Capítulo 72 — Lua de Mel

– O que é Luan? — O olhei.

– Meu celular ficou no táxi.. ai não!

Ele me olhou.

– É se eu não pegasse, iria ficar mesmo! — Eu ri dele. — Aqui. — O entreguei.

– Muié você não fala nada! Não faz isso. — Ele fez uma careta.

– Pegando o boi que eu peguei. u-u — O empurrei. — Anda!

– Obrigado mozinha. — Ele virou e me deu um beijinho. Fomos na recepção pegamos nossa chave. Subimos para o quarto, era muito bem decorado o  quarto. Eu estava de costas pro Lu, quando sentir uma mão sobre minha cintura.

– Vamos aproveitar?  Tipo assim, você está pronta? Por que o Meteoro está. u-u

– Pronta eu estou, mas nem um banho primeiro? — Eu ri.

Luan me virou pra ele, segurando meus cabelos foi beijando meu pescoço. Acho que isso foi um não! Ele veio igual um leão, me segurou pelos cabelos me imprensando na parede com força. Beijava meu pescoço me dando vários chupões me fazendo arrepiar, eu gemia baixinho em seus ouvidos. Dei uma mordida de leve em sua boca, e outra na pontinha da orelha, ele me segurou firme pela cintura, me presando com mais força, passou a mão no meu rosto, retirando minha franja que caia, beijou minha testa, foi descendo, passou pelo nariz, e parou na boca. Que saudades que estava daquele nego! Ele riu me olhou safado. — Você que provocou agora aguente. — Foi me beijando indo para o nossa cama, foi tirando minha roupa e eu a dele devagar. Ele  beijando meus ombros. — Eu te amo. — Sussurrou em meu ouvido. Quando dei por mim já estávamos nus.. Me virei agora eu estava por cima do Luan o beijando e o provocando mordendo seus lábios. Luan bombava com força mais tudo foi perfeito, ambos suavam como nunca, eu dava leves arranhões na nuca dele, nas costas. Ele apertava meu bumbum com uma certa força. Tudo foi lindo, mágico , muito bom, eu estava morta de saudades desse nego. Depois de cansarmos, E sem esperar que eu falasse algo ele me beijou. Um beijo quente, gostoso. Apaixonado. Amante. Luan o finalizou com vários selinhos, deu um beijo em meu rosto, segurou-o com ambas as mãos e me olhou nos olhos com firmeza. — Noite maravilhosa, gatinha. — Ele piscou.

– Melhor que essa só outra. — Sorri.

– Repeteco então? — Luan subiu por cima de mim, novamente. — Só se for agora!
Sim! Tivemos o repeteco. Preciso nem falar que foi a noite dos sonhos né? Lua de Mel completa! Rs.
No outro dia acordei e Luan não estava na cama, ouvir o barulho do chuveiro. Ele tomava banho. Peguei meu celular e mandei mensagem pra Bruna avisando que já havíamos chegado e que não deu pra avisar. Rs! Depois entrei no twitter um pouco e postei.
“Oi neguinhas, tudo bem com vocês? Bom dia!”
“Saudades que eu estava de entrar aqui..”
Perguntavam onde estávamos, mas não poderia contar. Afinal, já já elas descobririam, essas são do FBI! Rs.
Saudades da minha pequena!”
Vou me levantar, posto fotos depois pra vocês viu? Amo vcs!”

Coloquei meu celular em cima do criado e me levantei pegando as roupas que estavam espalhadas  pelo quarto,  a noite? Ahh a noite, tinha sido perfeita! Escutei a porta do banheiro se abrir, Luan saiu todo arrumado já. Bermuda preta, camiseta branca, chinelo nos pés e o boné na cabeça.

– Bom dia môor. — Sorrir.

– Bom dia princesa! — Ele me abraçou. — Você acabou comigo essa noite amor.

– Ué você que quis repeteco! — Eu ri, ele fez uma carinha safada e mordeu os próprios lábios.

– Mas você viu o estado das minhas costas? — Ele me olhou.

– Deixa eu ver!

Ele virou de costas ele estava todo arranhado. u-u

– Desculpe amor, mas olha meu pescoço dos dois lados! — Mostrei ele. — Dois chupões que o Sr, mesmo deu.

– Eu? — Ele riu.

– Não Luan, outro! — Ri. — Idiota!

– Linda.

– Gordo.

– Gostosa.

– Delícia!

– Então me come, se eu sou delícia. — Ele riu.

– Sai Luan! — O empurrei. — Quero um banho!

– Posso tomar outro com você, não há problema.

– Mas você tá impossível! — Rindo, entrei no banheiro.

Tomei meu banho e me vestir.

IMG_0760

– Quero mar, praia, sol, areia. — Falei. — Borá!

– Água de coco, também hein! — Luan disse pegando o celular.

– Amo! — Sorrir. E sair na frente dele.

– Ô pescoço chupado, espera eu! — Ele disse.

– Luan nem vou falar nada, rum. — Fingir está séria.

– Eu que não falo nada pra você, minhas costas estão acabadas.

– Te amo Lu!

– É né? — Ele riu.

– É uai. — O avaliei. Aqueles braços, o peitoral, respirei fundo e disse. — Você não parece um homem casado..

– Por quê? – Luan franziu a testa. Paramos da porta do hotel, que era de frente a praia. — Fala. Tomar cuidado por quê?

– Tantas mulheres de biquíni por ai. Corpão e tal. — Ele ia protestar. Falei mais alto e continuei. — E você lindo, sarado, gostoso assim. Elas vão cair matando em cima de você. — Dei de ombros.

– Mas minha mulher tem corpão também olha só! — Me fez da uma voltinha. Eu ri. — Não tem uma mulher mais bonito, gostosa, delícia do que você aqui. — Ele me deu um selinho e saiu na frente me puxando.

Atravessamos a rua e já estávamos na areia.

– Hnnnnn que delícia. — Disse apontando aquele mar maravilhoso, azul cristalino.

– Borá dar um mergulho?

– Vamos vida! — Tirei aquele vestido e fiquei de biquíni.

images (13)

– Que isso novinha, que isso. — Luan falou e segurou minha mão, me fazendo dar um voltinha. Fiquei rindo. — Minha muié é gostosa demais! — Me deu uma juntada e depois um beijo.

– Borá pro mar então uai. — Luan já ia.

– Não! — Ele me olhou.

– Oxê, por que não?

Anúncios

Capítulo 71 — Havaí

Mas tarde na nossa casa, acordei antes do Lu. Olhei pra ele dormia feito um anjo, olhei pras nossas mãos nossa aliança, era linda! Me levantei sem fazer barulho nenhum e vestir meu roupão. Fui no banheiro lavei meu rosto, escovei os dentes e fiz um coque nos cabelo no cabelo. Passei pelo quarto e fui no quarto em frente da Clara, que também dormia. Desci e fui pra cozinha, lá já estava D. Nené preparando nosso café.

– Bom dia Nené! — Sorrir.

– Bom dia! Ontem estava linda maravilhosa, mas como sempre foi né? Parabéns viu?

– Ah D. Nené obrigado, estou muito feliz viu?

– E é pra estar mesmo ué, suas malas de vocês estão prontas, ok?

– Ahh, obrigado Nené. — Me sentei na mesa e fui tomar meu café.

– Vou subir separar a roupa da Clara pra ela tomar banho. — Ela disse.

– Ahh, tudo bem.

 

Passou uns minutos minutos Luan apareceu.

– Bom dia meu amor. — Me deu um selinho.

– Bom dia Lu! — O olhei ele já havia tomado banho.

– Dormiu bem? — Ele sorriu se sentando de frente pra mim.

– Melhor impossível! — Sorrir. — E você?

– Ficaria melhor se a gente tivesse começado a nossa farra mas cedo, mas tudo bem. — Ele riu safado.

– Ai você não muda hein! — Ri.

– Bom dia Sr. Luan. — Nené entrou na sala de jantar com Clara arrumada.

– Bom dia Nené! — Luan disse. — Mas muié pelo amor de Deus, nada de Sr. — Ele riu. — Sou muito novo! Só Luan, ok?

– Ok! — Ela riu. — Alice sua princesinha já está pronta.

– Ei meu amor. — Peguei Clara. Ela olhava a casa e só a gente ali, parecia estranhar.

– Princesa do papai. — Luan brincou com ela.

Nené trouxe a mamadeira de Clara. Enquanto conversávamos sobre a Lua de Mel Clara mamava. Clara ficaria na casa dos meus pais junto com Nené, durante essa semana que vamos pra Lua de Mel. Subir pro quarto com Luan e Clara.

 

– Lu olha ela, vou pro banho.

– Ta bom Li. — Luan pegou Clara e foi brincar com ela na cama.

Tomei um banho bem gostoso, lavei meus cabelos, me vestir.

2749100_Meu_look_blusa_de_tricô

 

– Mô Neto enviou uma foto nossa pro meu celular. — Luan disse.

– Ah quero ver! — Falei.

Luan já havia postado a foto, que ficou linda. (‘=

luan e lice

                                   “O que Deus une nada e ninguém pode separar.. Te amo Licinha @alicebittencourt.”

– Que perfeita! — Sorrir.

– Não da pra acreditar que casei com a mulher da minha vida. — Ele sorriu se aproximando nossos rostos. — Eu amo você! — Ele me deu um selinho, outro e mas outro e emendou logo num longo beijo. Clara impaciente começou a chamar Luan. Ele parou de me beijar com as nossas testas ainda coladas ele sorriu, e me deu um outro selinho. — Linda!

– Obrigado por tudo viu?

– Por tudo? — Ele pegou Clara e me olhou novamente.

– Sim, por tudo.. por me fazer a mulher mais feliz do mundo! — O abracei.

– Eu tenho duas pedras preciosas na minha vida. Eu amo vocês.

– Amo muito mais! — Sorrir.

Ficamos ali alguns minutos terminando de pegar algumas coisas, logo descemos.

 

Campainha tocou, atendi.

– Viemos buscar nossa netinha. — Sorrir. Era minha mãe.

– Bença mãe, pai. — Eles me abraçaram.

– Já estão prontos para irem? — Meu pai nos avaliou.

– Sim sogrão. — Luan disse. — Apenas esperando vocês mesmo.

– Mãe você sabe como cuidar dela, a Nené também. — Sorrir. — Quando a vovó Marizete quiser pega-lá pra passear, ou passar a noite lá, pode! E mais qualquer coisa liga pra gente, que voltamos.

– Ei minha filha, fica tranquila. Viagem tranquilos aproveitem!

– Obrigado. — Sorrir.

– Então vamos? — Meu pai chamou.

– Vamos. — Minha mãe disse. — Vamos Stella?

– Vamos!

– Filha mamãe quanto menos você esperar ta de volta tá? — Falava com Clara, ela me olhava atenciosamente. Como se entende-se algo. — Eu te amo princesinha da mamãe, olha obedece os vovós ta bom? — Dei um beijinho longo e demorado nela. — Linda.

– Tchau minha pequena Deus te abençoe, amo você! Vou sentir saudades da pequenina do papai. — Ela sorriu. Luan a beijou. E entreguei ela minha mãe. — Obrigado por ficarem com ela! — Luan sorriu.

– Ah que isso meu Genro! — Meu pai disse abraçando o Luan, depois a mim. — Boa viagem pra vocês viu?

– Obrigado. — Respondemos juntos.

– Que Deus abençoe a viagem de vocês. — Minha mãe sorriu, me abraçou e foi.

Eles foram.

– Já estou com saudades da minha filha. — Eu fiz biquinho. E Luan riu.

– Só uma semana! — Luan me abraçou. — Vamos?

– Borá! Havaí ai vamos nós!

– Pera amor, uma fotinha pras minhas neguinhas.

Luan me puxou pra frente do espelho que tinha ali me abraçou por trás, sorrimos pra foto.

Enquanto Luan postava a foto, fui pegar minhas coisas. Escutei a buzina já era o Well que ia levar a gente pro Aeroporto. Pegamos tudo, fechamos a casa e entramos no carro. Durante o trajeto fomos conversando,  quando chegamos lá estava lotado de fãs. Luan atendeu o máximo que pode. E entramos pra uma sala, Well se despediu e voltou.

– Quantas neguinhas, ô Loco meu! — Ele riu.

– Tem uma marquinha de batom ai no seu rosto, olha. — Sorrir.

– Deixa eu ver.. — Ele pegou o celular e via o próprio reflexo. — Isso que é amor!

– Bobo! — Risos.

– Sabe o que eu acho lindo, amor? — Luan me olhou.

– O que? — O olhei.

– O jeito que você trata minhas fãs, não sente ciúmes, deixa elas aproveitarem o momento delas e ainda ajuda! — Luan sorria de orelha a orelha. — Eu amo isso!

– Sabe o que eu penso? É que eu posso estar todo momento ao seu lado, aproveitando nosso momento. Na hora que elas estão com você esse  é um momento delas, seus. De um ídolo para uma fã! Acho isso muito importante, e lindo é o jeito que você trata todas elas. Espero que nunca mude, viu? — Ele sorria, enquanto eu falava.

– Ah coisa mais linda da minha vida. — Me abraçou.

Escutei a chamada, o voo sairia daqui dez minutos. Seguranças vieram e logo entramos no avião, me sentei na janela e Luan ao meu lado.

– Saudades da minha pequena, moor. — Fiz biquinho.

– Eita muié manhosa. — Ele sorriu. — Eu também, mas ela está com os avós pensa.. está ótima!

– Com certeza! — Sorrir.

Foram 10 horas de voo até o Havaí. O avião pousou eram nove da noite, afinal tem as diferenças de horários. Descemos pegamos nossas malas na esteira e fomos atrás de um táxi.

– É nós no Havaí! Que chiqueza! — Luan ria.

– Besta você hein. — Eu parava um táxi.

– Que isso muié, hoje iremos aproveitar. — Ele me deu um cheiro no pescoço, me fazendo arrepiar.

– Ta mas sossegue, que é no Hotel. — Ri.

– Ui ui. — Ele riu.

Entrei no táxi e ele logo em seguida. Pedimos o taxista pro taxista.

– Para o Hotel Honolulu, por favor?

– How?

– I’m sorry, I thought you were Brazilian. For the Hotel Honolulu, please? — Sorrir.

– Yes!

– Oi? — Luan ria.

– Ele é americano Lu. — Ri baixinho.

– E desde quando você fala Inglês?

– Desde sempre. — Sorrir, e dei um selinho.

– O que mais não sei sobre você?

– Não sei. — Ri.

Em minutos o táxi parou.

– Arrived! Are-welcome to the USA! Enjoy it. — Ele sorriu.

– Thank you! Let’s enjoy this wonderful city!

Pagamos e logo saímos do táxi. O Hotel era a coisa mais linda! Nossa! Quando íamos entrando, Luan levou a mão no bolso.

– Ahh não! — Ele me olhou.

Capítulo 70 — Minha vida

– Não estou mas aguentando ficar com esse vestido, ta muito calor! — Me abanei.

– Opa, vamos lá! — Fomos saindo entre meio os convidados e Luan me puxou.

– Onde você vai?

– Trocar o vestido Lu! — Sorrir.

– Ta bom. — Me puxou e me deu um selinho.

– Vamos? —  Bruna me puxou, eu ri. —  Tenho um presente pra você.

– Presente?

– Ahãm! Espero que você goste! — Entramos no quarto onde estavam minhas coisas, e Bru logo me entregou uma sacola.

– Ah obrigado Bru. —  Sorrir e a abracei. E comecei a abrir, era um vestido branco, curto lindo! —  Ameeei! Obrigado Bru.

– Awn que bom!

– Vou vesti-lo! —  Sorrir.

Comecei a me trocar, quando terminei estava assim.

1521965_484773978305775_1697072062_n

Calcei meu salto novamente e a porta se abriu.

– Oi..

– Oi Mar! —  Sorrir. —  Que bom que trouxe Clara vou trocar a fralda dela e esse vestido também. Ei amorzinho da mamãe.

– Nossa que arraso de vestido! —  Ela sorriu.

– Presente da Bru! —  Dei uma voltinha. —  Gostou?

– Amei! Bruna tem ótimas escolhas né?

– Ah obrigado Marla.

Troquei minha pequena e a vestir.

vestidos-de-criança-rosa-e-marrom

– Será que a mamadeira dela está boa ainda? — Olhei pra Bruna.

– Deixa eu ver! —  Pegou. — Ta morna.

– Ótimo! —  Sorri pegando com a Bruna, e saímos do quartinho. Quando voltamos pra festa, Bruna foi pra perto de Breno e Marla pra perto do marido.

Fui até o Luan, ele estava conversando com Lucas Lucco e uns outros amigos.

– Oi gente! —  Sorrir.

– Oi Alice. —  Lucas sorriu. —  Parabéns viu pra vocês! Que sejam muitos felizes.

– Ahh obrigado Lucas! —  Sorrir. —  Vocês me emprestam o Lu um pouco? —  Sorrir.

– Opa claro, fica  a vontade! —  Eles riram.

Nos afastamos.

– O que achou? —  Dei meia volta com a Clara. Sorrindo. — Como estamos?

– Vocês estão gatas, maravilhosas, mulheres da minha vida! —  Sorriu. —  Só acho que o seu vestido deveria ser do tanho do comprimento da Clarinha. —  Ele riu.

– Só que não, né Luan! —  Ri.

– Tô falando sério, deveria ser vestidão. — u-u

– Bobo! —  Sorrir. —  Vou amamentar a Clara.

– Vou com você! —  Ele saiu na frente e se sentou numa mesa ali, me sentei em seguida. —  Amanhã uma hora dessas estaremos, no Havaí! —  Luan sorriu. —  E depois um lugar surpresa! —  Ele piscou.

– Surpresa? Hmm.. O que é? —  Sorrir, enquanto Clara mamava toda mamadeira.

– Ué mô, o nome já diz.. surpresa! Então não falarei.

– Você hein! —  Eu ri. —  Nossas coisas já estão na nossa casa né?

– Sim! Eu e meu pai levamos, tudo! Nossas roupas, da nossa pequenina! —  Ele mexeu nos cabelos de Clara. —  Você tava uma princesinha entrando no casamento, minha pequena.

– É e daqui uns anos será ela entrando, mas no próprio casamento! —  Eu sorrir.

– Pirou é? —  Ele bebeu um pouco da taça de champanhe.

– Uai é a verdade! —  Sorrir.

– Só depois dos trinta! —  Ele nos olhou.  Clara ria.

– Seu papai é doido filha, piradinho. —  Ri. — Lelé da cabeça!

– Lelé mamãe? —  Ela dizia. —  Lelé.

– Ah é! —  Luan pegou Clara e começou a enche-lá de cocegas. Coitada da minha pequena! Ela dava altas gargalhadas.

– Ela vai vomitar em você, depois não reclama! —  Eu ri. Ele me olhou tentando entender. —  Ela acabou de mamar Luan!

– Pelo amor de Deus filha, não vomite! —  Luan riu parando.

– Ta tudo pronto lá Luan! —  Juliano sorriu.

– Opa! Já vou. —  Luan me deu um beijinho.

– Epa! Onde? —  Ele virou pra mim.

– Você já já, vai saber. —  Ele sorriu deu um outro beijinho e saiu atrás de Juliano.

– Alice! —  Minha mãe sorriu.

– Oi mãe? Deixa eu pegar a Clara.

– Ah obrigado! —  Sorrir. —  Vou ali conversar com as primas do Luan que ainda nem pude conversar. Sair dali.

 

– Ah Lice ta gata. — Camila, prima do Luan.

– Obrigado Mila. — Sorri. — Você ta arrasando hein!

– Sempre. — Ela me olhou. — O que o Luan ta fazendo ali? Sentado.

Luan estava num canto com a Banda. O olhei e ele sorria.

– Olha gente não sei. — Ri.

– Ahh eu sei! — Bruna riu.

– Aí meu Deus. — Comecei a rir e fui até a sogra e os parentes, conversei um pouco e Luan falou.

– Tudo pronto?  — Ele olhou a galera da banda e depois pra mim. — Então galera, amigos, família, queria homenagear a mulher que entrou na minha vida tão assim, de repente. — Ele me olhou sorrindo.

Olhei todos comiam bebiam, se divertiam muito e era o que eu queria mesmo. Todos comendo do bom e do melhor. Garçons trabalhando tudo normal e tudo estava ocorrendo muito bem. Voltei a olhar o Luan e todos também prestavam atenção.

– Ela veio no momento certo em minha vida. Há coisas que acontece na vida da gente, que marca pra sempre né? E como eu digo Lembranças que temos ficaram guardadas eternamente, em nossa vida. — Ele sorriu. — Hoje posso dizer que é mais um dos melhores dia que pude viver, estar casado com a pessoa que eu amo. A que eu escolhi pra ser mãe dos meus filhos, que já me deu uma princesa linda. Alice Bittencourt Santana, saiba que eu te amo mais que tudo nessa vida, e que daqui pra sempre, não será você e eu e nossos filhos, seremos nós. Uma família abençoada por Deus. Agradeço a Deus por eu ter cruzado o seu caminho. — Ele apontou pros meus pais. — Agradeço o sogrão por ter caprichado viu? — Ele riu, todos riram juntos. Palhaço, meu Deus! (‘=. — Eu te prometi amor eterno e isso você e nossos filhos terá que teremos mas pra frente. Eu te amo Lê, eu te vivo, eu te respiro, e viveremos assim como diz o padre Miguel na igreja, até que a morte nos separe!

Aquelas palavras me deixaram imóvel. Eu estava emocionada, sorrindo de orelha a orelha. Olhei pra ele que também sorria, ele me chamou. Quando olhei todos ali me olhavam, alguns choravam outros sorriam. E ele voltou a falar. Eu cheguei perto dele, ele segurou minhas mãos e disse.

– Ei mô! Não chora. — Ele riu. — Eu nem acabei! — O Pexola começou a tocar o piano. E Luan a cantar. — Horas vão passando dias, meses, anos, e o que era nada vai virando relação. Desde que eu te vi daquela noite abri a porta da sala de estar do coração. Te conhecer valeu, me completou, preencheu o espaço em mim que era do tamanho seu. Se tudo tem seu preço talvez o endereço a felicidade coincidiu com o seu e o meu. Quantas vezes chorei com meus problemas, mas vi em você a paz nos longos telefonemas se não fosse sentimento verdadeiro, a gente não daria certo. Meses a fio sem o calor de um abraço, mas na distância o vazio não desatou nosso laço quando a gente ama sempre dá um jeito de se ver, de estar por perto. — Ele cantava olhando pros meus olhos. — Havia um porquê, um longo querer que dava nome a nossa história, eu e você! Eu e você…… Quero envolver-te com meu amor, quero dizer-te que feliz estou, o mundo tem que saber Deus te fez pra mim, me fez pra você. Valeu todas as lutas que passamos juntos. Chegou o dia que a gente sonhou da nossa alegria, que nos realizou atitudes falam mais que palavras, bem mais do que planos e hoje eu te levando pro altar estou dizendo te amo…. Solo do piano e Guitarra violão, a banda inteira. Sim eu estava chorando. Havia um porquê, um longo querer que dava nome a nossa história, eu e você! Eu e você….. Quero envolver-te com meu amor, quero dizer-te que feliz estou, o mundo tem que saber Deus te fez pra mim, me fez pra você, valeu todas as lutas que passamos juntos. — Marla e Karielle cantavam a voz do fundo.  Chegou o dia que a gente sonhou da nossa alegria, que nos realizou atitudes falam mais que palavras, bem mais do que planos e hoje eu te levando pro altar estou dizendo te amo… Te amo. (Música – Eu e Você – Fernando Zor).

– Eu te amo. — Eu disse.

– Olha  Deus te fez pra mim, me fez pra você. — Ele sorriu. — E eu não vivo mais sem vocês. — Ele beijou minha mão. E depois me olhou. Testa gritou.

– Param de enrolação! — Ele riu. — Beijem logo!

– Cala boca Testa! — Luan gritou e riu. Todos riram.

– Aí Lu cara eu te amo. — Minhas enxuguei as lágrimas. — Eu te amo! — Ele me beijou e todos aplaudiram.

– Obrigado por tudo Licinha.

Sorrimos. Era a hora de  partirmos o Bolo!

Luan e eu fomos pra trás da mesa do bolo e seguramos juntos e partimos um pedaço. Neto bateu as fotos. Logo pedir os garçons pra servir os bolo. Estava realmente muito bom! Mas agora faltava só mais uma coisinha.

– Gente não pode faltar o brinde aos noivos. — Minha mãe sorriu.

– Claro que não pode. — Falei já pegando minha taça.

– Então um brinde ao nosso amor, um salve pro destino. — Luan cantarolou.

– Um brinde!

Luan e eu bebemos o copo e bateram mais algumas fotos. Hora da falsa dos noivos. Bruna me olhou e olhou o Luan.

– Pra pista de dança. — Ela riu.

– Ok! — Fomos .

Começou a tocar uma música lenta, Luan esticou a mão me fazendo segurá-la, e me puxou para o centro da pista de dança, segurou firme a minha cintura olhei pro chão, depois pra ele.

– Não pise nos meu pés. — Zoei baixinho e rimos.

– Sei dançar muié.  — Rimos.

A música da valsa era “Christina Perri – A Thousand Years”.

Ele foi me conduzindo dessa vez, um passo pro lado, depois pro outro, arriscamos umas voltas, parecia que estávamos flutuando… Eu estava extremamente muito feliz. Eu esqueci que estávamos no meio de todo mundo, coloquei meus braços pelo seu pescoço, coloquei a cabeça em seu ombro. Luan também fez o mesmo e me abraçou pela cintura.

– Minha vida. — Ele disse.

Capítulo 69 — Marido e Mulher

Ele estava lindo, perfeito, maravilhoso, lindo, lindo! De terno todo preto, camisa branca por baixo, gravata preta também, lustrosa. Ele ainda não tinha me visto, continuei centrada nele. Reparei também os cabelos recém cortados, e ele esfregava as mãos de nervoso. Eu sorria pra não chorar. Olhei a Manu indo na minha frente jogando as pétalas de rosas brancas pelo chão.  Quando ele finalmente me olhou, ele abriu um sorriso perfeito, seus olhos brilhavam. Minha vontade e de me soltar do meu pai e ir correndo até o Luan. O sorriso do rosto dele permanecia, ele parecia me olhar por inteira. Sim! Eu estava indo pro meu Destino, minha vida!

Todos os convidados se levantaram  e me olhara sorrindo, eu sorria em uma forma de agradecimento. Meu coração acelerado, eu estava realmente nervosa com medo de tropeçar no meu vestido, nunca vi uma entrada tão longa, quanto essa. Vi Luan comentar algo com Bruna. Eles me olharam novamente e sorriram, os fotógrafos tirara  fotos que meus olhos ardiam com os Flashes! Olhei meu pai ele sorria, quase chorando também ao meu lado. Por um momento parei pra reparar toda a decoração, as luzes que iluminavam tudo ali. Olhei pra ele novamente e olhei minha mãe lá na frente, ela chorava. Quando vi paramos, juntamente conosco a música. Nessa altura, meu coração já estava em 1000000 por hora. Luan veio em nossa direção, segurou a minha mão, que estavam geladas por sinal e me puxou pro seu lado com delicadeza. Logo em seguida, cumprimentou meu pai.

– Êhh! Rapaz cuida bem dela, hein? Se não..  — Sorriu meu pai ao falar.

– Deixa comigo sogrão! — Luan sorriu e me olhou. Meu pai se virou, e foi se juntar à minha mãe.

Não sei realmente quem tremia mas.. Eu ou o Luan? Meu Deus ‘-‘. Ele me conduziu até a frente do altar e nos olhamos por alguns instantes, nosso olhar descrevia todo aquele momento, não precisava de uma palavra dita, ou algo comum. Era só nosso esse momento! Luan segurou minhas mãos entre as suas e deu um beijo em uma delas. Nos ajoelhamos e Luan me ajudou com o vestido. Bruna veio e pegou o buquê.

Então Padre Miguel, começou a falar.

– Estamos aqui todos reunidos com, padrinhos e madrinhas, parentes e amigos. Sejam todos bem vindos. Estamos aqui para consagrar a união de Luan e Alice. — Luan me olhou e sorrimos. — Em nome do pai, do filho  e do Espirito Santo. — Fizemos os gestos. — Amém. —  Noivos caríssimos, viestes à casa da Igreja para que o vosso propósito de contrair Matrimônio seja firmado com o sagrado selo de Deus, perante o ministro da Igreja e na presença da comunidade cristã. Cristo vai abençoar o vosso amor conjugal. Ele, que já vos consagrou pelo santo Batismo, vai agora dotar-vos e fortalecer-vos com a graça especial de um novo Sacramento para poderdes assumir o dever de mútua e perpétua fidelidade e as demais obrigações do Matrimônio. Diante da Igreja, vou, pois, interrogar-vos sobre as vossas disposições.

Ele olhou pra nós dois e começou.

– Luan Rafael e Alice Bittencourt, viestes aqui para celebrar o vosso Matrimônio. É de vossa livre vontade e de todo o coração que pretendeis fazê-lo?

– Sim. — Nos olhamos e sorrimos.

– Vós que seguis o caminho do Matrimônio, estais decididos a amar-vos e a respeitar-vos, ao longo de toda a vossa vida?

– Sim. — Respondemos novamente.

– Estais dispostos a receber amorosamente os filhos como dom de Deus e a educá-los segundo a lei de Cristo e da sua Igreja?

– Sim estamos. —  Eu já chorava.

– Uma vez que é vosso propósito contrair o santo Matrimônio, uni as mãos direitas e manifestai o vosso consentimento na presença de Deus e da sua Igreja. Pode entrar com as alianças. — Nessa hora olhamos pra trás, lá estava minha pequena eu chorava emocionada, ela vinha andando devagar ela parava pra tirar fotos. Uhaushaus! Luan me olhou sorrindo, quando ela chegou perto de mim abaixei pertinho dela e pegamos a caixinhas das alianças, demos um beijo na Clara e Bru pegou ela.

Eu e Luan unimos  as nossas mãos direitas.

– Eu Luan Rafael Domingos Santana, recebo-te por minha esposa a ti Alice, e prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias da nossa vida. — Ele colocou nossa aliança em nossas mãos, era linda. — Até que a morte nos separe! — O olhei sorrindo. E ele beijou minha mão. — Eu te amo. — Ele disse baixinho.

– Eu Alice Bittencourt recebo-te por meu esposo a ti Luan, e prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias da nossa vida. — Coloquei nossa aliança em seu dedo, sorri e dei um beijo. — Até que a morte nos separe! — Ele sorriu, e uma lágrima saiu em teu olhos. Enxuguei delicadamente. E nos viramos pro padre.

– Confirme o Senhor, benignamente, o consentimento que manifestastes perante a sua Igreja, e Se digne enriquecer-vos com a sua bênção. Não separe o homem o que Deus uniu.  Bendigamos ao Senhor. — Padre Miguel nos olhou. — Eu vos declaro marido e mulher, rapaz pode beijar a noiva. — Não precisava nem falar foi um beijo diferente, mais forte que todos, mais intenso que ele me deu, foi especial, incrível de uma tal forma que nem sei explicar, nossas lágrimas se misturaram quando nossos rostos se colaram um ao outro. Todos aplaudiram e gritavam, “Vivam os noivos”. Paramos o beijo e olhamos para nossos padrinhos, amigos e convidado. Sogra só chorava e minha mãe também, Bruna sorria. Meu pai sorria também. Olhei pro Luan novamente e o padre falou.

– Vamos para benção final? — Ele nos olhou.

– Sim, sim vamos! — Falei.

– Que vocês sejam muitos felizes ao longo desses anos. Até os os últimos dias da suas vidas. Luan e Alice estão oficialmente casados e consagrados na presença de Deus. E irem em paz e que Deus vos acompanhe.

– Demos graças a Deus. — Todos nós juntos respondemos.

Luan se levantou me olhou e sorriu. Me abraçou fortemente e eu fiz o mesmo. Quando vi eu já chorava novamente. Alisei o seu rosto.

– Minha vida. — O abracei. O beijando. — Te amo viu?

– Minha esposa, eu amo muito mais. Você ta perfeita nesse vestido. — Ele sorriu e me olhou sapeca. Chegou no meu ouvido e sussurrou. — Mas prefiro você sem ele!

– Luan! — Dei uma tapinha no seu ombro, rindo.

Os fotógrafos continuavam a tirar as fotos. Vieram todos nos parabenizar pelo casamento, e aproveitamos pra tirar fotos.

– Alice. — Minha mãe me abraçou. — Parabéns minha filha que você seja muito feliz!

– Se Deus quiser mãe. — Sorrir.

Ali no altar mesmo paramos e tiramos uma foto só de nós dois. Depois uma junto com o Padre Miguel. Depois com os sogros, meus pais, amigos do Luan, Bruna e Breno, Arthur e Bia, tiramos várias fotos ali mesmo com Clara. Depois de uma sessão de fotos ali, fomos saindo com todos pelo corredores. Quando chegamos lá na frente fomos surpreendidos por uma chuva de arroz.

– Vamos completar esse momento tão feliz? — Fiquei o olhando sem entender. Ele me agarrou e me deu um beijo ali mesmo. Sem dúvidas era o dia mais perfeito da minha vida! *-*

– Eu te vivo meu anjo. — Falei.

– Vamos fazer o seguinte. — Eu falei. Elas me abraçou. — Neto! — O chamei o nosso fotógrafo. — Eu quero uma foto assim eu e o Luan aqui mesmo na porta, com as primas do Luan , família, minhas amigas , meus padrinhos e madrinhas. — Sorri. — E nossos pais. Todo mundo junto, todos os convidados, tem como?

– Claro! Se organizem aí! — Ele disse.

Ficamos eu Luan, Clara em meu colo, os noivinhos tudo no nosso lado e o pessoal atrás.  E depois pedir com todos que ali estavam fizemos várias fotos. Mas agora era a hora da festa! Fomos todos até o local preparado, estava assim.

festa casorio

– Ta vamos! —  Neto mandou fazer várias poses, tiramos fotos no bolo era lindo de três andares. Com os noivinhos brindando em cima. Eu e o Luan paramos e nos olhamos, e começamos a rir. Neto tirou essa foto na hora.

– Essa eu quero ver! — Falei.

– Aqui. — Ele mostrou.

– Olha Li ficou linda. — Luan sorriu.

– Muito!

– A lá estão chegando os convidados. — Neto falou. — Vamos fazer o seguinte Alice e Luan. Vocês vão recebendo eles e eu vou tirando as fotos. Ok?

– Sim. Tudo bem Neto! — Falei. — Vem Lu!

– Nós chegamos! — Bruna e Bia gritaram.

– É e nós vimos! — Ri. — Quanto amor não? — As abracei e logo elas abraçaram o Lu.

– Isso tudo é porque ainda não beberam! — Breno falou.

– Nem fale! — Rimos. — Então vamos pra fotos. Breno e Bruna do lado do Luan, Bia e Arthur e Caio com sua namorada do meu lado. — Sorri.

– Ok ok!  Você quem manda.

– Borá nois então. — Luan Disse.

Neto tirou a foto. Depois foi com os pais do Luan de um lado e meu pai e Juliana do outro. E assim por diante, com os parentes meus e dos Luan. Minhas amigas da agência. Minhas amigas de SC. Todos nossos conhecidos. Banda inteirinha foi a bagunça pra tirar a foto, a melhor equipe de todas! Sem dúvidas.  Até que…

– Aêe! Luan casou cara, agora cê tá amarrado rapaiz! — Sorocaba riu abraçando o Luan.

– E ai parça! Agora tô casado cara. — Luan ria.

– Brincadeira gente. — Ele riu. — Parabéns aos noivos.

– Obrigado. — Falei.

– Valeu aí cara.

Arnaldo Júnior faltou quem faltava! Hahaha!

– Cheguei, chegando! — Ele sorriu. — Aêee! Luan e Alice, parabéns pra vocês, toda felicidade do mundo! Que vocês sejam muito felizes daqui pra frente, viu? E um monte de crianças pra nós!

– Vai com calma Jú, se não ele leva a sério! — E ri.

– Mas teremos um time de futebol e líder de torcida! — Luan ria.

– Olha só o que eu falei! — Rindo.

– Assim que é bom Luan! — Ele riu. — Parabéns viu? Vou lá ver aquela galera!

– Vai lá.

Tiramos fotos com todos, juro eu estava morta, morrendo de calor com aquele vestido e aquele salto estava já doendo meus pés. Quando entramos. Fomos aproveitar a festa, afinal hoje a noite era nossa! E como dizem. A noite é uma criança. Conversei com os parentes do Luan, com meus familiares com todos que eu passava por perto, Luan estava conversando com os amigos.

Precisava da ajuda da Bruna.

– Bru me ajuda?

– No que cunha?

Capítulo 68 — O dia

Desliguei meu celular e andava de um lado pro outro.

“Não pode ser o Luan não teria coragem de fazer isso em plena véspera do nosso casamento, isso é mentira! Mas ele está numa boate.  Meu Deus o que eu faço?! ISSO NÃO PODE SER VERDADE!” Meus pensamentos foram invadidos por Bruna me chamando.

– Cunha! Vem curti sua despedida. — Ela me puxou.

– Pode indo Bru, vou ao banheiro! — Disse e sair andando, com celular em mãos. Precisava de alguma resposta. — Vou ligar pro Rob! — Falei.

Disquei o número, chamava, chamava ninguém me atendia. Tentei uma, duas, três.. nada! Liguei pro Arthur, fora de área.  Liguei mas uma vez pro Rob, ele atendeu.

– Alice?

– Rob, que bom que atendeu! — Falei. Estava muito barulho.

– Calma vou pra um lugar mais calmo, só um minuto! — Ele disse. Esperei uns segundos. — Aconteceu algo?

– Rob é que.. Ai!

– O que é menina? — Ele disse aflito do outro lado.

– O Luan está aí com você? — Eu perguntei.

– Ué claro né? Ta com a galera da banda, ali. Ainda você não me disse, aconteceu algo?

– Ai Rob, é que aquela Biscate da Barbara me ligou e disse que está com o Luan! Se eu a encontro, mato ela! — Gritei.

– Você não mata nada! Eita, olha essa menina está aqui sim, mas em outro camarote e nesse que estamos, ela não pode entrar. Fica tranquila!

– Ok tentarei, ai que raiva!

– Vou curtir com a galera ta? Beijo, vai você também!

– Tô indo. Tchau! Desliguei. Respirei fundo, olhei no espelho do banheiro. E tremia de raiva!

– Menina você não vem?! — Minha mãe apareceu ali do nada.

– Tô indo mãe, vamos!

No outro dia acordei primeiro que o Luan. Nem vi que tinha visto pra casa da sogra, só sabia que acordei ali no quarto de Luan. Ele estava deitado de bruços mão no rosto, sem camisa, só de cueca box azul escuro. Eu o avaliei por inteiro, e um sorriso surgiu em meu rosto. Levantei devagar, me enrolei em um lençol. Peguei uma regata branca bem leve, um short jeans, roupas íntimas e fui tomar banho. Não fiz make pra não atrapalhar as meninas mas tarde com a do casamento. É o Casamento! Seria hoje, hoje é o grande dia, que casarei com o amor da minha vida. Fiz um coque meio bagunçado e sair do banheiro, quando olhei pra cama lá estava ele me olhando.

– Bom dia moça. — Ele sorriu.

Aquela carinha inchada de tanto dormir, cabelo amassado. Sorrir.

– Bom dia meu amor!

– É hoje, nosso casamento!

– Hoje Lu! — Mordi os lábios pensativa.

– E que horas são amor? — Luan ia se sentando na cama.

– Quinze pras onze! — Falei. Ele deu um pulo da cama.

– O que?! Rober vai me matar!

– E porque ele me deixaria viúva, no dia do meu casamento? — Olhei Lu e ri.

– Porque ele vai passar aqui onze horas. E eu tô na cama ainda! — Ele me avaliou.

– Você já vai? — Ele pegava a toalha.

– Vou amor, Bru já deve está na sala impaciente. — Ri.

– Cadê minha filha, quero me despedir dela, até porque vamos nos ver só no altar né? — Ele fez biquinho.

– Se Deus quiser amor. — Sorri, dei um beijinho nele. — Vou pegar Clarinha pra você.

Sair do quarto e desci logo pra sala. Estava ali minha sogra, Bruna com Clara e meu sogro.

– Bom dia!

– Bom dia noiva! — Bruna sorriu.

– Bom dia. — Sogros disseram.

– Já vamos viu, Bru? — Sorrir. — Deixa eu levar Clara ali no Luan. — Ei princesinha da mamãe. — Dei um beijinho nela.

– Não demora! — Bruna gritou.

– Ok! — Subir quase correndo. — Lu, amor.

– Oi.. — Ele abriu um sorriso.  — Pequena do papai, nos vemos a noite ta? Fica com Deus. — Deu um beijo na cabeça dela. Me deu um outro beijo, só que mas demorado. — Te amo!

– Amo mais!

– Cadê a aliança? — Ele olhou em minhas mãos, eu tinha tirado. Além do mas, a nova chegaria mas tarde.

– Espero que a nova seja linda, viu? — Sorrir. — Beijo! — Sai do quarto.

Quando chegamos na porta da casa uma Limousine preta, maravilhosa.

– Pronta? — Bruna sorriu.

– Sempre! — Sorrir, entrei junto com Clarinha.

Fomos direto pra casa dos meus pais. Entreguei Clarinha minha mãe, e Bia veio com a gente. Entramos todas e elas foram me zoando até chegarmos no SPA!

– Acho que Pi, atrasa hein!

– Eu também viu Bru! — Bia ria.

– Ei dá pra vocês pararem! — Eu dizia nervosa. Jogando uma almofada que tinha ali.

– Eita! — Rimos.

Chegamos ao SPA. As mulheres da família já estavam lá nos esperando. A sogra como ela chegou primeiro que a gente?A Kari, Marla, as esposas do pessoal da banda. Nossa. Todas me puxaram e eu fui atrás, e seguimos então pra sessão de massagem relaxante.

Ficamos o dia inteiro passando por vários tratamentos de beleza. Distraia o meu nervosismo. Foi a tarde inteira só de relaxamento, juro que nunca tive um dia assim! Quando eram umas seis e meia começaram a me arrumar. A equipe inteira de Jenni chegou no SPA, todos equipados e animados pra mais uma noiva!

Começaram pelo meu vestido.

vestidos noiva 2014 tendencias 9

– Ele ta perfeito! Não é verdade? — Sorria olhando cada detalhe, enquanto Jenni dava uns últimos retoques. Eu passava as mãos sobre o mesmo.

– Você é uma noiva linda! — Marla sorriu. — E isso é porque nem se arrumou ainda!

– Awn Mar! — Sorrir.

– Ta realmente linda! — Jenni sorriu. — Pronta pra casar! — Rimos.

– Opa! — Olhei sogra. — Como está o campo? Pronto?

– Lindo demais lá Alice! Todo iluminado. — Ela sorriu.

– Ain meu Deus! — Disse. — Que saudades da minha filha! — Fiz um biquinho.

– Eita Alice, calma já deve estar vindo pra cá. — Kari sorriu.

– Awn. E o Luan sogra? Será que ele está se arrumando. — Sorrir nervosa. — Eu disse pra ele que quem atrasa em casamento, são as noivas. — Todas riram.

– E fez foi o certo viu Licinha! — Bia riu.

– Mesmo avisando, aquele ali não sei não hein! — Bruna pegava minha meia pata branca. Joias, tudo, tudo que eu usaria.

– Bru só te lembrando, você não está me ajudando assim! — Todas riram.

– Será que podemos entrar? — Minha mãe entrou junto com Clara no colo.

– Mãe! — Eu quase pulei de alegria. — Aii! — Levei uma alfinetada.

– Desculpe Alice.

– A culpada sou eu que não fico, quieta! — Ri. Olhei minha pequena, toda linda no colo da vovó. — Minha pequena!

– Mamã! — Ela disse.

– Pronto Lice, pode ir. — Corri segurando o vestido e peguei minha menininha, no colo e enchi ela de beijinhos. Me emocionei sério, ainda bem que ainda não tinha feito a maquiagem. — Princesa, mamãe sentiu muitas saudades viu?

– Obrigado mãe. — Sorrir. — Por ter ficado com ela.

– Foi ótimo, brincamos muito né amor? — Clara adorava vovó Stella.

Meu celular tocou. Ok! Mas onde ele estava? No meio de tantas coisas ali, todos me ajudavam. Até que Marla encontrou e disse.

– Adivinhem só! — Ela gritou balançando o celular!

– Luaaaanzinho! — Todas gritaram rindo.

Estiquei minha mão e Marla me entregou o celular. Atendi rápido.

– Moor! — Falei. Todos disseram.  Moooor” elas riram.

– Oi princesa. — Luan disse e riu. — Tem muita muié aí né? — Ela ria.

– Deu pra saber né? — Ri. — Tem viu vida. E o que fizeram com você hoje? — Eu ria.

– Mô você não acredita muié! — O jeito dele falar foi engraçado. — Jogaram Caramelo em mim, e depois pena por cima. Jogaram tudo! Uma loucura.

– Coitado de você Lu, meu Deus! — Ri. — Já está se arrumando?

– Vou pro banho agora Lice. — Ele disse.

– Se você se atrasar, te mato! — Ri.

– Muié do céu, você tá um perigo! — Ele caiu na gargalhada.

– Vai rindo mesmo besta!

– Mozinha eu sei que quem atrasa é a noiva, mas não atrasa muito não tá? Tô tipo morto de saudades!

– Ta bom Lu. — Ri. — Fiquei linda no vestido, um encanto!

– Isso mesmo, me deixa com mais vontade de te ver mesmo tá? — Ele fez manha na voz. — Ta mais perfeita que já é, né morzinha? Tenho a certeza!

– Coisa fofa! — Risos.

– E minha filha?

– Ta aqui no meu colo, acabou de chegar da casa da vovó Stella.

– Da um beijinho nela pra mim, e sinta meu beijo em sua boca, viu? — Ele riu.

– Hmmm.. Tô sentindo. — Ri. — Bruna me cutucou.  — Lu tenho que ir, estão me apressando aqui. E você vai se arrumar, hein!

– Ta bom, beijo minha princesa, te vejo no altar.

– Nos vemos lá. Te amo.

– Eu te amo mais.

Desliguei. Passei o celular pra Bru e ela guardou-o na minha bolsa.

– Isso que é amor o resto é conversa. — Marla cantarolou com aquela voz perfeita. Todos riram. — Maquiagem, anda! — Marla pegou Clara em meu colo.

Ela me puxou e me levou até uma cadeira de cabeleireiro. Começaram a fazer meu cabelo. Que ficou do jeito que eu queria.

penteado-noiva-cabelo-longo-2

A make, Bruna me ajudou a escolher.

maquiagem-para-casamento-tem-diversas-opcoes-14

Olhei pros lados todas já estavam se arrumando também. Todas super animadas! Sim eu ali estava pronta, linda, perfeita! Pronta pro meu casamento, tão esperado. Casar com a pessoa que amo, pra mim era tudo! Quando enfim estava pronta, já eram oito e dez. Uma menina da equipe de Jenni me ajudou a colocar o sapato. Marla disse por trás de mim.

– Fecha os olhos!

– O que é Mar? — Disse fechando os olhos.

– Nossa princesinha! Pode abrir.

Quando abrir ali estava minha pequena toda pronta, já com seu vestido. Uma maquiagem bem fraquinha, rs. O vestido todo perfeitinho, o cabelo liso amarradinho feito maria chiquinha e atrás solto. Ela sorria pra mim. Também estava o priminho do Luan que entraria junto com ela. Ele tinha dois aninhos. Eles estavam vestidos assim.

tule

Eu segurava pra não chorar ver minha pequena ali toda pronta. Eu sorria infinitamente.

– Não chora pelo amor de Deus! — Bruna disse.

– Não vou chorar. — Respirei fundo. — Que lindos, meu Deus!

– Estão sim, maravilhosos! — Sogra disse.

Quando olhei todas estavam já no vestido Bruna estava num dourado cheio de brilhos, sogra estava com um vestido preto com renda maravilhoso, Marla com um vermelho deslumbrante naquele corpão, Kari estava com uma rosa bem clarinho longo maravilhoso! As demais mulheres já haviam ido pro campo. Eu respirei fundo, me levantei! Quando me olharam.

– Meu Deus que noiva mais perfeita! — Minha mãe sorriu. — Filha você ta linda!

– Obrigado mãe, só Deus sabe o quanto eu esperei por esse dia! — Sorrir.

– Ahh uma foto de você e os noivinhos, Lice! — Bruna falou.

– Opa! Agora né meus anjinhos?

Me sentei numa cadeira novamente, e sentei os dois um em cada perna. A foto ficou linda!

– Vamos? Só uns bons minutos até o Campo. — Marla disse.

– Vamos!

A limousine nos esperava. Ajudaram-me a levantar o vestido, e entrei no carro. Elas entraram depois e sentaram-se ao longo dos bancos de couro. Eu estava nervosa. Sogra colocou as mãos sobre a minha.

– Ei já deu tudo certo viu? — Ela sorriu. — Me promete uma coisa?

– Claro Mari.

– Cuida bem dele, por favor!

– Eu irei cuidar dele pode ter certeza, porque ele é minha vida! E fica tranquila, nunca deixarei de cuidar daquele meninão. — Sorrir. — Ela quase chorava. — Não chora sogra! Por favor.

– Ta não vamos chorar! — Ela me abraçou.

Ficamos conversando mais um bom tempo. Reparei que eu estava nervosa. Estava falando demais. Depois de uns 50 minutos a Limousine parou. Fechei os olhos, mordi os lábios. Quando abrir todas saiam do carro, ficando eu e os noivinhos.

– Bru espera! — Eu disse.

– O que é Lice?

– Fica aqui comigo.

– Eu irei ficar calma. — Ela sorriu. — Mãe pede pra organizarem lá, vou ajeita-los aqui na entrada.

– Ok!

Bruna me ajudou a sair do carro. Quando vi meu pai, Breno, Arthur e Bia estavam ali. Mas dois noivinhos, filhos de uns amigos de Luan.

– Pai! — Sorrir.

– Minha menina, que maravilhosa você está!

– Obrigado! — Sorrir. Olhei pra Bia ela me abraçou.

– Está linda amiga.

– Vocês que estão maravilhosos, meu Deus! — Sorrir. — Oi Arthur! — O abracei. — Breno!

– Oi Alice, um dia seremos eu e a Bru!

– Se Deus quiser! E eu como madrinha hein. — Rimos.

 Nos organizamos todos. Na minha frente estavam os padrinhos, e depois os noivinhos. Eu e meu pai atrás deles, atrás de mim Clara e primo do Luan que entrariam depois com as alianças. Uma música começou a tocar, eu sorrir Bruna entrava com Breno logo atrás Bia e Arthur. Depois dos noivinhos entrar, entrou a florista Manu prima de Luan.

A música da minha entrada começou a tocar. Respirei fundo e olhei pro meu buquê de rosas vermelhas. Olhei pro meu pai.

– Pronta? — Ele perguntou.

– Como o Senhor mesmo diz pai: Os encontros mais importantes já foram combinados pelas almas antes mesmo que os corpos se vejam.” Sempre estou pronta! — Ele sorriu e eu sorrir junto.

O Campo estava assim.

tumblr_meenjkD0Qv1rcrcdeo1_400-450x450

Assim que olhei pra frente, sorrindo, vi o Campo do jeito que eu já imaginava, por onde eu passava estava as pétalas de rosas. Eu e meu pai íamos andando, meu pai começou a me conduzir pelo corredor. Andamos a passos controlados. Meu sorriso não saía do meu rosto, tamanha alegria eu sentia. Mas só quando eu dei dez passos, viramos por uma volta que tinha ali e ai sim pude vê-lo.

Aviso.

Meus amores, cadê os comentários? :/ Saudades de vocês sempre comentando!  Por favor não deixem de sempre que puderem comentar! Beijos.                                                           – Izabella Miranda

Capítulo 67 — Despedidas

– Não vai dizer que… — Ela me interrompeu.

– Não mulher. — Ela riu. — Só estou lembrando onde ele está guardado.

Ai que alívio!

– Nossa que susto! Não faz isso Jenni. — Levei a mão no peito.

– Meu Deus, coitada Jenni.

– Desculpe. — Ela sorriu. — O vestidinho da pequena, também está ali. Lindo!

– Awn, hoje vestiremos! — Falei.

– Então vamos, por aqui. — Ela nos deixou passar e entramos num provador.

Lá estava meu vestido, lindo maravilhoso.

– Bru olha a Clara por enquanto?

– Sim Lice, vai lá!

Fui junto com Jenni e vestir meu vestido, estava lindo perfeito em meu corpo. Do jeito que eu queria! *-* Quando mostrei Bruna ela pirou, falou que estava maravilhoso. Logo depois vestimos a Clara, sim estava linda! Tinha ficado perfeita de vestido.

Meu celular começou a tocar. Era a Marla.

– Alo? Alice?

– Oi Mar , tudo bem?

– Tudo ótimo e você?

– Um pouco ansiosa. — Sorrir. — É depois de amanhã né?

– Sim! haha, e ai o que está fazendo?

– Experimentando o vestido.

– Opa!! Deve ta maravilhosa.

– Own, obrigado.

– Nada, a Bruna está com você?

– Sim.

– Me deixa falar com ela?

– Deixo! Só um minutinho. — Chamei Bruna e ela pegou o celular.

Depois de darmos uns últimos ajustes, troquei de roupa e vestir Clarinha.

– Então Jenni, sábado estarei aqui cedo! — Sorrir. — Dia de beleza! Só relaxar.

– Esperamos vocês viu? — Ela sorriu. — Beijo.

– Beijo!

Saímos dali a caminho do shopping, comprar o presente de Luan. E alguns acessórios pro casamento.

– Agora vem! — Me puxou pelo braço. — A gente tem que comprar algumas joias pra você usar né?

– Ai, não quero me emperiquitar toda não, hein Bru.

– Olha esse colar! — Apontou pra vitrine.

– Que perfeito!

– Vem vamos entrar! — Ela me arrastou pra dentro da loja.

– Ele é muito mais lindo de perto!

– Vamos levar, vai combinar com você! Tá?

– Você quem manda… Eu gostei! Vamos levar então. — Retirei o cartão da minha bolsa.

– O Pi liberou quanto? Ou deu um de pão duro? — Ela ria.

– Sem limites! — Sacudi.

– AÊ gosto é assim!! — Bru comemorou. Ela estava louquinha. Meu Deus! Rs.

– Ele vai ter um treco quando eu chegar com esse monte de sacolas! Quero um colar pra Clarinha também.

– Então olha esse que fofo!

– Awn lindo. — Peguei seria aquele. — E você tia Bru? Vai levar o que? — Perguntei.

– Ah são todos tão lindos! Vou levar todos! — Ela riu. — Luan nos coloca pra fora de casa.

– Bem que você sabe! — Ri.

Meu celular tocou, Lu me ligando.

– Oi amor!

– Oi Lice, onde você tá muié?

– Estamos no shopping!

– Outra vez? Gastando? — Ele riu. — Vocês querem me falir! É?

– Ta vendo Bru, olha ele reclamando. — Eu ri.

– Quando você volta, tô querendo matar a saudades. — Ele disse com uma voz manhosa.

– Lu, nos vemos agora a pouco. Oxê!

– Mas já deu saudades.

– Hoje a noite tenho surpresas, pra você! — Ri.

– Hmmm, é o que eu estou pensando?

– Não sei. u-u

– Maninho beijo, para de nos atrapalhar. — Bruna pegou o celular de mim.

– Bruu! — Reclamei.

– Cuida da Lice ai hein, Piroca!

– Pode deixar! Agora eu vou desligar porque a gente tem muitas lojas pra ver ainda! Beijo!

– Eu queria despedir. — Fiz biquinho.

– Vocês vão se ver daqui a pouco, pare com isso. Ande! — Pagamos e fomos andar.

Andamos pelos corredores do shopping, cada coisa mais linda! Comprei o presente do Luan. Entramos numa loja, Bru foi experimentar um vestido lindo que estava na vitrine, para usar na festa, enquanto ela experimentava, fiquei olhando umas blusas nas araras ao lado. Peguei umas sandálias pra Clara e coloquei no pezinho dele. Linda! Para ela usar no casamento. Muito confortável.

– Ahh, oi Bru!  — Bruna saia do vestuário e uma loira a cumprimentava.

– Jade? — Bruna disse.

De onde eu estava, olhei pra lá na hora.

– Tudo bem, quanto tempo!

– Pois é! Estou bem, e você?

– Bem também Bru. E como está seus pais, o Luan?

– Estão bem graças a Deus! — Bruna disse. — Alice?! — Bruna me chamou.

– Oi Bru! — Acenei pra ela.

– Ah você está acompanhada? — Ela olhou.

– É o que parece né? — Bruna deu um sorrisinho.

– Manda um beijo pro Luan viu? — Ela saiu em meio as outras araras de blusas. E ficava olhando pra mim.

– Oi Bru?

– Vou levar o vestido!

– Ah ele é lindo, leva sim! Olha essa sandália da Clarinha.

– Linda! Vamos lá pagar?

– Borá!

Clarinha foi correndo na frente até na fila. Fui logo atrás com Bruna, quando chegamos na fila. Jade também estava lá brincando com Clara..

– Sua filha é linda, parabéns! — Ela disse.

– Ah obrigado. — Falei e peguei a Clara.

– A cara do Luan. — Ela sorriu.

– Sim!

– Espero que consiga ser feliz com ele. — Ela falou num tom sínico.

– Pode ter certeza, se Deus quiser, seremos! — Olhei pra ela. E pagava minhas coisas. Quando terminei.

– Vamos Alice! — Bruna me segurou pelo pulso.

– Calma Bru. — Sorrir.

– Tchau viu! Boa sorte no casamento. — Ela riu.

– Vamos Bru! — Viramos as costas, Bru pegou as sacolas e saímos do shopping. Entramos no carro, Bru puxava assunto, pra esquecermos daquilo que havia acontecido, acelerei, logo chegamos no condomínio. Entramos na casa dos sogros, Luan estava lá sentado na sala jogando vídeo- game .

Soltei Clara ela foi correndo pros braços de Luan.

– Chegaram!

– Não estamos lá ainda! — Bruna adorava. Eu ri.

– Se eu te pego Bruna! — Luan tacou a almofada na Bruna.

– Vocês dois hein! — Eu ri. — Tudo bem amor?

– Tudo ótimo uai. — Ele veio me abraçar. — E aí experimentou os vestidos?

– Sim! Foi o máximo! — Sorrir.

– Ahh! — Bruna veio. — Marla me ligou dizendo que a festa de amanhã já está preparada viu? Despedida de solteira! — Bruna se animou.

– Quer dizer que tem Marla no meio, desse trem? — Luan cruzou os braços.

– Ah nem vem Luan. — Ri. — Cada um com sua despedida de solteiro. u-u

– Ótimo a minha vai está, ótima. — Ele estufou o peito.

– Só te lembrando que meu pai vai está lá! — O ameacei. — Se eu descobrir, algo! aiaiai =x

– Cada um com sua despedida de solteiro. — Ele deu uma ênfase na frase, me remendando.

– Idiota! — Ri.

– Quanto mais velho vai ficando, cada vez mas idiota fica!

– Coisa de Luan! — Eu ri.

– Caladas! — Ele riu.

– Tô subindo! — Bru subiu.

– Cadê seus pais?

– Foram na casa da vizinha. — Ele se sentou no sofá, me sentei do lado dele. — Então hoje a noite.. Tem!

– Sim, começar a madrugada do seu aniversário muito bem. — Mordi meu lábio.

– Você ta muito safada amor. — Ele ria.

– Uai, você não quer? — Sorrir. — Tudo bem então.

– Opa muié, eu não disse isso! — Ele me abraçou.

– Rum! — Risos. — E o terno?

– Tudo pronto!

– Certeza Luan?

– Sim ué.

– Só te lembrando, quem atrasa no casamento é a noiva ta? — Eu o olhei séria.

– Ok morzinha, fica tranquila.

Fomos sentar lá fora no jardim, ficamos brincando correndo atrás da Clara. Riamos.

– Tem um tempo que não faço isso vem cá Lu, segura a Clara, vamos tirar uma foto. — Fizemos uma pose e Bruna apareceu.

– Deixa eu tirar! — Ele pegou meu celular. Voltamos a pose que estávamos. Bruna tirou.

Eu postei.

tumblr_mwrww0rEVe1sbrrvno1_500

A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família. Amo vocês meus amores. @luansantana #Clarinha”

– Que linda essa foto, amei Bru! Ótima fotografa!

– Ah gente , eu sei né?

– Nem se acha né?— Luan riu.

– Borá então? Vim chamar vocês pro ensaio, Breno e os padrinhos chegaram. E o Padre Miguel também.

– Vamos!

Fomos todos para o fundo da casa e lá estava, Bia, Arthur, Breno e Bruna, meus pais e os pais do Luan, padre, priminho de Luan e Clarinha. Ensaiamos até tarde, precisávamos está preparadíssimos para o casório. Quando deu umas oito da noite todos fomos tomar um café. Bia e Arthur foram com meus pais,  pra casa. Dei um banho em Clara, e a vestir. E ela tomou a mamadeira e logo estava dormindo. Luan também tomou um banho e vestiu uma bermuda e deitou na cama. Logo depois eu também tomei meu banho e vestir meu babydoll. Nos deitamos na cama.

– Eu tô só esperando o povo dessa casa dormir, viu? — Ele riu safado.

– Hmm… Hoje tem! — Eu sorrir.

– Ohhh, se tem! — Ele ria.

Depois de um tempo deitados vendo TV. Ele levantou foi até a porta abriu, olhou todos já dormia. Passou a chave na porta e quando virou, me olhou com uma cara de safado. E veio pra  de mim e me deu um beijo de bambear as pernas. Tirando minha roupa devagarzinho e  eu  já ta desejando ele ardentemente. Ele parou de me beijar, e eu joguei ele na cama.

– Fica aí! Porque hoje é completo! — Sorrir.

Peguei dentro do guarda roupa dele Chantili, leite condensado. Mostrei pra ele, ele riu.

– Hmmm, e não é que você levou a sério.

– É pra você de presentinho. Só que primeiro eu quero, um Streap Tease. — Ri. — Ai você pode fazer tudo o que você quiser.

– Tudo o que eu quiser? — Ele se levantou deu um cheiro no meu pescoço, me empurrou na cama. — Fica aí!

Ele começou a rebolar. Ele virou lentamente, passando a mão embaixo da blusa, depois olhou a barriga e levantou um pouquinho só. Me olhou mordendo os lábios. Só então percebi que eu mordia os meus também. Hsuhu’. Luan levantou a blusa bem devagar, fazendo cara de quem tava gostando de me provocar. Tirou a blusa, rodou ela e jogou em mim. Peguei e cheirei-a. Isso já estava me deixando louca! Quando ele tirou a bermuda, pude ver animação do Luan Jr. Jogou a Bermuda pro outro lado do quarto, Luan veio andando em minha direção da cama. Quando chegou perto, subiu na cama e por cima de mim ficou ali em pé. Que Caloooor, meu Deus! Ele pegou o Chantili e começou a jogar no meu corpo, na região da minha barriga, pernas, pescoço, em mim toda. Depois, ajoelhou na cama, e começou a lamber o chantili desde meu pé, e foi subindo, subindo.. Eu já estava louca, arranhava as costas do Luan, com os movimentos dele que me levara a loucura. Cansados deitamos um do lado do outro.

– Feliz aniversário amor. — Sorrir. — Te amo!

– Obrigado gatinha, amei esse presente. — Me deu mais um beijo e dormimos juntinhos.

Acordei no outro dia primeiro que o Luan. Eu estava toda melada, meu Deus! Olhei o Lu deitado de bruços ao meu lado. As cotas dele estavam inteiramente arranhadas. Ri, lembrando da nossa farra. Não me lembro se fizemos muito barulho, ai que vergonha! Tomara que ninguém tenha ouvido nada. Mas a noite foi maravilhosa! Me levantei me enrolei num lençol, catei as bagunças do chão. Depois abrir o guarda-roupa de Luan tinha umas roupas minhas ali. Peguei um vestidinho floral lindo, e fui pro banho. Depois de um tempo, saí, me arrumei.

tumblr_lexsxrEk1P1qgp6l1o1_500_large1

Fiz um coque no cabelo. Fiz uma make básica, sair do banheiro e calcei minha sapatilha. Luan dormia ainda.

– Lu! — Sorrir, balançando ele.

– Hmmm. — Ele resmungava.

– Acorda!

– Deixa eu dormir. — Ele disse.

– Vai tomar seu banho vai! — Dei um monte de beijinhos.

Ele abriu um olho e me avaliou.

– Já tomou banho?

– Aham! — Sorrir. — Feliz aniversário mais uma vez  amor, que Deus te abençoe, te guie, que realize todos os seus sonhos, que te dê muita saúde, amor, paz, sucesso! Ahh obrigada por todo esse tempo que passamos juntos e tudo que fizemos, de tudo que rimos, por me aturar, me ajudar, por me amar. E eu te amo,tá ? E te garanto, que da minha vida, não vou mais deixar você sair. — Peguei o presente do Luan, era várias coisas com a ajuda de Bruna comprei, era várias capinhas de celular em uma delas, um com a foto minha dele e da Clara. Pulseiras, perfume, Dois discos antigos de um dos cantores que ele gostava muito, foi difícil achar viu! Rs.  E duas camisas lindas!

– Muito obrigado meu amor. Eu te amo muito, viu?

– Eu amo você vida. — Sorrir. — Se levanta e vai pro banho anda.

Ele me deu um selinho e me obedeceu.

Arrumei o quarto e depois fui pegar Clara dei um banho nela e a vestir.

images (24)

Descemos e como o combinado já estavam todos lá em baixo. Galera da equipe, meus pais, Bia e Arthur, Bruna, Breno e Caio, pais de Luan. Tinha um bolo pro Luan e alguns salgados, sim era uma surpresa pro Lu! Ele nem imaginava. Estávamos todos em silêncio na sala de jantar quando ele entrou, todos juntos cantavam.

– Parabéns pra você nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida. Parabéns pra você nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida.  Viva o Luan!

– Vivaaa!

– Me pegaram direitinho! — Ele riu.  — Obrigado a todos vocês que lembraram do meu dia, viu?

– Ah Luan! — And sorriu. — Parabéns cara! Então essas três mocinhas aqui são fãs, escolhi entre um monte que estava lá fora. Não tinha como trazer todas você sabe. Vai lá meninas, abracem ele.

– Lu meu nego! — As três abraçaram Lu, juntas. Eu não perdia nenhum momento, câmera em mãos. — Parabéns nego.

– Obrigado minhas neguinhas, olha muito obrigado mesmo viu?

– Luanjo! — Uma delas chamou. — Olha, eu esperei mas pelo dia do seu aniversário do que o meu viu? Porque fico feliz em saber que uma pessoa que faz todo mundo sorrir, vai sorrir hoje. Que Deus te abençoe viu?

– Que linda nega!

Elas entregaram os presentes pra ele.

– Meninas uma foto de vocês. — Eu falei.

Tirei a foto.

– Ah e queremos desde já desejar pra vocês toda felicidade do mundo viu? O que Deus une ninguém pode separar, amanhã será mas um dia abençoado na vida de vocês. Tirem fotos maravilhosas, queremos ver vocês depois. viu? Muito obrigado!

– Awn lindas! Eu que agradeço vocês viu? — Sorrir. E abracei elas.

Todos abraçaram o Luan, e depois ficaram conversando com todos. Era lindo ver os fãs próximos do Lu. Comemos, Luan partiu o pedaço de bolo. E disse.

– Olha galera o primeiro pedaço de bolo eu queria dar pra todos vocês, mas não tem como! Mas vocês são muito importante na minha vida, estão sempre presente nela. Mas se eu der pra um, todos ficaram tristes. — Lá vem ele com um testamento.Eu ri. — Então eu escolhi uma pessoa que ninguém vai se importar se eu dar e não ficará com raiva, até porque ela é um boneca, é uma princesinha do papai. — Ele entregou pra Clara.

– Annnw! — Todos disseram.

O restante do bolo sogra repartiu.

E como todos ali e juntei era muita gente! Deixei a câmera do cima do móvel e bateu uma foto linda. As fãs se despediram do Luan, o pessoal da equipe também, ficando Marla, Karielle e Rob.

– E hoje tem! — Rob chegou animado.

– Tô de olho hein!

 – Ih Licinha, quieta no seu canto. Viu? — Ele riu.

– Luan você calado! — Eu disse.

– Alice relaxa, porque se hoje é despedida de solteira, vamos arrasar! — Marla riu.

– Marla, Marla oiá o que você vai aprontar com minha muié.

– Luan cada um com sua despedida de solteiro. — Karielle disse.

– Vamos desistir desse trem de despedida? — Luan olhou rindo.

– Nãaaao! — Todos juntos.

Eu olhei assustada.

– Ensaiaram foi? — Eu ri.

A tarde passou tranquila, quando deu sete horas da noite Luan já estava todo arrumado, todo lindo, gostoso. Mas não pra mim =[. Uhauahsus.

– Mozinha tô indo viu? — Me deu um beijo. — Até amanhã.

– Não vai! — Fiz biquinho.

– Olha lá quem já ta buzinando, Testudo!

– Amor não apronta, tá?

– Ei fica tranquila. Te amo viu, gatinha? Aproveita.

– Você também, te amo.

Ele foi e eu fui me arrumar, terminando meu banho, me vestir.

DSC3372

Bruna estava assim.

bruna_santana

Clarinha.

be

Fomos todos para o local onde Marla havia preparado, só mulheres! Tinham várias brincadeiras, continuamos com essa brincadeira errei alguns, paguei algumas prendas até os presentes acabarem. Começaram com a próxima.. “Questionário do noivo.” , uma delas antes da festinha fizeram algumas perguntas pro Luan e eu tinha que responder conforme com a resposta que ele respondeu.

-Qual a qualidade do Luan que a você mais admira? Lembrando Li ele respondeu você tem que responder igualmente.

– O jeito dele tratar os fãs isso me admira muito! E ele sabe. — Sorri.

– Certa reposta! Vamos esquentar um pouco?

– Não não é preciso . — Rimos.

– Aonde ocorreu a sua primeira vez com o Luan?

– Calma, foi no hotel.

– Hmmmm. — Elas fizeram.

Fizeram mais algumas e errei também, paguei mais algumas prendas depois de tudo , fomos curtir a festa dançar , conversar, beber, comer,brincadeiras iam e viam..

Meu celular tocou… número desconhecido. Atendi.

– Alô?

– Alô? Alice?

– Quem é? — Perguntei.

– Barbara.

– Como conseguiu meu número?

– Aqui eu faço as perguntas. — Ela riu. — Sabe quem está comigo.

– Deixa de ser ridícula menina!

– Certeza? Porque ele ta aqui comigo.

 

NÃO ACREDITO!