!

– Eu pago ele pra isso. — Ele ria me irritando.

– Luan Rafael. — Ele me mandou beijos e pegou sua bolsa, eu peguei a minha e descemos logo pra van.

Quando chegamos no aero porto, tinha tantos fotógrafos que me assustei. Os seguranças do aeroporto veio até o local e fizeram uma corrente, os reportes fizeram várias perguntas, uma atrás da outra, Luan respondeu.

– Luan essa história da sua ex namorada esteve com você hoje mais cedo? Vocês reataram o relacionamento?

– Cara a Alice que é a minha namorada, só ela.

– Mas a Alice está, esse filho é seu?

– De sangue não, mas é meu filho! — Ele sorriu, sorrir junto e saímos dali com uma certa dificuldade.

O biguço já nos esperava. Entramos e só depois que decolamos, Luan disse.

– Cara porque essa mulher tinha que aparecer hein? — Luan estava alterado.

– Ei vidinha, não liga ta bom? — Sorrir. Já eram quase seis da tarde.

– Por você eu ligo! Eu te amo. — Me deu um beijinho.

– Seu pai vai te buscar no aeroporto?

– Não. — Sorri. — Mandaram o motorista. — Dei um beijinho. — E fica tranquilo meu pai vai gostar de você.

– Espero. — Ele riu.

 Luan deitou sua cabeça em minha perna e ficamos conversando, depois de um tempinho ele dormiu feito um anjo. Ele mexeu um pouquinho e continuou dormindo. Fiquei a viagem inteira fazendo cafuné no meu anjo, vendo o rostinho dele de bebe..

Chegamos em Florianópolis e logo vi o motorista entramos no carro, olhei as horas sete e meia.

– Tá cansadinho, né meu amor? — Virei pro Luan.

– Sono mozinha. — Segurou meu queixo, me deu um selinho.

– Quando chegarmos lá em casa, você toma um banho e deita um pouco, meu pai ainda deve está na empresa. — Sorri.

– Ta bem.

Em quinze minutos chegamos no condomínio, quando paramos na porta de casa. Luan desceu e me ajudou a descer. Entrei na sala e chamei por minha mãe, Luan segurou minha mão, ela estava na cozinha. Puxei Luan junto comigo, ele estava nervoso. uhsuhaus’.

– Mãe! — Sorri e abracei. — Que saudades.

– Minha Alice, minha filha! — Ela me abraçou me dando um beijo.

– Mãe esse é o Luan! — Sorri.

– Prazer Luan, mas que genro bonito esse hein!

– Ah obrigado Stella. — Luan sorriu. — O prazer é meu viu sogrinha. — Ele riu.

– Mãe, vamos tomar um banho.

– Vão lá meus amores, vou terminar de fazer um bolo aqui pra vocês.

– Ta bom.

Subimos e Luan entrou no meu quarto.

– Sua mãe não parece ser sua mãe, muito nova ela amor!

– Ah todos falam isso! Falam também que parecemos irmãs. — Sorri.

– E parecem mesmo! Você nunca me disse você tem irmãos?

– Nossa é mesmo. — Ri. — Sou filha única amor. — Ele se mexia em tudo ali no meu quarto.

– Motivo de ser tão mimada. — Ele riu e veio me abraçar.

– Num sou mimada assim, tá? — Cutuquei ele.

Fui separar minha roupa pra mim tomar um banho e Luan foi até a sacada do quarto e voltou, sacudindo as mãos, como se tivesse visto um fantasma.

– Aí Lice! — Ele me olhou.

– O que é Lu?

Capítulo 25 — Caprichou hein!

Ele saiu do banho já vestido uma calça jeans rasgada nas pernas, sem camisa, a toalha jogada nos ombros e o olhei, ele sorriu.

– Então todos já sabem?

– Do que amor? — Ele vestia uma camisa.

– Do nosso namoro. — Sorrir.

– Ah ontem eu postei  foto! — Ele piscou.

– É eu vi aqui. — Continuei trabalhando.

– Tem algum problema? — Ele já arrumava o cabelo.

– Não claro que não Lu.. — Olhei as menções do Luan elas mandavam, “Felicidades, espero que dê certo…”. Sorri automaticamente vendo todos os comentários sobre o namoro.

– O que cê tá vendo aí? — Ele me olhou do espelho.

– Suas fãs são umas lindas sabe? E não é pouco!

– O que é? — Ele veio e se sentou do meu lado.

– Desejando felicidade pra gente. — O olhei.

– Que lindas, são os melhores do mundo! — Ele sorriu e pegou o notebook de mim. — Eu o olhava digitar.

Minhas neguinhas, bom dia!  Acho que caí da cama hoje! haha. Como cêis tão?”

“Hoje é nóis com as mineirada! Saudades demais das minhas neguinhas de minas, já já chegamos aí! rs.”

 

– Awn você trata elas tão bem Lu. — Sorri. — Eu acho esse amor lindo.

– Lezinha elas merecem muito mais. — Ele colocou o notebook na mesinha. — Mas eu quero um abraço, vem cá!

– Que menino manhoso. — Ri. E puxei ele pra um abraço.

– Tô carente Lezinha. — Ri novamente.

– Como é? Mas eu tô aqui uai. — Ele me olhou.

– Ainda bem se não.. — Ele riu. — Eu estaria quase endoidando. — Me deu um selinho rápido.

– Mais Lu?

– Ta fica calada, viu.

– Ta bom Luan Rafael. — Peguei o notebook novamente.

– O que cê tá fazendo aí?

– Olhando algumas coisas pro show. — Sorri. — Seu celular ta tocando. — Apontei pra cama.

– Vou atender. — Ele deu um pulo na cama, pensei que iria quebra-lá. Ri dele.

 

– E aí Testa! — Ele falou.

Continuei arrumando as coisas peguei minha câmera passei as fotos pro notebook e fui editando-as e colocando na page do Facebook.

– Testa já está vindo pra gente ir pro aero. — Luan sorriu.

– Pensei que iríamos mais tarde.

– Eu também.

Guardei minhas coisas e deixei tudo pronto.

– E sua mala já trouxeram Luan?

– Sim eu ontem deixei na central, Testa deve ter pegado mô. — Luan colocava um chinelo. — Tem problema se eu ir de chinelo? — Ele me olhou pensando.

–  Claro que não.

Rober buzinava lá em baixo, olhei da sacada. Peguei minha bolsa e Luan me ajudou com a mala.

– Esse Testudo apressado! — Luan riu.

– Daqui a pouco vocês dois começam a encher o saco. — Ri.

– Nós dois enchemos o saco? — Ele fez biquinho.

– Ahãm quando começam a implicarem um com o outro.

– Mas você não é fácil hein!

Havíamos chegado no Hall do hotel.

– Meu casal, a noite foi ótima né? — Rober zoou. — Eu sei! — Ele piscou.

– Cala boca Rober. — Ri. —  Me pegaram direitinho hein.

– Claro! A pelo jeito as meninas já sabem né?

– O mundo já sabe Rober. — Falei olhando Luan.

– Eu postei uma foto ontem e elas gostam da Alice, e já aceitaram!

– Algumas. —  Ri. — Bora então!

– Vamos!

Eu fui na frente junto com o Well acenei pras meninas e entrei na van. Logo veio Luan que abraçou elas, tirou fotos, conversou um pouco com elas e veio pra van.

– Parabéns ao casal! — Gutão disse.

– Ah obrigado. — Sorri.

 

3 horas mais tarde…

Pousamos no aero de Arcos – MG, e íamos andando conversando eu e o Rober. Anotando os horários de tudo.

– Mas cara eu tô numa fome! — Luan descia do biguço.

– Pensei que não ia sair daí de dentro. — Falei.

– A Lezinha qual é a hora que a gente come? — Ele fez bico.

– Agora! Vamos pro restaurante. — Sorri.

– Essa hora eu amo deveria ter toda hora! — Luan disse.

– Gordo.

– Obesa!

– Eu nem tô! — Ri.

– Cê tá é muito gostosa amor. — Ele falou em meu ouvido.

– Ah eu sei!

 

Fomos pro restaurante um almoço delicioso, não poderia deixar de ser frango com quiabo! Comida mineira a melhor! Hmmm… Luan comeu, e como estava com fome! uhasuhsa’ Depois de um almoço reforçado fomos pro hotel e lá fomos descansar, Rober foi pro local do show olha como ia o palco, eu iria um pouco mais tarde. Enquanto isso estava deitado um pouco com o Lu.

– Vida.. Me fala aqui. — Ele me olhou com uma cara de neném.

– O que amor? — O olhei.

– Sogrão é bravo? — Ele riu.

– Ah é um pouquinho viu. — Ri com a careta que ele fez.

– Vish! Agora a coisa fica séria, tem que ir lá né?

– É provável!

– Olha só não vai me deixar sozinho na sala com ele, hein!

– Você com medo é lindo demais. — Rindo. — Fica tranquilo meu pai é calmo.

– Ahãm calmo, imagino!

– Osh, é verdade Lu.

– Ta então quero ir lá quando tivermos uma folga, ta bom?

– Está ótimo. — Sorri, dei um selinho me levantando, pegando uma legue preta e a camisa da equipe.

– Vou falar bem baixinho que é pra você saber, sogrão caprichou na hora de fazer você hein. — Luan cantarolou.

– Ah é? — Ri.

– Oh se é muié!

Rimos.

– Onde você vai? — Luan me olhou com as sobrancelhas juntas.

– Trabalhar uai. — Sorri.

– Vai me deixar sozinho?

– Não, esqueceu que já já Gutão passa aqui pra vocês irem malhar.

– Ah mozinha, não vai!

– Eu tenho que ir ainda mais hoje, tenho que arrumar seu camarim. — Ele me puxou me fazendo cair na cama.

– Então ta bom, te espero mais tarde. — Ele selou nossos lábios. — Não pegue nada que prejudique o nosso filho, hein amor.

– Pode ficar tranquilo, tá? Vou me trocar. — Me levantei e fui me trocar.

Calcei uma sapatilha, amarrei o cabelo, peguei meus óculos de sol e minhas coisas também. Terminando Luan me olhou.

– Beijo meu amor.

– Beijo vida. — Dei um selinho demorado nele.

Desci e entrei no carro que me esperava fomos a caminho do parque de exposições. A fila já estava enorme, os fãs muitos ansiosos. Quando entrei no local peguei meu crachá e a banda também chegava.

 

– Ah quero saber tudo! — Marla me abraçou. — Parabéns pra vocês viu, eu que ajudei Luan a preparar. — Ela piscou.

– Awn Marlinha eu que agradeço. — Sorri. — Ah foi tudo ótimo sabe? Conversamos com calma, e tudo se encaixou.

– Felicidades pra vocês, merecem muito! E cadê ele?

– Ficou no hotel.

– Ah então vamos trabalhar.

– Bora, não podemos parar.

Cumprimentei o restante da banda e entramos, fui logo pro camarim do Luan, arrumei tudo lá suas roupas que já estavam ali, seus acessórios, arrumei tudo ali no camarim. Depois fui pro palco encontrei o Rober.

– E aí Alice o camarim?

– Já está arrumado. — Sorri. — Oi gente! — Acenei pros meninos que montavam o palco.

– Então se quiser já pode voltar pro hotel, já acabou mesmo. Daqui a pouco eu vou.

– Ta ok então! — Olhei as horas, eram cinco da tarde. — Até mais tarde!

– Até!

 

Voltei pro hotel quando desci na porta fui surpreendida pelos fãs que ali estavam.

– Alice é verdade mesmo o seu namoro com o Luan? — Uma delas perguntaram.

– Sim é verdade linda. — Respondi sorrindo. — Beijo pra vocês. — Acenei e entrei no hotel.

 

– Ah então você é a Alice?

 

 

 

Capítulo 24 — Momentos de nós dois

– Assim ó! Ouça bem tá cada versinho. — Ele sorriu e começou. — Tem dias que eu acordo pensando em você em fração de segundo vejo o mundo desabar, aí cai a ficha que eu não vou te ver , será que esse vazio um dia vai me abandonar? Tem gente que tem cheiro de rosa de avelã tem o perfume doce de toda manhã você tem tudo, você tem muito, muito mais que um dia eu sonhei pra mim, tem a pureza de um anjo querubim eu trocaria tudo pra te ter aqui… —  Ele  sorriu e continuou. — Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo o que você quiser e se você quiser, te dou meu sobrenome… —  Ele fechou os olhos e cantava o uôoo, era lindo de se ver, eu sorria como ninguém era como se não tivesse ninguém ali, era como o mundo parasse somente pra nós dois. — Tem gente que tem cheiro de rosa de avelã tem o perfume doce de toda manhã você tem tudo, você tem muito, muito mais que um dia eu sonhei pra mim, tem a pureza de um anjo querubim eu trocaria tudo pra te ter aqui… Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo o que você quiser e se você quiser, te dou meu sobrenome… Luan se levantou e se sentou em cima da mesa bem do meu lado e um pouco mais baixo ele continuou. — Eu troco minha paz por um beijo seu, eu troco meu destino pra viver o seu, eu troco minha cama pra dormir na sua, eu troco mil estrelas pra te dar a lua e tudo o que você quiser e se você quiser, te dou meu sobrenome. uôoooo, uôôoo, uôooo…

Ele terminou a música e os seus dedos percorriam pelas cordas do violão, ele me olhou sorrindo. Parecia que era automático, como conseguir parar de sorrir? Ele é um anjo sem asas, que Deus enviou pra mim.

– E aí será que essa vazio um dia me abandonará? Eu me sinto assim desse jeito como diz na música, Licinha eu te amo, eu quero cuidar de você, quero sentir seus toques, suas carícias, seus beijos, mas somente pra mim. — Sorrimos juntos. — Vou parar de enrolar tá? — Ele ria eu eu também. — Então, você aceita namorar comigo.. Alice?

Eu fiquei muito surpresa com tudo aquilo, jantar, música, declaração, beijos, eu estava quanto feliz por dentro e por fora. Por fora eu estava me segurando pra não sair pulando rs, por dentro eu pulava de tanta alegria, de orgulho desse guri.

– Eu aceito, eu quero ser sua namorada Luan Rafael. — Sorri ele já sorria também, me abraçou forte por alguns minutos, depois um beijo, outro e mais outro. Estávamos realmente muito felizes. Ele alisou meu rosto.

– Agora eu posso legalmente dizer, que Alice Bittencourt é minha, minha namorada. — Ela me abraçou me tirando do chão. Como meu vestido não era muito grande, quase me deixou sem roupa.

– Luan! — Ri. — Meu vestido, me solta. — Ele riu e puxou o vestido pra baixo.

– Mas gente não desce mais oiá! — Ele ria. — Essas roupas curtas, num sei pra que usam isso. u-u

– Pra usar uai. — Sorri.

Ele riu.

– Serei papai desse neném cuidarei dele como se fosse meu, e quero que ele me chame de papai. — Ele sorria.

– Awn meu amor. — Nos sentamos.

– Me chama de novo?

– Oi? — O olhei rindo.

– Me chama de amor de novo.

– Amor, amor, amor, amor, amorzinho. — Dei um selinho.

– Eu sou o homem mais feliz do mundo! — Me abraçou.

– Bobo demais.

Eu estava realmente muito feliz. Luan muito também.

– Posso servir o jantar?

– Claro. — Falamos juntos.

Jantamos conversando sobre tudo, nossas mãos se tocavam a todo momento. Era tipo automático, Luan sorria eu também sorria, era lindo tudo aquilo.

 

Depois desse jantar maravilhoso ficamos por mais um tempo ali brincando um com o outro, aproveitando esse momento de nós dois. Luan pediu pro garçom tirar algumas fotos nossas e depois nos despedimos. A praia estava deserta, as ruas estavam desertas, saímos do restaurante de mãos dadas, indo pra areia da praia. Tirei meu salto e levava nas mãos, Luan passou seu braço pela minha cintura e íamos andando abraçados pela areia,  corremos um do outro, aquela brisa do mar batia em meu rosto, aquele vento gostoso. Eu sair correndo na frente chutando a água na beira do mar. Luan veio correndo e me agarrou por trás me dando um cheiro no pescoço, me causando arrepios.

– Como pode ser tão linda? — Ele me olhou no fundo dos meus olhos.

– E você como pode ser tão perfeito? — Dei um beijinho rápido.

 

Voltamos pro carro e fomos pro hotel estacionei o carro dentro do estacionamento do hotel e entramos no elevador dali mesmo e fomos direto pro meu quarto. Quando girei a chave trancando a porta Luan me agarrou e me beijou e tirou meu vestido. Tirei a blusa dele e puxei-o para um beijo quente. Luan foi me empurrando pro meio da cama, direito. Ele começou a tirar minha roupa, e eu a dele, me jogou na cama, com carinho, e começou a beijar desde minha barriga, foi subindo, passou pelos ombros. Subiu pelo pescoço e mordeu minha orelha.

– Você é apenas minha, hoje e sempre. — Luan sussurrou, bem baixinho com um sorriso safado no rosto.

– Eu sou apenas sua, exclusivamente sua! — Eu arranhava as costas dele de prazer.

Luan estava super carinhoso e cuidadoso, alias era a nossa primeira vez. Me segurava com força em seus movimentos, mas ao mesmo tempo cuidadosamente. A cada vez que ele me dominava, me possuía, eu ficava mais à mercê dele. Luan me controlava totalmente. Me deixei levar pelos seus carinhos, eu enlouquecia com seus movimentos. Eu estava suando, e mordia ele em vários lugares. Luan se arrepiava, beijava cada parte do meu corpo, dava leve mordidas! omg. Por ter sido nossa primeira vez foi tudo ótimo, minha melhor noite que tive. Ele continuava a me dar vários beijinhos, depois de um bom tempo nos amando, acabamos nos cansando, mds. Que noite M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!

 

Acordei no outro dia antes do Luan, ele dormia feito anjo.

E essa carinha de bebê? Era a coisa mais linda. Dei um beijo em sua cabeça e me levantei devagar. Fui ao banheiro prendi o cabelo, lavei o rosto, escovei meus dentes, me olhei no espelho novamente, me lembrando da noite passada, como foi lindo! Parecia mais um sonho, mas que agora era a realidade. Sair do banheiro e fui até a sacada do quarto estava um dia ensolarado, vi que lá embaixo tinha algumas fãs a espera do Luan. Voltei pro quarto liguei pro serviço de quarto e pedir que trouxessem um café da manhã bem reforçado pro quarto. Fui pro banho por enquanto, me vestir.

Photo15

Fui pro quarto bateram na porta peguei o café da manhã, quando me virei.

– Já de pé coisa linda? — Luan falou se espreguiçando.

– Oi meu anjo. — Sorri. Ele se sentou na cama e eu coloquei a bandeja ali na cama. — Dormiu bem?

– Hnnn. — Ele se espreguiçou e me puxou me dando um beijinho. — Toda cheirosa, oiá só!

– De banho tomado já. — Sorri. — Pedi um café da manhã pra gente.

– Então vem, vamos comer porque meu filho deve está com fome. — Ele sorriu.

Luan queria assumir o meu filho. (‘:

Começamos a tomar nosso café da manhã com torradas, frutas, pães de queijo, sucos, estava maravilhoso. Conversávamos, aquelas risadas do Luan, awn me matava! Depois de um café super reforçado, Luan me deu um beijo e se levantou pro banho. Eu fui dar uma olhada nas coisas pra hoje, que eu e Rober estávamos no comando, rs. Quando entrei no twitter do Luan vi uma foto que ele tinha postado no instagram uma foto nossa no restaurante. Oo

Minha linda, minha namorada, eu te amo minha Alice ❤ @alicebittencourt”