Capítulo 78° — Vem Théo!

Ao entrar na sala confetes foram jogados pro alto, tinha uma faixa escrito. VAMOS SENTIR SUA FALTA HELENA, BOA SORTE! #VEMTHEO! Eu sorria surpresa com todo amor sobre mim, na sala estava Lisa, Thomas, Laura, Heitor, Valentina, Leonan, Carlos Eduardo, chefe Hernandez, meus residentes e minha mãe também estava.

— Eu não acredito! — foi a primeira coisa que eu falei.

— Não poderíamos deixar de fazer uma festinha de despedida e chá de bebê pro Theozinho né amiga? — Laura sorriu e me abraçou.

— Ah! Traz o Theo quando ele nascer e trabalha com a gente. — Lisa fez um bico enorme, me abraçando também.  

— O meus amores se pudesse! — eu ri. — Tô feliz demais, obrigado de verdade a todos vocês! 

A decoração tinha vários bebês pelas paredes, um bolo de fralda a decoração toda fofa. Alguns balões de ar azuis amarrados pela sala, docinhos, salgados, sanduichinhos. Sucos, refrigerantes. Num canto tinha algumas fraldas, roupinhas, presentinho para o Theo. Abracei todos ali dentro agradecendo a cada um pela linda surpresa. Eu e Léo como havíamos acabado de tomar café não comemos tanto, até por que logo estaria no horário de almoço. E se eu trocasse o almoço por salgadinhos seria uma pessoa xingada.

— Helena, você é muito querida nesse hospital. Estaremos te esperando quando acabar sua licença maternidade. Você é uma profissional é tanto! Tantos pacientes já vieram aqui atras de você só nessa semana que você saiu, procurando por você. Isso é gratificante, você é espelho para seus residentes.. — Hernandez apontou meus residentes. — que eles tornem profissionais assim como você!

— Obrigado Hernandez! É com muita felicidade que vou saindo de licença para ganhar meu bebê. Mas com um aperto no peito em sair por alguns meses e deixar todos vocês, que aliás, vou sentir saudades! Mas é por uma boa razão, quanto menos esperarmos estarei de volta. Obrigado, obrigado mais uma vez. E vocês! — apontei meus residentes. — Não me decepcionem hein!

— Nunca Dra Helena! — todos cinco vieram me abraçar.

Depois de um tempinho ali com eles, alguns voltaram aos trabalhos. Carlos Eduardo antes de ir se despediu. Despedir de todos os meus amigos que logo veria, ainda mais que iriam nos visitar em casa. 

Minha mãe, Lisa e Léo pegaram as coisinhas que eu havia ganhado e levamos tudo para o carro. Agradeci eles pela ajuda, e junto com o Léo entramos no carro voltando pro Alphaville.

No caminho postei foto com alguns que tinham tirado.

@helenamitchell: Olha só a linda surpresa que ganhei dessa família linda no hospital! Muito amor por todos vocês, o Theozinho já ama cada um. Muito obrigado aos meus amigos, chefes, residentes por toda calma que tiveram com a gente durante esses meses. Logo estarei de volta pra trabalharmos juntos como sempre fazemos. Amo muito vocês! #chadebebesupresa #amigosdoTheo #amomuito 💗🤰🏼🙌🏻

Ao chegarmos em casa entramos com todos presentes colocando no sofá.

— Vocês demoraram.

— Isaurinha ganhei um chá de bebê surpresa lá. — sorrir. 

— Ah que lindo Helena, você merece.

— Luan ligou pra vocês dois e não conseguiu falar.

— Sério? — Léo olhou o celular dele, tinham duas ligações.

Peguei o meu olhando tinham três, já discando o número e ligando pro meu menino.

 — Oi Helena, tá tudo bem? Onde você estava?

— Oi amor desculpa não ter atendido, a gente foi no hospital acabou se entretendo com o chá de bebê surpresa que fizeram lá e nem vimos o celular tocar. Estamos bem e você?

— Agora melhor, não precisa se desculpar meu amor. Isaura me disse que cê tinha ido lá buscar suas coisas. Mas que legal, ganhou mais presentes?

— Sim, roupinhas, fraldas. — sorrir.

— Que legal amor. Tô vendo se amanhã depois do show vou pra casa ficar com vocês.

— Vem sim, tô com saudade. — sorrir. — Mais tarde vou lá na sua mãe.

— Isso vai sim, ela ama quando você vai lá. 

— Tudo bem… quando você quiser ligar pode tá? Celular vai tá perto.

— Tá bom, beijo e eu amo você.

— Também, beijo, com Deus.

Ele desligou.

— O almoço está pronto! — Isaura disse.

— Obrigado Isa. — sorrir. — vamos almoçar Léo!

— Estou indo Lena! — ele disse e continuou a conversar no celular.

Fui até a sala de jantar me sentei e como sempre o almoço estava divino, me servi um pouco de cada e comecei almoçar antes de Léo. 

— Essa barriguda nem me espera! — ele disse fazendo eu e Isaura rimos.

— Ué, eu te chamei. — disse. — Barriguda até uns dias, tá meu anjo?

— Você sabe que você ta linda assim! — ele disse.

— Tô mesmo né? — disse. — ai, vou sentir saudades!

— Terá muitas fotos de recordação Lena. 

— Sim na verdade é o que mais tem. 

— Deixa eu te contar a novidade que demorou, mas saiu. — ele disse animado.

— Conte!

— O bazar da Helena, vai rolar! — ele disse animado.

— Ah, jura? — sorrir animada.

— Sim, era isso que estava conversando no celular. Como você vai entrar de resguarda, combinei o seguinte… depois que o Théo nascer, passar dois meses a gente faz. Pro final de novembro começo de dezembro. 

— Ótimo! Mas será onde? 

— Conseguir junto com Cauã um espaço no Shopping JK Iguatemi. 

— Hm! Amei. 

— Bom vamos reunir depois para resolvermos tudo direitinho. — sorrir. 

— Ótimo.

Terminamos nosso almoço nos deitamos no sofá e começamos a conversar, até que dei ideia de arrumar minha mala e a mala de Theo para irmos para o hospital. Ele amou, claro! Me ajudou escolher algumas roupinhas para Theo e as minhas também. Depois de pronto me deitei um pouco para descansar e acabei adormecendo.

(…)

Larissa on.

— Léo cadê Helena? — entrei no apartamento da Helena

— Está dormindo Lari. — ele disse.

— Tem muito tempo?

— Desde às três. — ele riu. — senta aí, logo ela acorda. — é urgente?

— Não, eu só passei mesmo pra ver ela.  — sentei.

— Oi Larissa, aceita alguma coisa. Água, suco, café? — Isaura veio lá de fora.

— Um suco Isaura! — sorrir.

— Já trago!

— Luan tá a quanto tempo fora?

— Duas semanas.

— Deve ta doido querendo ficar pelo da Lê! Ainda mais por agora, que Theo pode nascer a qualquer momento!

— Sim, ele liga de minuto em minuto. — Léo riu. — brincadeira! Eles serão ótimos como pais.

— Não tenho dúvida. — sorrir. — Helena sempre sonhou em ser mãe, e Luan também em ser pai. Esse menino será muito mimado,  tem gente demais que já quer!

— Ai vou mimá-lo mesmo!

Larissa of.

Nossa como eu dormir, meu Deus! Já eram cinco e meia da tarde, me levantei tomei um banho, pois quero ir na casa da sogra passear um pouquinho. Me arrumei e ao sair do quarto escutei vozes vindo da sala. Uma delas era da Larissa, que saudade da minha irmãzinha. Enquanto eu descia a escada Léo dizia que iria mimar alguém, já imagino que seria o Théo. Iriam estragar meu filho disso eu não teria dúvidas!

— Via mimar quem? — perguntei enquanto descia a escada.

— O nosso pequeno Theo! — Larissa falou. — Olá dorminhoca!

— Olá Lari! — abracei. — vocês vão estragar meu filho!

— Isso o pai dele já vai fazer, eu só vou ajudar. — Léo riu.

— Preparei um lanche da tarde bem gostoso pra vocês! — Isaura nos chamou.

— Você ta bem com Isaura aqui hein!

— E você com a Célia meu amor. — eu ri.

— Só sei que eu amo comer. — Léo disse rindo.

Tomei café com os dois onde era só gargalhada nada mais. Eles me fazia um bem tão grande ao ficarem comigo, após tomarmos café Larissa ainda ficou por mais um tempo, mas disse que tinha que ir, os meninos tinham algumas fotos para uma revista. 

— Léo! Vou na casa da sogra, você quer ir?

— Tem alguma possibilidade de eu deixar você ir sozinha? — ele me olhou se levantando. — espera vou pegar um casaco.

Queria ir andando, mas Léo ficou na preguiça e pegamos meu carro que ele foi dirigindo. Ao chegarmos na porta da casa dos pais de Luan encontrei Amarildo que chegava com certeza do escritório. Ele descia do carro.

— Helena, minha nora que bom que você veio.

— Amarildo. — sorrir, o abracei. — vim ver vocês!

— Fez bem! Oi Léo!

— Oi Amarildo. — Léo se juntou com a gente e fomos entrando e Amarildo me falava que Luan ligava todos os dias perguntando sobre mim, por isso que Marizete me ligava todos os dias.

— Não é diferente comigo também não. — Léo riu. — mas ele ta fora há duas semanas, é realmente bem puxado né?

— E como, Helena sabe como Luan é.

— Não acredito, minha norinha veio! — Marizete veio me abraçar.

— Oi sogrinha, vim passear um pouco!

— Fez bem. Como vocês estão? Oi Léo!

— Oi Zetinha! — Ele disse.

— Estamos bem. Léo ta cuidando bem da gente!

— Sei que sim! Vocês vieram pra jantar né? — Sogra sorriu. — diz que sim Lena!

— Vamos ficar. — sorrir. — ai Mari tô com saudade do Luan!

— Eu também minha filha, duas semanas já né?

— Aham. — disse. 

— Que tal aparecermos no show de amanhã de surpresa! — Amarildo sugeriu.

— Vamos! — disse animada.

— Eu animo é claro. — Marizete disse animada como eu.

— Ótimo nós vamos! Amanhã o show é em Jaú, quarenta minutos daqui. — Amarildo disse rindo.

— Por isso que ele disse que amanhã depois do show iria pra casa. — sorrir.

Fiquei conversando com eles por um tempo, depois fui ajudar Marizete a preparar o jantar. Alguns minutos mais tarde Bruna chegou.

— Ah, quando vi seu carro na porta dei o grito! — ela entrou rindo na cozinha.

— Louca ela é! — Léo riu. 

— Oi Leonardo, tudo bom lindo?

— Bru, vim ver vocês sair de casa também é bom né?

— Tem que sair mesmo, passear, levar Theozinho mesmo dentro da barriga pra passear.

Ela disse que iria subir e tomar um banho para voltar e conversarmos. Continuei ajudando a Marizete, mas logo meu celular tocou novamente. Sorrir antes mesmo de atender e Léo disse.

— É amoooor! — Gritou rindo.

 

Anúncios

One thought on “Capítulo 78° — Vem Théo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s