Capítulo 97° — REUNIÃO

— Ta tudo bem Luan? — Rober apareceu em meu quarto. — Thais saiu daqui chorando pedindo para que eu reservasse uma passagem pra São Paulo, pois ela não voltará com a gente.

— Eu não aguento mais ela, na boa! — disse. — falei com ela pra ir pro escritório, não precisamos dela aqui. 

— Você que sabe.. quer conversar?

— Preciso. — Falei. — eu sinto falta de ficar mais em casa com Helena e Theo, eu tô perdendo a infância do meu filho, eu preciso estar com eles, presente. Precisamos de uma reunião, preciso diminuir um pouco dos compromissos. A Helena não diz, mas eu sei que ela sente falta de eu estar com eles num fim de semana em família. Você me entende?

— Luan isso é o que eu sempre te falei. — Rober me olhou. — Você sabe que desde o inicio eu te propus isso, vamos voltar hoje pra São Paulo uma reunião e você já fala sobre isso, após sua viagem com a Helena você já muda um pouco sua rotina, você não precisa se cobrar tanto mais parça. Lembre-se disso. Você mesmo disse que quer curtir sua família, curtir seus amigos mais, seu filho passar mais tempo com o garotão.

— Você me ajuda?

— Claro. — ele disse.

(…)

— Leeeeena! — Léo chegou gritando.

— Menino você é louco? 

— Olha o que chegou, ta prontinho. — ele disse colocando o pacote em cima da minha cama.

— Meu vestido, ai meu Deus! — Levei a mão na boca. — Ta bonito?

— O mais lindo de todos. 

— Eu estou muito ansiosa, já é sábado.

— Quando você entrar na igreja você irá pirar com tanta perfeição Helena, tá ficando lindo. Sua mãe e sua sogra capricharam! 

— Certeza que sim!

— Luan volta hoje?

— Sim, vem pro almoço.

— Estava pensando de fazer umas fotos sua, do Theo e do Luan. — Léo deu a ideia.

— Amei! Que dia?

— Uai será que Luan pode hoje? — perguntou.

— Olha se ele não tiver nada a tarde acho que sim. — sorrir. — vamos esperar por ele.

— Helena algo especial pro almoço? — Isa apareceu na sala.

— O que você quiser! — risos. — sei que irá puxar o saco do Luan mesmo, e ele merece!

— Hahaha, isso é verdade Isa! — Léo riu.

— Como vocês são bobos.

— Helena, vai amamentar o Theo? — Rafa entrou na sala com Theo nos braços. 

— Sim Rafa. — sorrir, pegando meu neném no colo e brinquei um pouco com ele antes de amamenta-lo. 

Ficamos conversando eu, Rafa e Léo rindo atoa. Após Theo terminar de mamar coloquei ele na mantinha no chão e fiquei brincando com ele. 

Meu celular começou a tocar, era Bruna.

— Preciso de você e do Cauã. — ela disse.

— Pra que?

— Vou começar a ser modelo de algumas lojas, preciso do Cauã pra me assessorar e você pra conversar com ele.

— Hm! Roubando meu assessor! — disse rindo. — tá bom eu autorizo! Aliás, nem vou mexer com esses trem de novo mesmo, quero só voltar ao hospital. 

— Vamos ao Restaurante amanhã? Marco um horário com ele pra gente, almoçamos juntos ou jantamos. 

— Ótimo Lê. Obrigado de verdade, você é um anjo na minha vida! Agradeço ao Luan por ter se apaixonado.

— Besta! — ri. — Beijo te aviso mais tarde, tchau!

— Tchau.

 

— Quem quer roubar o Cauã? — Léo me olhou.

— Bru. — ri. — ela vai começar a tirar fotos para algumas lojas.

— Arrasou! Será que ela precisa de um personal stylist?

— Léo nem vem querer me abandonar. — fiz bico.

— Mas você não irá precisar mais de mim, não é mais modelo.

— Mas você que monta meus looks e eu te pago por isso. — eu ri.

— Meu amor continuarei sendo seu, não irá viver sem mim não! — ele riu.

A hora foi passando rápido e enquanto conversávamos e brincava com o Theo a porta do apartamento se abriu Luan, Rober e Marquinhos entraram. 

— Boa tarde! — Luan disse deixando os óculos em cima da mesa e veio até a gente. — Oi meu amor, tudo bem? — ele selou meus lábios.

— Oi meu amor tudo e com você? — sorrir.

— Eu to bem. Ei filhão! — ele beijou o filho. — Rafa, oi Léo!

— E ai Luan! — Léo disse.

— Oi Luan! — Rafa também.

— Oi Rober, Marquinhos fiquem á vontade! — sorrir.

Luan foi até o banheiro lavar as mãos e quando voltou pegou Theo e começou a brincar, era um paizão mesmo e a felicidade que Theo tinha no rostinho ao estar brincando com o pai é o mais gratificante!

— Como foi os shows?

— Uma maravilha graças a Deus! — ele disse. — Só sinto falta de vocês lá.

— Também sentimos sua falta. — o olhei Luan estava triste, algo tinha acontecido por esse tempo. 

— Por que vocês não vem almoçar, está pronto! — Isa disse ao terminar de por a mesa.

— Vamos! — disse, chamando todos.

— Temos uma puxa saco do Luan por aqui. — Léo disse.

— Isa é maravilhosa! — Luan riu. — Obrigado Isa. — ele abraçou ela. — Você vai comer com o papai é filho. Pode amor?

— Luan só o caldinho e bem pouquinho ta? E cuidado está quente. Rober, Marquinhos estão calados porque?

— Cansaço é o nome. — Marquinhos riu. — dormimos pouco essa noite.

— Isso é verdade e temos reunião às duas da tarde. — Luan disse.

— Já já né? — Rober disse.

— Reunião sobre? — perguntei.

— Shows, tempo.. — Luan me olhou e depois pro Rober. — Convívio!

— Essa vai demorar. 

— Sem dúvidas!

— Então nossas fotos ficaram para amanhã. — Léo disse.

— Que fotos? — Luan disse colocando caldinho na boca do Theo que estava amando.

— Iríamos fazer um book seu, Lena e Theo. 

— Ahh, pode ser amanhã? — ele me olhou como se desculpasse.

— Claro sem problemas né Léo? — sorrir. — E sexta quem está organizando sua despedida?

— Nois mermo! — Marquinhos riu.

— Vai ta top! Meio diferente. — Rober disse.

— Devo me preocupar com o meio diferente? — olhei para Luan e os meninos na mesa. 

Todos eles riram.

— Não amor, não precisa. — ele disse rindo. — vamos pro pantanal.

— Os padrinhos já estão avisados, os amigos. — Rober riu. — Relaxa vai se de boa a despedida de Luan.

— Tô de olho. — disse rindo.

Ao terminarmos de almoçar Rafa pegou Léo para limpá-lo. Luan foi deitar um pouco e os meninos também, Léo disse que iria trabalhar um pouco no quarto ao lado do meu montando looks. Eu fui ajudar Isa com a cozinha, ao terminarmos falei com ela que se quisesse ir para casa já poderia.

— Não irá precisar de mim Lê?

— Não hoje não, vai tranquila. — sorrir.

— Então ta bom, amanhã estaremos aí.

— Obrigado Isa.

Fui pro quarto do Theo ele dormia e Rafaela lia um livro no quarto dele, deixei eles lá e fui pro quarto onde Léo montava os looks, mas já terminava, pois iria ao shopping com Rafael.

— Hm lá vai! — ri.

— Me deixa guria, looks maravilhosos montei depois coloco no seu clouset.

— Tudo bem, volta só amanha?

— Sim, as fotos vão ser após almoço?

— Finalzinho da tarde?

— Isso. Te ligo, beijo! 

Antes de ir ao meu quarto liguei para Cauã dizendo o que Bruna queria, ele topou na hora, disse que poderíamos marcar um jantar hoje mesmo. Combinamos no restaurante às oito e meia e mandei mensagem para Bruna que amou a agilidade.

Ao entrar no meu quarto Luan mexia no celular.

— Não dormiu?

— Não. Vem cá! — ele deixou o celular na cama.

— Aconteceu alguma coisa esses dias? Você não parece estar bem.

— A reunião é justamente por isso, estou pensando no que fazer.

— Com o que?

Me sentei a cama de frente pra ele.

— Eu preciso passar mais tempo com o Theo, preciso ser um pai mais presente, um marido presente que possa te ajudar em tudo que você precisar. Diminuir os shows seria bom, faria shows aos finais de semana e se tiver programas, rádios ou qualquer outra coisa durante a semana para que eu possa ir e voltar, entente?

— Eu te entendo Luan, mas também entendo seu trabalho amor. — sorrir. — Você não tem que se preocupar com isso, Theo estar sendo bem cuidado.

— Mas eu estou perdendo a infância do meu filho sabe? E eu já perdi a minha, a dele eu não posso! — As lágrimas apareciam em seu rosto.

O abracei forte e beijei seu rosto. 

— Ei você não irá perder a infância do seu filho, nem que eu tenha que ir com você em todos os shows. Ou de vez em quando. — sorrir. — farei de tudo!

— Eu também, por isso vou ter essa reunião hoje, eu que convoquei a todos! E também não aguento mais a Thais, depois que ela passou a ficar mais tempo comigo do que a Lelê eu estou ficando mais nervoso. Ela me estressa, hoje em João Pessoa eu mandei que ela viesse embora antes da gente, não aguentava mais.

— Ei não fica assim ta bem? E sempre que você quiser conversar, me liga, não fica guardando só pra você não. — dei um selinho. — estarei sempre aqui, ta bom? — O abracei outra vez, ele também me abraçou forte. 

— Eu te amo muito, obrigado por tudo! — e me beijou calmamente, terminou o beijos com vários selinhos. 

— Luan bora! — Rober chamou. — Tô morto ainda, mas está na hora.

Eu e ele nos olhamos e rimos.

— Vai lá. — sorrir. — qualquer coisinha me liga ta? Te amo e até mais tarde.

— Até meu amor. 

Vi que ele saiu do quarto e foi direto pro do Theo, beijou o rosto do filho e saiu colocando um boné e óculos de sol. Rober e Marquinhos se despediram de mim e eu voltei pro quarto.

 

Luan ON.

Ao entrar no escritório cumprimentei todo mundo, era uma alegria aquele escritório o dia todo. Amava trabalhar com a minha equipe, eles tentavam me entender da melhor maneira possível, e hoje eles iriam me atender também.

— Jujuba estou na minha sala, avisa quando todo mundo chegar, por favor? — Pedi.

— Tranquilo Luan. — ela sorriu.

Entrei para minha sala e me sentei e no porta retrato em cima da minha mesa tinha uma foto de Helena quando Theo nasceu. Viajava olhando meus dois amores, quando logo a porta da minha sala se abre.

— Ah! É você. — disse ao olhar Thais entrar na minha sala.

— Luan todos já chegaram. — ela disse se aproximando e eu me levantei.

— Então vamos. — Disse.

— Espere.— ela segurou o meu pulso. — eu preciso te pedir desculpas por hoje cedo.

— Tudo bem, vamos? — disse.

— Luan eu.. — ela veio pra cima de mim e seus lábios encostaram nos meus.

— QUAL É A SUA THAIS? — no susto eu gritei e ela se afastou.

A porta logo se abriu outra vez.

— O que ta acontecendo Luan? — meu pai entrou assim que nos afastamos.

Anúncios

Capítulo 96° — Passeio com o nenê.

Bruna desceu do seu carro e veio até a janela do meu.

— Indo na casa dos meus pais, vamos?

— Ai não quero atrapalhar.

— Desde quando você  atrapalha? Entra aí.

— Vou pegar minha bolsa no carro. — ela disse e foi correndo, estacionei o carro esperando por ela que logo entrou e sentou no banco carona.  — Oi Rafa! Oi amor da titia.

— Oi Bruna, tudo bem? — Rafa cumprimentou.

— Aham. Luan já foi? 

— Acabou de ir, ah e aquela Thais no lugar da Lelê não sei se gostei.

— Minha mãe não gostou dela Helena, minha mãe.

— Sua mãe gosta de todo mundo Bruna, como não?

— Pra você ver! 

— Enfim, resolveu sai rum pouquinho do condomínio e ir até a capital, milagres! — ela riu.

— Então né… — ri. — tenho que visitar meus pais depois que o Theo nasceu eu nem sair praticamente né Bru?

— Verdade, só fica nesse Alphaville.

— Mas tem tudo!

— Te entendo. 

Fomos conversando até chegarmos na casa dos meus pais, Rafa também entrou na conversa. Depois de quarenta minutos chegamos no condomínio e na porta estavam Larissa, Caio e Breno. Bruna passou direto e nem foi no namorado, o que estava acontecendo?

— Vão direto pra casa e me liga assim que chegarem no Alpha. — Larissa disse para eles que entravam no carro. Vi o olhar de Breno sobre Bruna, mas não comentei nada.

— Que bom que chegaram. Ei Bru! Ei Rafa! — ela abraçou as duas e logo após me abraçou. — Ei amor da tia. — ela disse pegando o Theo em seguida. 

— Mamãe e o papai? 

— Estão lá dentro esperando vocês vem!

Lari e Rafa seguiram na frente com o Theo. 

— Ei quer me explicar?

— A gente terminou.

— Como assim?

— Depois a gente fala sobre isso pode ser?

— Como quiser Bru.

Ao entrarmos os avós babões já paparicavam o neto, que também amava fazer as bagunças com os avós. Começamos a conversar, lo mais a campainha tocou e quem foi abrir foi Célia. Quando entraram eram meus avós de parte de mãe, quanto tempo eu não os via!

— Helena minha neta! — minha vó ao me ver me abraçou forte,

— Vovó! — sorrir. — Bença.

— Deus te abençoe minha linda, como você esta? 

— Estou bem. — sorrir. — Vovô!

— Helena minha netinha.

Depois de cumprimentar todos eles foram até o pequeno Theo.

— Pedro olha aqui que menino lindo! — minha vó dizia ao meu vô. — parece demais com a Helena.

— Só os olhos Dona Eunice. — meu pai disse rindo. — Theo é a cópia do pai dele.

— É verdade mãe. — minha mãe sorriu. — da Helena foi só os olhos.

— Theo não sabe a sorte que teve de ter sido só os olhos! — Larissa riu.

E Bruna caiu na risada junto.

— Ridículas. — ri.

— Obrigado vó ele é lindo mesmo, parece demais com o Luan.

— Deixa eu ver a foto do pai dele filha, nunca vi o pessoalmente.

— Vai conhece-lo vovó, semana que vem vocês ainda vão estar aqui vão ama-lo. — disse pegando a foto do Luan como Theo e mostrando. — Essa aqui. — apontei Bruna. — é irmã dele.

— Se parecem muito também. — minha vó sorriu. — mas esse menino é o Luan Santana.

— Então… — ri. —É ele vó!

— Minha filha cê ta muito chique. — ela riu, fazendo todos rirem.

Depois de um tempinho com todo mundo conversando, fui até a cozinha conversar um pouquinho com minha amiga Celinha.

— Oi meu anjinho, estava com saudades de você.

— Que nada, agora você gosta só da Isa. — ela riu fazendo graças.

— Ah para! — risos. — e como estão as coisas por aqui?

— Da mesma forma, agora estou vindo três vezes por semana.

— Quase ninguém em casa né?

— Aham, e lá na sua casa? Como está você o Luan o pequeno Theo?

— Estamos bem Célia. — sorrir. — Theozinho ta lá na sala com minha mãe. Porque não vai num dia de folga passar um dia com a gente, iria amar.

— Helena não quero incomodar.

— Meu anjo e quando você incomodou? Hein? Vai pra lá um dia.

— Só quando estiver você me sinto mais a vontade.

— Como você é boba Célia! — rir. — Luan te adora!

— Mas me sinto mais a vontade com você.

— Tudo bem. — risos. — Minha mãe te entregou o convite?

— Sim, feliz por você!

— Certeza que sim.

Fiquei conversando um pouquinho com Célia e logo minha irmã veio com o Theo no colo.

—Toma seu filho. — ela disse. — Bruna, vem, vamos pra piscina! 

— Te deixando de lado essas tias suas e você fica puxando saco ainda. Ta vendo amorzinho?

— Quer que eu fique com ele Helena?

— Não Rafa, tá tranquilo. — risos.

— A cada dia mais lindo! — Célia disse. — quando crescer será um homenzinho que fará sucesso.

—Gosto nem de pensar! 

— O mãe ciumenta essa viu? — minha mãe veio também.

— Sou mesmo.

O dia na casa dos meus pais foi bem legal. Pude conversar bastante com eles, sobre o Luan, casamento, casa, trabalho do quão estava sentindo falta do hospital. Mês que vem já poderia voltar se eu quisesse com o Theo com cinco meses, já fico mais um pouco tranquila. Almoçamos todos juntos, tomamos café da tarde quase que ficamos até pro jantar, só que eu já estava exausta, querendo um banho e minha casa. Ao despedir dos meus pais, Larissa disse que iria sair com Caio e vi uma tristeza aos olhos de Bruna. No carro, no trânsito, Theo chorando de sono lá trás.

— Calma filho! — disse e  olhei ao parar no semáforo. — mamãe vai te dar mamar depois de um banho, sei que o neném ta com sono e com fominha, mas calma ta amorzinho. — ele parou de chorar e olhar e a falar umas palavras de bebês. — Bru fica lá em casa hoje.

— Posso? — ela perguntou.

— Claro que pergunta é essa? Cê sabe que seu quarto lá em casa ta sempre lá! — sorrir.

— Vou passar só em casa pra pegar umas roupas.

— Não é necessário, temos lá. —disse. — Rafa, vou te liberar quer que te deixe em casa?

— Não precisa se incomodar Helena.

— Você veio de carro hoje? 

— Não, mas chamo um uber.

— Não! Me guia vou te levar.

Já estávamos em Barueri e ela foi me guiando era bem próximo mesmo ao Alphaville. Ao deixarmos ela em casa, fui direto pro condomínio e assim que chegamos em casa Bruna me ajudou segurando as bolsas. E eu segurando o Theo. Meu celular tocou dentro da bolsa, não tinha como eu pegar.

— Deve ser o Luan. — Bruna disse ao digitar a senha do elevador no apartamento.

— Retorno depois. Avisa seus pais tá, que vai ficar com a gente hoje.

— Ta bom. —ela sorriu. —quero conversar.

— Sei que sim!

Ao entrarmos no apartamento Isa veio pegar as bolsas e perguntar se queríamos algo. 

— Hoje eu vou cozinhar.— Bruna disse. — Posso?

— Claro Bru! Noite de folga Isa. —risos.

— Vou  dar um banho no Theo e amamenta-lo ele ta morrendo de sono, coitado do meu bebê. — sorri beijando a cabecinha dele.

— Vou tomar um banho também. — Bruna disse em direção ao quarto e fui ao do bebê.

Acordei ele  com muito custo ele despertou.

— Que judiação mamãe! — meu celular tocava novamente, era Luan, vi no visor atendi. — Oi meu amor.

— Oi minha linda, ta tudo bem? Demorou atender.

— Estava chegando em casa Theo no colo, celular na bolsa. — risos. — Estamos bem. — dizia enquanto enchia a banheira para o banho.

— Que cê ta fazendo aí?

— Estou preparando o banho do bebê. — sorrir. — ele é muito lindo né?

— Uai né amor, obra nossa! — ele deu uma gargalhada gostosa, — deixa eu vê-lo. Ligo pelo face-time.

— Ta bom amor.

Ele desligou e logo o celular tocava de novo, atendi e me sentei no sofá do quarto com Theo em meu colo quando ele viu o pai pelo outro lado da tela levou a mão na tela do celular.

— Olha que gracinha amor. — sorrir.

— Oi neném do papai, neném mais lindo do mundo. Você passeou muito? Foi na casa dos vovós é? — Luan conversava na voz mais fofa do mundo com o Theo que falava várias palavras.  — É meu amor? Foi legal? Mamãe lindona passeou com você é? Levou neném para passear.

— Momento mais fofo não tem né? Ai como amo vocês! — disse sorrindo.

— Eu que amo vocês. — ele disse.

— Nossa Luan eu disse que você iria atrasar e você ainda nem se arrumou para atender a imprensa. Desliga esse celular e vem logo! — Certeza que era Thais falando.

— Ah não na boa que guria chata, puta que pariu Luan!

— Amor olha essa palavra perto do Theo. — Luan disse ignorando a Thais.

— Ele nem entende. — ri. — mas sério ela parece um encosto eu hein!

— Ela ouviu. — Luan riu. 

— Ai não falei mentiras. — disse balançando os ombros. — amor vou dar um banho no Theo. —disse indo até o banheiro e desligando a água. — Depois a gente conversa, quando insuportáveis não estiver por perto para atrapalhar. — ele riu.

— Você ama né?

— Cê sabe que sim. — ri. — beijo meu amor, bom show, te amo muito!

— Também amo muito vocês, beijo, fiquem com Deus.

Desligamos e dei um banho no Theo. Coloquei um pijama no nenê e logo após o banho dei mamar para ele que dormiu em seguida deixei o no berço liguei a babá eletrônica e fui tomar um banho rápido e vestir também um pijama. Ao terminar peguei meu celular e desci respondendo umas mensagens no wpp, nossa como tinha mensagens.

Nossa Helena conversar com você por cartas é melhor, acho que você ler e responde mais rápido. esse era Léo.

Realmente não estava mexendo no wpp por esses dias,respondi as mais importantes e me sentei na bancada da cozinha. Bruna já preparava algo para gente jantar.

— Então me diz.. — comecei. — O que houve entre você e Breno?

— Nós terminamos. — ela disse tristezinha.

— Qual motivo Bru? — escutava a respiração leve de Theo pela babá eletrônica.

— Ele me traiu. 

— Não, você não está dizendo a verdade.

— Também queria que não fosse. — ela disse e uma lágrima escorreu, ela secou rápido.

— Bruna. — disse me levantando indo até ela. — Você é linda, inteligente, tem tudo pra ser feliz com alguém que realmente te faça feliz, que chegue ao final do dia e te lembre o quanto é bom ter você ao lado dele, de como você é especial, de como seus olhos sorriem quando você está feliz. Não sofra sem necessidade, retribua apenas o amor que você recebe, a vida só vale a pena se tudo for reciproco, não adianta amar por dois, porque quando um não quer, dois não formam casal, lembre-se sempre disso. Seja seu foco, se ame primeiro, segundo, terceiro e quarto, ai sim pense nas outras pessoas. Príncipe encantado não existe, mas tenha alguém do teu lado que te trate como uma princesa, não aceite menos que isso. Se um não ter der o devido valor, vai ter outro que vai dar, essa é a lei da vida, mas NUNCA viva com alguém sendo infeliz, não sofra por quem não merece, lute por quem luta também por você.

— Eu o amo tanto!

— Eu sei que sim, não é fácil um amor acabar assim do dia pra noite. — falei. — mas vem cá, você precisa se sentir bem com quem está com você, com quem merece você e quem você mereça! Você merece um príncipe que te trate como princesa, mas lembre-se não espere por aquele príncipe de contos de fadas que esses aí não existe não. E são esses que a gente acaba quebrando a cara.

— É.. — ela suspirou. — eu vou ficar bem.

— Vai sim. E se não ficar estarei aqui do seu lado, até tudo ficar tudo bem. — sorrir.

— Obrigado, você é como uma irmã mais velha.

— Conta sempre ta? — a abracei.

Ela terminou a comida e comemos e durante o jantar conversamos sobre várias coisas.

(…)

 20 dias depois…

— Luan marquei uma entrevista pra você no sábado. — Thais falou;

— Desmarca. — Disse de saco cheio. — Se você tem uma agenda, sabe que dia vinte é o dia do meu casamento.

— Ah é tem isso. — ela revirou os olhos. 

— Thais faz o seguinte volta pro escritório.

— Eu não posso, a Arley… — a interrompi.

— O patrão aqui sou eu não é? Vai logo! — falei firme, nunca falei com nenhum dos meus funcionários dessa forma, mas ela estava me deixando maluco. 

Ela sumiu da minha vista.

Capítulo 95° — Thais

— O que houve Helena? Você ta toda molhada. — Bruna me olhou assim que sair do camarim ela ia também em direção ao palco. — Nem disse que viria!

— Oi meu amor, também não sabia que vocês viriam. — risos. — ah eu fui pro camarim pegar meu celular, a Thais derramou água em mim acidentes. — disse rindo, passando a toalha por cima do vestido. — O bom que é preto né?

— Thais?

— Nova funcionária do seu irmão. — falei chegando ao palco, Luan já trocava de roupa.

— Onde você tava? — ele me olhou e abraçou a irmã. — Oi Bru!

— Oi Luan! — ela sorriu.

— Fui pegar meu celular. — sorrir.

— Porque ta toda molhada? —Thais escutou e disse.

— Eu desastrada Luan derramei água na Helena. Que vergonha! — ela disse.

— Thais não tem problema.— disse rindo. — acidentes acontecem né? E mais nem foi porque você quis. Nem da pra ver. — risos. — Luan só viu porque me abraçou. 

Luan olhou para menina e confirmou sorrindo, logo depois parou e olhou sério a nova funcionária. Não entendi, mas ok! Os backs cantavam no palco, eu e Bruna começamos a dançar.

— Vocês duas quando juntam!

— Duas não né? Tem Carol, Ju, Je. — ri.

— Mais enaltecedoras que nós? Onde? — Bruna riu. — Bailarinas dessas.

— Melhor do que as do Faustino. — Juliana disse rindo.

— Tô vendo! — Luan riu.

— É muita muié nesse palco, meu Deus! — Rober riu.

Luan logo voltou ao palco e anunciou a nova música e que música maravilhosa que era, bem dançante! Nos jogamos, quando finalizou voltamos pro camarim antes que Luan. Me sentei com Bruna e sogra e ficamos conversando ali, esperando pelo Luan.

Você é maravilhosa, te amo @brusantanareal 

— Cheguei muiéres da minha vida! — ele entrou no camarim já com a camisa sobre o ombro, veio até mim parou na minha frente e me deu um selinho. Super fofo!

— Luan aqui. — Thais nos atrapalhou entregando a camisa, ele olhou ela pegou a camisa e se sentou do meu lado. — Obrigado Thais.

—Thais me ajuda aqui. — Juliana a chamou.

— Essa menina é estranha. — Bruna disse baixinho.

— Estranha como? — perguntei.

— Lá você colocar coisa onde não tem Bruna. — Luan riu vestindo a camisa. — ela é normal, primeiro dia dela não da pra julgar.

— É verdade. — disse rindo.— bom ela é bonita, educada, intrometida as vezes. 

— É isso!

— Porque intrometida? — ele nos olhou.

— Tipo você veio me deu um beijo ela parou e fez com que nós soltássemos. — o olhei.

— Hm, mas…

— Luan! — Thiaguinho entrou no camarim, fazendo o Luan se perder no raciocino.

Ele levantou indo até o amigo que entrou com a esposa Fernanda, eu ainda não os conhecia pessoalmente e é claro que Luan me puxou até eles.

— Parceiro e Fernandinha essa é a Helena! — ele sorriu.

— Um prazer conhecer vocês viu? — sorrir. — Fernanda você é muito mais linda pessoalmente.

— Posso te falar que você também. — ela riu.— obrigado Helena é muito bom te conhecer.

— Digo o mesmo.

— Prazer Helena, falamos muito de você que és a musa inspiradora de Luan nessa nova música.

— Hmm! —ri. — o prazer é meu Thiaguinho. 

Fiquei conversando um pouco e depois me sentei ao lado da sogra outra vez.

— Tenho que voltar pra casa gente, meu filho ficou lá dormindo.

— Deve estar como os anjinhos, ainda mais com a Rafaela que cuida dele com tanto amor.

— Ela é só amor né? — sorrir. — Acho que escolhemos bem!

— Eu também concordo. — Marizete sorriu,

— Estamos prontos para irmos. — Rober disse.

— Isso! — disse animada. 

Todos riram e me despedir das meninas da equipe, agradeci pela companhia, despedir de Thais. 

— Arleyde ficará fora semana que vem né?

— Sim Luan, vou estar em algumas reuniões. —ela dizia, enquanto íamos conversando pelos corredores saindo do local. — mas a Thais já sabe como que funcionam as coisas, já passei tudo pra ela, e ela te acompanhará junto com o Rober e os meninos.

— Mas ela só tem um dia que está na equipe, não é arriscado? — perguntei, mas deveria ter ficado calada, mas o que a Bruna havia dito mais cedo estava martelando em minha cabeça.

— Não ela já trabalhou com assessora de um cantor. — ela sorriu. — ela dar conta.

— Porque não a Juba, Carol, Je que já estou acostumado? Ou até mesmo o Testa me ajuda com tudo Lelê, não precisa se preocupar.

— Luan Ju,Carol e Jessica já tem muita coisa no escritório.— ela disse. — Rober vai pesar demais pra ele, ela vai se sair bem e é só uma semana.

— Ata. —ele disse me olhando.

Lá fora sair na frente e despedir dos sogros da Bruna, que eles iriam de carro e eu junto com Luan na van com Arleyde, Rober, Well, Claudio e Marquinhos. Me sentei no fundo da Van e Luan logo após atender os fãs, se sentou do meu lado. Me abraçou deitei minha cabeça em seu ombro ele deu um beijo e ficou alisando as pontas do meu cabelo enrolando mexas em seus dedos.

— Não fica pensando no que Bruna te disse não. —ele disse baixinho. — A menina parece ser legal.

— É… — disse. — enfim, ta tudo bem. Ela cuidando direitinho de você ta bom, como a Lelê cuida.

— Assim eu duvido, Lelê é um anjo.

— Eu sei que sim. — sorrir.

A van logo parou chegamos em casa tão rápido que até assustei quando Wellington abriu a porta. Desejamos uma boa noite pra todo mundo e Marquinhos passaria a noite lá em casa hoje, pois dormir,  certeza que os dois não iriam.

— Será que o moleque ta dormindo? — Luan riu.

— Sem dúvidas. —risos. —não é possível que esteja acordado né? 

— Obrigado Helena por deixar ficar aqui com vocês.

— Marquinhos você é de casa. — sorrir. — sei que vocês não vão dormir mesmo, eu vou tomar um banho e dormir. Quarto de hóspedes escolhe um lá e dorme quando você subir ta? 

— Obrigado Helena, preocupa não que com nois não garra não.

Ele riu e Luan também.

— Beijo amor.— dei um beijinho no Luan. — Só não fazem barulho para não acordar o Theo.

— Pode deixar.

— Boa noite princesa. — ele me puxou e me deu outro beijinho.

Passei no quarto do Theo ele dormia feito um anjinho e na poltrona ao lado do berço Rafa também dormia.

— Rafa vai pro quarto. — chamei bem baixinho. — pode ir descansar, obrigado viu?

— Oi Helena que bom que chegaram ele mamou agora a pouco. — ela sorriu. — vou descer, obrigado. Boa noite!

— Pra você também.

Sair do quarto deixando somente a luz do abajur acessa. Tirei minha roupa e tomei um banho bem relaxante ao colocar um camisola de cetim, fui novamente ao quarto de Theo e ele dormia, liguei a babá eletrônica e voltei pro meu quarto. Ao deitar não demorou para dormir feito um anjo, até o próximo choro do Theo.

(…)

— Vamos ou! — Rober disse chamando pelo Luan.

— Calma Testa. — ele disse rindo.

— Vai com a gente Lena? — Rober sorriu.

— Não, hoje estou indo para casa dos meus pais, passear um pouquinho com Theo. — sorrir. — vou descer junto com vocês, a cadeirinha dele ta no seu carro ou no meu Luan?

— Nossa Lê, agora cê pegou pesado. — risos. — não lembro, mas acho que no seu.

— Vou descer com as duas chaves. 

— Estamos prontos. — Rafa apareceu com o Theo todo arrumadinho, coisa mais linda.

— Oi garotão do tio Rober. — ele brincou com o bebê. — bom dia Rafa!

—Bom dia Rober.

— Vamos. 

Saímos todos juntos, Luan pegou o Theo para curtir mais um pouquinho mais antes de viajar.

— Como vocês demoraram! — Thais disse ao chegarmos na portaria do condomínio. 

—Relaxa Thais. — risos. — nem atrasados vocês estão.

— Ainda né? — ela disse. — oi Luan, vamos!

Ela nem me cumprimentou, nossa que menina insuportável.

— Desculpa, mas essa daí não vai durar muito! — disse pro Rober e pro Luan.

— Well me disse o mesmo. — Rober riu.

— Uma chance para a garota né? — Luan disse. 

— Ué não disse nada. — risos. — vai amor, se não você pode se atrasar e a outra ficar louca. — dei um beijo demorado, logo em seguida ele riu. — Te amo, vai com Deus, que ele proteja vocês nessas estradas. 

— Amém princesa. — ele sorriu e me abraçou forte. — Filhão papai logo volta tá? — beijou o filho e me entregou. — ficam com Deus, me liga qualquer coisa tá? Amo vocês. Tchau Rafa!

— Ta bom amor, tchau. — segurei Theo em meus braços.

— Tchau Luan. — Rafa despediu.

— Rob vai com Deus, me liga qualquer coisa tá? — pedi a ele olhando pro Luan que revirou os olhos.

— Pode deixar, beijo. — ele me abraçou e saiu.

Acenei para o Wellington que acenou também e logo eles partiram.

— Vamos também né? — Disse para Rafa que sorriu.

— Essa é nova na equipe?

— Aham.

— Ela nem te cumprimentou Helena.

— Ela é estranha, as vezes acho ela muito intrometida e a sabe tudo… — disse pensativa, enquanto coloco o Theo na cadeirinha. — ela parece não gostar de mim sabe? Talvez seja algo da minha cabeça.

— É talvez. — A Rafa disse entrando no carro e terminando de arrumar Theo na cadeirinha.

Entrei no carro e liguei o mesmo seguindo em direção a saída do estacionamento, na portaria do condomínio.

— Ei onde vocês vão? — um grito.

Capítulo 94° — A funcionaria

A noite foi se aproximando e eu já me arrumava para o show do Luan, me vestir.

— Luan vou amamentar o Theo por enquanto, me chama quando o Rober chegar ta bom?

— Ta bom princesa, vou sair do banho aqui e me vestir.

Fui até o quarto e Theo estava no berço brincando com os brinquedinhos pendurados no berço. Ele ao me ver abriu um sorriso lindão.

— Ei príncipe da mamãe, tá com fominha tá? — o peguei e me sente na poltrona ali no canto, liguei um música de ninar e comecei a amamenta-lo.

Um momento tão nosso. Eu te amo tanto filho. #mãedemenino #mãedepríncipe 

Após uns minutos ele dormiu e Luan apareceu no quarto prontinho. 

— Tô pronto. — disse baixinho e se sentou no braço da poltrona.

— Tá lindo. — sorrir. — Testa chegou?

— Você que está princesa. — ele beijou o alto da minha cabeça. — não, disse que está chegando.

— Ta bom. — sorrir. 

Coloquei Theo para arrotar e logo coloquei no berço coloquei a cobertinha por cima dele, dei um beijinho de boa noite, Luan também fez o mesmo. Fui no nosso quarto passei meu perfume, peguei um casaco e uma bolsa pequena coloquei documentos, carregador, celular, chaves.

— Vamos? — ele apareceu na porta do quarto.

— Agora. — sorrir, antes passei no quarto do Theo ele dormia feito um anjinho, passei uns recados para Rafa e dei boa noite para ela e Isa. Descemos para encontrar Rober.

— Olá Lena.

— Oi Rober.

— Testa hoje sem atrasos?

— Tô até surpreso. — Rober zoou.

— Bestas. — entramos na van e fomos em direção ao local do show. — Hoje vai estar todo mundo? 

— Sim, lançamento de música nova né? — Luan me olhou.

— Mais um sucesso! — deitei a cabeça no seu ombro. 

Ele foi me fazendo carinho até chegarmos no local, quando descemos da van que gritaria imensa era aquela? Rober e Wellington desceram primeiro, depois Luan e logo eu atrás com a ajuda dele. Como tinham muitas fãs Luan não pode parar, a não ser acenar, mandar beijos. Então seguimos para o camarim, pelo percurso até lá encontramos muita gente da equipe que nos cumprimentaram. Ao entrar no camarim estavam Arleyde, Carol, Ju, Jéssica.

— Oi meninas! — sorrir indo até elas e cumprimentando. — tudo bom?

— Tudo bem Helena, que bom que você veio.

—Ai gente estava com saudades de acompanhar. — disse. — vou curtir hoje.

— Isso aí, música nova tem que ta todo mundo. — Carol sorriu.

— Luan! — Ju o chamou. — deixa eu apresentar a você a Thais que estará estagiando com a gente.

— Oi Thais tudo bem? — Luan a abraçou cumprimentando. — seja bem vinda viu muié, de verdade.

— Oi Luan, tudo e você? — ela sorriu tímida. — obrigado!

— Essa é a noiva do Luan Thaisa, Helena um amor! 

— Oi Helena, tudo bem? — me cumprimentou com dois beijinhos na bochecha. — um prazer.

— O prazer é meu Thais, bem vinda, vai amar a galera! — sorrir. 

Me sentei no sofá ao lado da Jéssica e da Arleyde onde conversávamos sobre o Theo, casamento. Logo Carol e Juliana se juntou com a gente. Depois Marizete e Amarildo entraram no camarim, abraçaram o filho. Ficamos ali conversando, enquanto Luan atendia os fãs, contratantes e o público que eram muitos.

— Lê, vem cá. — Luan me chamou.

Fui até ele.

— Oi?

— Uma entrevista com nós dois agora, topa?

— Sobre?

— Nós mesmo amor.

— Pode ser. — sorrir.

Então entrou a imprensa, primeiro quem começou foi o Léo Dias.

— Luan Santana como é bom te encontrar mais uma vez, e agora acompanhado da Noiva Helena Mitchell! —ele disse. — Tudo bem com vocês?

— Tudo tranquilo graças a Deus. — respondemos juntos.

— Luan você se importa se eu fizer umas perguntas para Helena?

— Claro que não. — ele riu. 

— Ótimo se o patrão liberou ta liberado. — risos. — Helena você quase não acompanha o Luan nos shows, hoje é um dia especial?

— Bom Léo todos os shows são especiais. — sorrir. — hoje é um dia que terá lançamento de música que é linda viu? Vocês vão amar! Eu quase não acompanho o Luan por causa do nosso filho, ele ainda é muito pequenininho pra ficar nesse barulho todo. Então quando consigo uma folguinha tento marcar presença sim com o Luan,

— Entendo. E o casamento de vocês Luan?

— Daqui um mês nós casa né amor? — Luan sorriu ao me olhar. Concordei. — dia doze de dezembro, vai ser uma cerimônia linda.

— Ah felicidades pra vocês. Luan enquanto a música de hoje o que o público deve esperar, ou o que você espera do público?

— Lançar música nova é sempre muito bom, e ao mesmo tempo da um medo né? Vai que as pessoas não gostam? Mas eu tenho a certeza que a Check-in muita gente irá gostar e vocês irão curtir logo mais!

— Ótimo, certeza que a galera vai amar! Luan vou deixando você aqui e você descer pro meio da galera pra acompanhar o show todo de lá, e aguardar a música nova. Helena foi um prazer conversar com você e boa sorte pro casal.

— Obrigado. — falamos e eles saíram.

Juju Thomé é minha companhia de show do amor hoje. Lindeza, estava com saudades! 

Meia hora depois Luan foi chamado ao palco, fomos todos juntos para a lateral do palco. Show rolando e a gente cantava, dançava, a galera indo a loucura. Tinha esquecido o celular no camarim, fui buscar. Ao chegar na porta do camarim fui entrar,  a Thais saiu com tudo lá de dentro derramando uma garrafinha de água em mim. Que susto!

— Ai Helena me desculpe pelo amor de Deus! — ela disse desesperada. — Por favor, ai me perdoa.

— Calma Thais, não foi sua culpa. — disse, passando a mão onde havia caído água.

— Você está toda molhada, meu Deus que vergonha.

— Menina relaxa essas coisas acontecem. — disse sorrindo. — Relaxa. 

Entrei no camarim e peguei uma das toalhas do Luan me secando ela me olhava toda preocupada, peguei meu celular e já ia voltando pro palco. 

— Você não vem?

— Já já, vou pegar a camisa do Luan. — ela disse e eu concordei.

 

Thais On.

Ah! Como eu queria dizer que eu derramei porque eu quis, essa Helena eu não a suporto, se faz de amorzinho!

Thais Of.

Capítulo 93° — Realmente na sua!

Luan conversava com os meninos em um canto, pegaram o violão para fazer umas modas, assim disse eles. Me sentei com as meninas e começamos a olhar os vestidos que Léo tinha trago uns catálogos. 

— Gente o que eu falei pro Léo, eu só escolhi a cor do vestido, pois eu quero que vocês estejam todas iguais. — sorrir. — E o vestido vocês irão entrar em um acordo e escolher apenas um modelo.

— Ai eu trouxe esse catálogo para vocês verem os modelos que tem no ateliê, ou que vocês querem que façam. — Léo disse. — escolhem ainda por esses dias amores.

— Deixa a gente ver então! — Lisa pegou a revista.

— Qualquer um Lê? — Bruna me olhou.

— Aham de preferência longo né meninas? Acho mais bonito, mas aí vai de vocês.. — ri.

Enquanto elas iam procurando um modelo de vestido me sentei com minha mãe e minha sogra que também falavam sobre o casamento. 

— Já mandou os convites?

— Não. — ri. — Peguei ontem com a sogra, né Mari? Temos que enviar.

— Me entrega os dos seus tios que eu entrego para eles, amanhã vou na casa da sua vó verei todo mundo. — ela disse.

— Tudo bem mãe, vou pegar e separar, aliás, tenho que levar alguns no hospital. — fui até o quarto e peguei os convites.

— Quem serão os noivinhos? — Bruna perguntou.

— Davi filho do Matheus e a Alice filha do Fernandim. — Luan disse.

— Theo vai entrar? — Amarildo me olhou.

— Sim. — sorrir. 

Depois de conversarmos muito, as meninas acabaram decidindo o modelo do vestido e logo todo mundo também se despediu, indo embora só ficando eu e Luan. Me deitei no sofá e Luan me olhou sorrindo. Acabamos subindo pro quarto para descansarmos, antes que Theo acordasse e não deixasse ninguém dormir.

(…)

Sábado às 10h da manhã.

— Bom dia meu amor. — Luan disse saindo do banho, enquanto eu acordava.

— Bom dia meu bem. — ainda sonolenta. — que horas são?

— Dez! — Luan disse.

— Meu Deus o Theo! — disse me sentando rapidamente.

— Relaxa. — ele riu. — Rafaela ta com ele, você precisava dormir um pouquinho mais amor.

Ele sorriu e eu me levantei indo ao banheiro fiz minhas higienes, tomei um banho e quando sair de lá. Luan brincava na cama com o Theo. Dei um selinho em Luan, e depois um beijinho no meu bebê.

— Hoje vamos no show comigo?

— Vamos. — disse. —tempinho que não te acompanho, saudades.

— Eu também. Deixa o Theo com a Rafa e tudo certo. Ah! Hoje tem uma menina nova na equipe.

— No lugar de quem? — o olhei enquanto arrumava meu cabelo.

— De ninguém, é estágio, tá junto com a Jessica, Ju e Carol. — ele disse. — Ainda não a conheci.

— Hm! Irá conhecer. — sorrir. — já tomou café?

— Não, estou te esperando.

— Então vem, deixa eu pegar o bebê da mamãe. — peguei ele com o Luan e ele dava lindos sorrisos. 

Descemos e tomamos nosso café da manhã, amassei algumas frutinhas e dei pro bebê comer. Luan queria uma foto nossa juntos e pediu para que Rafa que tirasse para gente, ela que estava passando a roupa do pequeno tirou a foto e ele postou logo em seguida.

“Alegria de toda manhã. A razão de tudo na minha vida, amo vocês! @helenamitchell”

Logo mais a foto foi bombardeada de comentários e curtidas, sem contar que já estava em todos os sites de notícias né? Depois do momento família, Theo acabou se cansando e dormindo. Fui me trocar, junto com Luan decidir ir entregar os convites de casamento que faltavam. Me vestir.

 

— Rafa qualquer coisa você liga pra mim ou pro Luan ta? 

— Tudo bem, podem ficar tranquilos.

— Isa, vamos almoçar na rua mesmo ta?

— Ta bom Lena. — ela sorriu.

— Amor vamos!

— Isa a chave do meu carro você viu? 

— Onde o senhor sempre deixa Luan.

— Senhor não né Isa! — Luan riu.

Eu comecei a rir dele e a Isa toda desconcertada me olhando pedindo ajuda.

— Aí cê quebra minhas perna uai. — ele riu. — Brincadeirinha Isinha! Tchau.

— Tchau crianças. — ela disse.

— Isso gostei assim.

— Vamos logo Luan! — ri.

Saímos do apartamento rindo até, ao chegar no Hall Luan encontrou com uns vizinhos que só se faziam de bons vizinhos, apenas interesses! Respirei fundo, pela demora. Luan vendo minha impaciência, despediu do vizinho e fomos pro estacionamento.

— As caras que você faz Helena! — ele riu.

— Ai eu não aguento tanta falsidades desses que se fazem!

— Você ta muito impaciente amorzinho. — ele riu. 

Entramos no carro e ele ligou o mesmo já ligando o som.

— Quem primeiro?

— Paula e Matheus, vamos começar aqui dentro do condomínio primeiro. 

— Ta bom.

Assim que chegamos na casa de Matheus e Paula os dois voltavam da escola com o pequeno Davi. Luan deu uma buzinada e eles olharam.

— E ai cara! — Matheus disse sorrindo e cumprimentando o Luan.

Luan parou o carro e descemos para entrega-los.

— Oi Paulinha tudo bem? — sorrir. — Ei Davi! 

— Oi Helena, tudo sim e você? — Nos abraçamos.

— Estou ótima. — sorrir. — Olá Matheus!

— Oi Helena.

— E ai Davi ta voltando da escolinha cara? — Luan disse brincando com ele. — Toca aqui.

— Vamos entrar gente.

— Não Paula hoje não. — risos. — hoje estamos entregando os convites do casamento.

— Ah que lindo! Que dia vão olhar a roupinha do Theo vou com você pra olhar a do Davi.

— Então acho que semana que vem, pois vou olhar meu vestido que estão fazendo, te ligo pode ser?

— Claro, parte da tarde Davi ta comigo. — ela sorriu. — Liga sim, que vamos.

— Ótimo! — sorrir, entregando o convite. — Bom nós já vamos, temos muito que entregar ainda.

— Imagino. Depois voltem pra gente conversar.

— Voltaremos sim Paulinha. — Luan disse. — Ah, Matheus tem uma moda que tenho que te mostrar cara, vê se vai lá no estúdio depois pra gente ver.

— Borá só me chamar você sabe.

Despedimos deles e fomos pro carro, Luan disse que iria levar na casa do Fernando Zor, Faro, rodamos aquele condomínio inteiro. Quando eram 13h da tarde estava exausta e com fome.

— Vamos almoçar Lu?

— Vamos Lê, deu fome cara. — ele fez um bico.

— Então bora, qual restaurante?

— Onde cê quer ir?

Bom fui guiando o Luan para o restaurante e quando chegamos lá como sempre, fomos muito bem recepcionados. Nos arrumaram uma mesa rapidinho.

— Amor, não faltam tantos agora. — ele disse. — Do pessoal da minha família Max levou para Campo Grande, sua mãe da sua família. Nossos amigos todos mundo também uai.

— Sim falta mais as meninas do hospital e alguns doutores.

— Quais? Aquele cara lá também?

— Leonan?

— Uhum. — ele disse tomando um suco e me olhando.

— Como chama o Carlos e não chama ele? — perguntei.

— Simples! Não mandando convite.

— Deixa de ser bobo Luan. 

Se ele soubesse que não só Leonan era apaixonado comigo, mas Carlos também era. Carlos tem uma corda pelo fato de ter feito meu parto, só por isso.

— Não gosto dele, não me desce. — ele fez uma careta e o garçom deixou nossos pratos na mesa.

— Mas no dia estarei casando com você, relaxa! — ri. — obrigado.

Ele saiu nos deixando sozinhos.

— Minha esposa, é anos realmente passaram!

— Quem diria, que por conta da sua dor de cabeça iríamos estar hoje onde estamos?

— Nossa Lê verdade cara, melhor dia da minha vida foi aquele. — sorriu. — quando eu te vi eu apaixonei de verdade amor. Cara eu falei com o Testa olha que loira linda, ele ainda falando que você não era mulher pra mim.

— Uai porque? — ri.

— Porque antes de você eu saia pegando todo mundo sabe?

— Eu imagino. — risos. — Não vou falar que no começo também pensei que seria só mais uma pra você.

— Conte-me mais sobre isso.

— Uai Luan, pensa comigo! — diz ao tomar um gole de suco. — eu atendo várias pessoas por dia, famoso não foi o primeiro que atendi, e nem que fui cantada por algum.

— Hm, algum amigo meu?

— Não, atendia mais ator. — risos. — cantor além de você foi o Gusttavo Lima, Leonardo e Michel Teló.

— Hm, deram em cima de você também? — ele riu.

— Não, eles não. Todos já eram comprometidos na época. —risos. — mas enfim voltando, ai você chegou e quem estava te atendendo era minha mãe, e ela me chamou dizendo que precisava de uma mãozinha com um paciente vip, eu ainda no estágio não poderia dizer que não podia. Ela disse que era o Luan Santana fiquei pensando, nossa o Luan! — ri.

— Tô gostando, continua.

— Besta! Além de ter sido julgada como a queridinha da chefe da neurologia, por ser filha da minha mãe e ela ser a chefe e ela ter me escolhido para ajudar a cuidar de você, sofri bullying, durante um tempo. E quando começou a sair notícias de nós dois, passei ser a maria cantorzinho. Pois é acontece! Bom, quando entrei na sala e meus olhos encontraram com os seus foi algo muito louco, não sei dizer o que, mas foi. Aí você começou a me cantar e tals, pensei, ele deve estar achando que eu sou trouxa e vou cair na dele.

Ele gargalhou enquanto eu contava e ele se deliciava do almoço.

— Trouxa não fui, mas cair realmente na sua né? Olha aí um filho, noiva, pra casar… é realmente na sua!

— Graças a Deus que cê caiu na minha né meu anjinho? — ele alisou minha mão e me deu um selinho rápido.

— Graças a Deus, pois hoje eu sou feliz demais com você. — risos.

— Maria cantorzinho, vou aderir! 

— Aderir para aquelas vagabundas que dão em cima de você no camarim na cara dura! — disse baixinho para que ninguém escutasse.

— Nossa amorzinho. — ele riu alto.

— Luan! — ri olhando em volta todos nos reparavam.

— O que é hein? — ele me olhou rindo. — te amo muito cara!

— Eu também te amo. — sorrir e o abracei de ladinho colocando minha cabeça em seu ombro. — temos que voltar Theo deve estar inquieto.

— Ou não, ele fica tão calmo com Rafaela.

— Você gostou mais da Rafa né?

— Ela já é mais velha mais experiente né amor? E ainda psicóloga. A Manuela é muito nova, sabe das coisas, mas ainda prefiro a Rafa.

— Então será ela?

— Não depende só de mim né? De você também, ainda mais que você que convive mais com elas do que eu.

— Bom a Manuela é muito boa, mas acho a Rafa melhor também mais experiente como você mesmo disse.

— Então… Acho que temos uma babá fixa! 

— Aham. — risos. — vamos?

— Não quer nenhuma sobremesa?

— Não meu amor, estou satisfeita! Tenho que arrumar minha roupa pro show de hoje.

— Vou amar você comigo hoje. — selou meus lábios outra vez e chamou o garçom que iria trazer a conta.

Logo Luan pagou a conta e fomos pro carro, até em casa gastamos uns dez minutinhos. Ao chegar na sala de casa Theo estava no colo da Babá no sofá conversando com ela, ou pelo menos tentando. Fui até o banheiro lavar as mãos e quando voltei Luan já estava brincando com o Theo.

— Oi amor da mamãe. — beijei seu rostinho. — ele deu algum trabalho?

— Que nada Helena! — Rafaela sorriu. — Esse menino é um anjo eu já disse.

— Nem sentiu falta da mamãe né anjinho, foi tão rapidinho. — alisei o seu rostinho. — Rafa pode ficar durante a noite hoje?

— Claro. — ela disse.

— Ótimo, vou acompanhar o Luan no show hoje.

— Vão tranquilos. — sorriu.

— Ele é muito novinho para todo barulho né? — Luan ficou olhando o filho.

— Isso é verdade, ainda mais pra ele que vive nesse silêncio todo o dia todo.

— Sim, um ambiente totalmente diferente.