Capítulo 76° — Um amor desse

 No outro dia acordei tomei um banho me arrumei e desci para preparar o café da manhã. Cecília acordou e tomou junto comigo. Liguei para minha mãe dizendo que iria almoçar lá hoje e ficar o resto do dia com eles, ela super animou e disse que já estaria me esperando. Recebi uma mensagem de Léo.

Vou ficar com você hoje a noite, beijo!

Respondi e fui arrumar meu quarto com a ajuda de Cecília que disse que queria se mudar para cá também junto com o Léo. Esses meus amigos era uma graça, daqui a pouco todos viriam mesmo pra cá! Luan iria ficar louco se isso acontecesse, misericórdia. Ao terminar de arrumar tudo, peguei minhas coisas, chave do carro e descemos. 

— Já é quase meio-dia, que horror! — ela riu. — pensei que ainda era umas dez da manhã.

— Menina aqueles quartos são escuros, se eu não acordo Léo ele dorme o dia todo. — ri. — vamos almoçar na casa da minha mãe?

— Miga hoje vou pra casa da minha tia com meus pais e meus irmãos.

— Ah que pena! — disse enquanto já entrava no condomínio onde meus pais moravam. 

— Deixa pra próxima. — sorriu. 

— Vou cobrar hein!

Estacionei o carro em frente a casa dos meus pais e Cecília se despediu de mim indo para casa. Na porta de casa quando iria bater a mesma se abriu, era Caio junto com a Larissa.

— Bom dia! — Caio disse rindo se desviando da minha mão que quase pegou nele.

—Bom dia Caio. — ri. — desculpa.

— Que nada cunhada. — ele sorriu. 

— Oi maninha!

— Oi Lari, onde vão?

— No mercado buscar umas coisas ali pra mãe, entra lá estão na cozinha. — ela disse.

— Ta bom, beijo. —disse entrando. — Mãe, pai? — gritei.

Fui até a cozinha lá estavam minha mãe, meu pai, Célia. Meu pai mexendo no notebook na bancada, minha mãe e Célia preparando o almoço. Fui até meu pai o abracei forte ele fez umas gracinhas rindo, minha mãe me abraçou num abraço tão gostoso, ai que saudades de casa. 

— Célinha eu cansei de comer congelados. — eu ri.

— Mas já tá assim? — ela riu.

— Brincadeirinha. — ri. — eu e Léo estamos nos virando. Aliás, o Luan ainda não reclamou da minha comida. 

— E nem vai você aprendeu com a gente filha. — minha mãe riu. — e como tá o Theozinho? a casa?

Bom comecei também a ajuda-las, enquanto contava da minha nova vida de como estava sendo, das saudades que também as vezes dava de casa. Da saudade constante de estar sempre perto do Luan que nem sempre era possível. Conversamos sobre tudo, isso porque era apenas uma semana de mudança, nada mais! 

O domingo foi delicioso junto com minha família, aproveitei cada segundo com eles fazendo a bagunça. Larissa e Caio também ficaram o dia todo lá. Estava quase na hora de ir pra casa já estava escurecendo e eu tinha que ir, pois amanhã iria trabalhar. 

— Célia meu anjo, preciso de você! — disse.

— No quê Helena?

— Você não conhece ninguém que esteja precisando trabalhar, para me ajudar com o apartamento não? Por enquanto, não precisa ser todos os dias sabe? Mas quando Théo nascer vai ter que ser. — risos.

— Helena tem sim, sua mãe até conhece ela. — ela disse. — A Isaura ela é toda caprichosa, cozinha super bem e ela estar louca atrás de trabalho.

— A Isaura é como se fosse a Célia Helena, ela é um amor! — minha mãe sorriu. — chama ela e combina tudo!

— Ah eu vou sim! — sorrir. — me passa o número?

— Vou pegar pra você agora!

Ela foi e dentro de alguns minutos voltou com um pedaço de papel em mãos. 

— Aqui.

— Obrigado vou ligar pra ela! — sorrir. — Mãe, pai foi muito bom passar o dia com vocês. Depois vamos marcar um churrascão lá em casa, pra reunir a galera toda. Deixa o Luan estar em casa que combinamos.

— Opa, aí é bom! — meu pai sorriu. — porque não fica Helena?

— Amanhã tenho que ir pro hospital pai. — disse. — ainda estou no trabalho. 

— Porque quer! — minha mãe disse. 

— Porque é necessário! — disse rindo.

— Quem vai ficar com você lá hoje? — Larissa me olhou.

— Léo volta hoje, tenho que ir se não ele fica lá do lado de fora coitado. — abracei meu pai, minha mãe, Lari, Célia e Caio. — Boa noite pra vocês!

Todos me levaram lá fora no carro e logo eu acelerei sumindo no final da rua. Em quarenta minutos estava no alphaville. Antes de entrar em casa escutei som da televisão, mas eu tinha desligado tudo antes de sair de casa. Ao abrir a porta tive uma surpresa lá estava Luan sem camisa só de bermuda vendo televisão e tomando seu tereré de costume. 

— Oi minha princesa. — ele sorriu ao me ver.

— Oi meu amor, tudo bem? — sorrir, trancando a porta e fui até ele.

O abracei forte seu cheiro doce era tão maravilhoso, era tão bom ele estar em casa novamente. Era tão maravilhosos quando ele voltava pra ficar. Beijei bem devagar matando a saudade. 

— Eu tô bem meu amor, e vocês? — ele levantou minha blusa e alisou minha barriga e o Théo chutou, sorrir com o lindo sorriso que brotou em seus lábios.

— Estamos bem. — passei a mão em seu cabelo. — E o show de hoje?

— Foi desmarcado por causa das chuvas, aí eles queriam vir amanhã, mas falei que queria vir pra casa e viemos.

— Você hein!

— Gostou?

— Eu amei, estava morrendo de saudade Luan.

— Eu também estava e ainda estou. — ele riu.

— Vou ligar pro Léo dizendo que ele não precisa vir. — disse.

— Ele já sabia que eu iria voltar. — ele selou meus lábios.

— Hm, tinha tudo preparado? — o abracei. 

— Tudo pra ficar com vocês. 

— Ah eu amo muito esse menino, meu Deus.

— Linda, onde estava?

— Na casa dos meus pais, passei o dia com eles. 

— Muito bom, todo mundo bem por lá? 

— Aham, todos bem. Ah! — disse me lembrando. — Temos alguém pra me ajudar com a casa Dona Isaura é conhecida da minha mãe e da Célia. Disse que ela é muito caprichosa, e cozinha super bem!

— Podemos marcar uma entrevista com ela. 

— Sim e o melhor que ela mora em Bauru mesmo amor. 

— Melhor ainda! — ele disse. — liga pra ela amanhã.

— Ta bom, e você ta com fome?

— Não amor, não se preocupe.

— Que não se preocupe o que, me fazer engordar você quer né? — eu ri da cara que ele fez e depois riu.

— Ah Lê, então borá lá preparar alguma coisa, vamos!

Ele desligou a TV e fomos para cozinha onde preparamos juntos um jantar para nós dois. Luan na cozinha era a negação, ele até tentava ajudar, mas meu Deus era perigoso! Por milagre hoje não estava frio e eu dei ideia e irmos jantarmos na cobertura, explorar um pouquinho nossa casa.

Terminamos de preparar o jantar e subimos para cobertura colocamos na beirada da piscina e nos sentamos juntinhos. 

(só relembrando como é a cobertura)

— Você sabia? 

— O que?

— Que eu sempre sonhei com esse momento… — ele me olhou.

— Jantar aqui em cima?

— Não Helena. — ele riu. — de estar com quem eu amo, formando uma família. 

— Ah é? 

— Aham, e sabia que eu amo demais a mãe do meu filho?

— Ah eu tenho a certeza que sim, e também tenho a certeza que a mãe do seu filho deve ser uma mulher muito sortuda, por ter você e o filho de vocês.

— Ela é sim sabe. — ele respirou olhou o prato depois pra mim. — posso dizer que ela é o meu porto seguro.

— Mulher de sorte essa. — sorrir, chegando mais perto dele.

— Eu também acho. — ele me beijou e foi esquentando, ele logo parou. — não faz isso, porque com esse neném aí não da pra fazer nada. — ele riu.

— Bobinho!

Terminamos de comer e deixamos os pratos num cantinho, fui até o quarto e peguei nosso cobertor e nossos celulares me deitei ao lado dele novamente e ele me puxou pra ele beijando minha cabeça e tirou uma foto. 

— Saudade de postar uma foto com você! — ele disse. — minhas fãs vivem pedindo.

— Ah é? — sorrir.

— Aham. 

Ele editava a foto para postar, e eu me fiquei passando o dedo como se desenhasse no seu peitoral. 

@luansantana: Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais. Eu sou quero amar você cada dia mais. @helenamitchell 💘

@luanamor: AAAAAAAAAAAAA eu amo esse casal

@luanvida: um casal é o casal. 💘

@luanmeudestino: O amor de vocês é lindo!

@luanitas: Eu só sei sentir!

@helenaprincesa: Um casal desse bicho! 💘💘💘

 

Anúncios

One thought on “Capítulo 76° — Um amor desse

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s