Capítulo 73° — Primeiro jantar

— Eu mesmo! — Léo saiu do clouset junto com uma moça, essa eu não conhecia.

— Gente, vocês estão precisando curtir!

— Ainda é terça-feira Helena. — Juliana riu.

— Ô Ju! — ri. 

— Deixa eu te apresentar a Natália, que ajudou arrumar todo o clouset. — Juliana levantou puxando a menina que estava do lado do Léo. 

— Oi Natália, te colocaram pra trabalhar hoje? — sorrir. abraçando-a. — Prazer!

— O prazer é meu Helena, acho que você irá gostar. — risos. — Luan gostou.

— Amor! — Luan saiu do clouset, me abraçou, beijou minha barriga. — Venha ver!

Entrei junto com ele e realmente tinha ficado ótimo, ela tinha separado tudo, tudo! Do jeito que eu realmente queria, fiquei tão feliz ao saber que a partir de hoje esse cantinho era meu e do Luan.

 — Eu adorei! 

— Agora o casal já pode fazer aquele churras naquela área ali fora, e chamar a gente, eu principalmente. — Marquinhos riu.

— Você não acha que eu não sei que você irá quase morar aqui com a gente, Marquinhos. — ri e Luan abraçou o amigo.

— Qual é o meu quarto mesmo? — ele perguntou e todo mundo riu.

Descemos todo mundo e Juliana e Natalia se despediram. Bruna se sentou no sofá com todo mundo, e começou a contar algumas coisas sobre o apartamento. Também falou do bebê. O interfone tocou.

— Ó primeira visita! — Léo riu.

— É uma entrega! — Bruna disse ao desligar o interfone.

— Vou tomar um banho, recebe lá Luan! — disse, me levantando e indo pro meu quarto.

Antes de entrar no banheiro rodei todo o quarto, olhando cada detalhezinhos. Tirei minha roupa e coloquei no cesto de roupa suja, logo entrei no banheiro e tomei meu primeiro banho na casa nova.

Era tão bom pensar assim agora eu e Luan poderíamos aproveitar o máximo nossos momentos juntos, na nossa casa.
Ao terminar meu banho me vestir, e sair do clouset. Dei de cara com o Luan no quarto, com uma caixa.

— Uma entrega pro Theo amor! 

— Nem nasceu e tá ganhando presentes meu amorzinho? — alisei minha barriga.

— Já e o queridão do Brasilzão né filho? — Luan disse sorrindo.

Ao abrirmos a caixa eram muitas roupinhas, sapatinhos, bolsa de bebê. Era cada roupinha mais linda que a outra. Peguei meu celular gravando, mostrando e agradecendo a loja pelos mimos. Depois levei tudo pro quartinho do Theo.
Que paz ao entrar nesse quarto. Toda vez que entrava a vontade de tê-lo em meus braços o mais rápido surgia, era quase inevitável, eu só queria já ter meu bebê comigo mimando, cuidando e amando muito.
Descemos e Bruna se levantou dizendo que teria que ir, pois tinha aula. Minha mãe disse que teria que ir pro plantão, Marquinhos iria ficar, Léo também. 

— Mãe, avisa o papai que espero ele aqui depois. — sorrir, abraçando-a e beijando sua bochecha.

— Aviso sim minha linda. — ela beijou minha testa, sorrindo. — se cuida fica com Deus, tchau gente.

— Tchau sogrinha! — Luan sorriu.

Marizete levantou e disse que também iria pra casa. Pedi a ela que ficasse, mas ela disse que depois voltaria. Eu não sei ao certo se estaria preparada para morar sozinha com o Luan, não por ser com o Luan, mas sim por ser sem meus pais. Tá eu era uma mulher quase uma mãe, mas será que eu daria conta? Será que eu iria conseguir cuidar de tudo? Luan se sentou do meu lado no sofá segurou minhas mãos e disse.

— Acho que poderíamos jantar fora hoje. — ele olhou de mim pros meninos.

— Porque? Tá com medo de comer da minha comida? — eu disse rindo, e os três riram.

— Não amor, claro que não. — ele disse como se tivesse se desculpando.

— Luan se é ruim ou não é a comida dela que você irá comer pelo resto da vida, quando estiver em casa. — Léo riu.

— Helena tem cara que é uma cozinheira de mão cheia. — Marquinhos zoou.

— Vou provar pra vocês que não sou tão ruim assim, só me deixa encontrar onde fica as coisas nessa cozinha. — eu disse rindo e disposta indo até a cozinha.

 — Amor! — Luan ria. — Não precisa.

— Ah! Precisa sim. — disse abrindo os armários. 

— Eu te ajudo amiga! — Léo veio.

— A gente olha. — Marquinhos riu.

Junto com Leonardo comecei a preparar um jantar para gente. Eu já tinha feito comida várias vezes com minha mãe, Célia. Não era primeira vez, e aliás, iria ter que me acostumar muito nessa cozinha até encontrarmos alguém para que pudesse me ajudar. Como eu estava sendo desafiada pelo meu próprio noivo e amigos, resolvi fazer a comida preferida do Luan. Frango com quiabo, eu dei graças a Deus que quem fez as compras, comprou de tudo. Logo Luan apareceu com o celular nas mãos fazendo vídeos e colocando no instagram.

Oi meus amores, mostrando pra vocês que hoje quem está na cozinha é a Helena, minha princesinha. 

Ele ia dizendo e me filmando mandei um beijo pra câmera e ele logo se sentou com Marquinhos e começamos a conversar, os três bebiam cerveja e eu tomava um suco. Foi se passando os minutos o cheiro estava ficando muito bom, eles comentavam sobre. Depois de uma hora e meia estava pronto, eu coloquei a mesa os vinhos e os sucos na mesa.

— Olha não é a comida da Marizete, não chega nem perto. — disse rindo. — mas espero que vocês gostem, e me falem o que achou.

Eles se serviram e nos sentamos na mesa do jantar a primeira garfada de Luan, ele sorria sem mostrar os dentes enquanto mastigava. Eu aflita pela resposta, ele deu mais uma garfada e comia com uma cara muito boa, mas não dizia nada.

 — Para de mastigar e me diz como tá. — disse rindo ao provar da minha própria comida.

— Estar maravilhosamente deliciosa essa comida, que aliás é o meu prato favorito. — ele sorriu. — Está muito bom Lena.

— Realmente Helena está bom demais. — Marquinhos disse, enquanto tomou um pouco do vinho. — Você se deu bem Luan!

— Posso falar, quando posso trazer minhas coisas mesmo? — Léo riu. — Tá muito bom!

 — Ufa! — ri. — não foi tão ruim quanto pensei, que bom que vocês gostaram.

Enquanto jantávamos, conversávamos sobre o apartamento sobre a localização que era muito boa. Também falamos sobre as cirurgias que eu já não poderia realizar mais. Falamos do nosso bebê o Theo. Bom conversamos bastante, quando terminamos o jantar Marquinhos e Luan disseram que iriam lavar as louças, deixei pedindo que pelo amor que não quebrassem nada. Limpamos os quatro juntos a cozinha, depois Léo disse que iria embora e que voltava na quinta-feira quando o Luan fosse viajar.  Também disse que já estava preparando uma campanha dos dias das mães junto com Cauã pra mim. Me animei super com a ideia.

— Luan eu vou deitar um pouco o dia hoje foi bem agitado, meu pé ta parecendo um pão de tão inchado. — disse rindo. — e amanhã ainda tenho que ir trabalhar.

— Mas você ta bem? — ele veio olhando meu pé pra ver se realmente parecia um pão.

Eu ri seguindo o olhar dele, dei um beijinho no rosto dele.

— Aham, fica tranquilo. — sorrir. — boa noite Marquinhos.

— Boa noite Helena! — ele disse pegando um violão que estava no sofá, enquanto dedilhava.

— Boa noite meu amor. — ele beijou minha testa e logo depositou um beijo nos meus lábios, me virei para subir e escutava os dois. — Borá pro estúdio. — ele disse.

Luan nunca dorme cedo, já havia me acostumado com isso. Ele geralmente só iria dormir quando o sol estivesse nascendo. É estranho eu estar acordando e ele indo dormir, mas ele precisava disso, como ele diz as melhores composições vem pela madrugada. Não tinha nada a reclamar, eu o amava do jeitinho que ele é, suas qualidades seus defeitos, era tudo tão perfeito que eu nem me importava. Sabendo que ele está bem, feliz, sorrindo é o que importa o resto nada é importante.

Entrei no clouset escolhi um pijama mais quente já que estava um pouco frio, fui até a sacada do meu quarto e olhei pela varanda a linda noite que estava. Olhei o céu todo estrelado a lua iluminava a cada quatro cantos. Comecei a pensar desde quando conheci o Luan naquele dia no hospital, quem diria que hoje estaríamos aqui? Eu esperando um filho dele, noiva e morando juntos fazendo planos maravilhosos. Eu simplesmente o amo e ele também me ama, é tudo tão recíproco. Um vento bateu em meu rosto me causando arrepios e me despertando dos meus pensamentos, balancei a cabeça sorrindo e entrei pro quarto, fechei a porta de vidro e também as cortinas, ligando a TV  e me deitando naquela cama enorme, macia e confortável.

Fiquei passando os canais por algum instante e logo encontrei um canal onde fiquei assistindo e mexendo no celular vendo redes sociais, conversando com fãs do Luan, vendo notícias que saia sobre ele na mídia. Ficava observando tudo, vi os vídeos que ele e Marquinhos falaram antes de eu ter feito a comida me zoando, ri sozinha ali, mas depois eles dizendo que pagaram língua, ri mais ainda. Era linda a amizade do Luan com Marcos, uma amizade de anos que é muito valorizada.

Fui em minha galeria e estava a procura de uma foto para postar, atualizar aquele instagram era necessário, e eu estava tão por fora, talvez seja o tempo. Então escolhi uma editando e postando em seguida.

“Essa foto não é de hoje não é tirado por esses meses, mas é uma foto que transmite muito mais do que se ver. Ela transmite amor, lealdade, carinho, respeito, confiança, alegria só coisas boas. Hoje eu só queria vir aqui agradecer você mais uma vez como sempre faço, mas nunca é o suficiente. Você é um grande homem que sabe me fazer feliz com as mais simples coisas que possa fazer, você me transmite paz, felicidade. Eu já tento te passar tudo da forma que você me passa, para que possamos viver na mesma intensidade. Você consegue ser o melhor amigo, namorado, noivo com o simples fato de estar sempre ao meu lado quando eu mais preciso. Você é quem eu quero estar pra sempre, até que eu esteja velhinha gagá. Você é amor, é vida, é futuro, é pai e não é um pai qualquer não, é um paizão. Eu só queria vir aqui e expressar meu amor por você, mas acho que falhei, é impossível escrever algo pra você. Eu não consigo expressar em palavras, é algo que eu só sinto. Eu amo você. @luansantana 💘😍👫”

@meuanjoluans: Meu Deus Helena, vocês são maravilhosos 😭😭

@luanjodaguarda: o casal que o mundo respeita 😍

@princesadols: você é maravilhosa, Deus abençoa nosso casal, eu amo vocês! 😭

@lisawilson: Um casal é o casal, amo 😍

@roberlelis: 💟💟

@helenanossaprincesa: Amo muito um casal 💟

A foto foi bombardeada de comentários por minutos, o que era aquilo. Eu sorria com tantos comentários só de amor, que carinho pela gente. Até Theo deu uns chutezinhos de felicidade. Coloquei meu celular para despertar e coloquei o mesmo para carregar ali no criado mudo do lado da cama, passei ainda alguns canais na televisão, mas logo me vi apagando e dormindo.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s