Capítulo 127º– Desabou

 

– Amor! – ele me chamou assim que saiu do banho. Eu estava jogada na cama depois de sair do banho. 

– Oi? – nem levantei, somente respondi.

– Não vamos sair pra jantar?

– Não podemos pedir no quarto? – eu disse.

– Ô preguiça! – ele riu. – você que sabe.

Eu me sentei rindo na cama.

– Estou acabada. – ri. – você é o culpado.

– Ah eu? – ele colocou só uma bermuda e se jogou do meu lado e me beijou. – Linda!

– Espera da umas nove horas que a gente vai e janta, ta bom? – pedi.

– Ta bom princesa.

Então eu deitei e liguei a TV e procurava algo para ver. Jonas deitou do meu lado e mexia no celular, logo o meu celular apitou. Era ele que havia postado uma foto.

@jonasprattes: Esse lugar é um paraíso e ao lado dela, é perfeito! Eu amo você minha linda! @juliecsantana 💘

@juliecsantana: O amor da minha vida!

Os nossos dias em São Miguel dos Milagres foram perfeitos, onde a gente pôde descansar, curtir com os amigos. Antes de voltar aos shows, faculdades e trabalhos.

Ao chegar em casa encontramos nossos avós maternos. Eles não estavam muito felizes.

– Vovó o que houve? cadê a mamãe  e o papai?

– Seus pais estão no quarto com o médico da família.

– Vó! O que o Dr. Hernandez tá fazendo aqui? Eu vou lá!

– Não, espera Theo! Pediram para esperar, a mãe  de vocês não está muito bem.

– Como não? O que minha mãe tem?

– Estamos esperando assim como você meu amor. Vem cá! – minha avó me puxou.

– Por que não avisaram para gente? tínhamos voltado antes. – Theo falou.

– Theo, sua mãe passou mal essa noite meu querido. – meu vô disse. – vocês já estariam a caminho. Se acalmem, vai dar tudo certo.

Depois de quase uma hora ali sentados, meu pai desceu com Hernandez que veio até a gente . Eu e o Theo subimos correndo, passamos pelo meu pai que deixava o quarto.

– Ela tá bem papai?

– Ela está melhor. – meu pai disse. – deixem ela descansar, pois amanhã ela terá que fazer exames. Vou conversar com o Hernandez e os avós de vocês.

Meu pai estava bem triste, mas não disse nada da mamãe para gente. Então entramos no quarto, ela estava deitada na cama, abatida, pálida. Era estranho ver ela desse jeito, aliás,  como ela mesmo dizia “eu sou a médica eu tenho que estar bem”. Corri até a cama e segurei sua mão.

– Mamãe! – falei alisando seu rosto. – Como a senhora tá?

– Um pouco melhor minha filha. Que horas vocês chegaram?

– Faz uma hora! O que a senhora tem?

– Ainda não sabemos, precisamos fazer alguns exames. Deve ser alguma virose! – Ela riu. – Não sei se médica pode passar mal desse tanto!

– Médica, mas é ser humano mãe! Você tem que descansar! – falei.

– Depois de vocês contarem como foi o fim de semana de vocês.

Theo se sentou de um lado e eu estava do outro. A gente conversou calmamente, e ela achava o máximo, mas papai logo pediu para que deixarmos a descansar e nos chamou para conversar.

Ao sairmos do quarto, fomos para sala. Meus avós agora choravam.

– Gente o que é que tá acontecendo?

– O que a mamãe tem papai?

– A mãe de vocês está com câncer. – minha vo disse.

– O QUE?!!!? Gente isso não é verdade.

O meu mundo acabou ali, eu disparei a chorar. Theo me abraçou e também chorando tentava me acalmar.

– Vocês tem certeza disso?

– Hernandez confirmou, ela tem que fazer uns exames amanhã. Ela ainda não sabe.

– Mas ela vai descobrir! – Theo disse. – Pai, minha mãe ela é esperta, nós temos que contar!

– Theo, após os exames ok? Posso contar com vocês?

Meu pai estava acabado, dava pra ver em seu rosto o quanto já havia chorado.

– Ok!

Eu então subir para meu quarto eu não queria mais nada, além de chorar. Me joguei na minha cama, o meu mundo tinha desabado.

 

Anúncios