Capítulo 62º – Emergência

Despedi do Luan e da Larissa que logo entraram no carro e foram para o Alphaville. Eu também acelerei antes que chegasse atrasada no hospital.

– Bom dia Dra. Helena! – Heitor disse ao sair do seu carro também no estacionamento.

– Bom dia Heitor! – sorrir. – tudo bom?

– Sim preparado para mais um dia.

– Tem que tá né!

Subimos e comecei o dia de trabalho que tinha muito.

Bruna On.

– Lari, que ótimo que você veio. – abracei ela. – Oi maninho!

– Oi Bru, bom temos que resolver tudo né? Aproveitei que cheguei hoje e já vir.

– Oi Pi. – Sorriu.

– Cadê Helena?

– Alguém tem que trabalhar né? –Luan  disse rindo.

– Ô meu filho que bom que você veio, quero passar um tempinho com você.

– Mamusca vamos passar o tempo todos juntinhos. 

 – Oi Lari, que ótimo te ver! 

– Oi Mariete. – ela abraçou minha mãe. – muito mesmo, aliás, estamos sumidas né? 

– Um pouco né moça. 

– Bom Lari vem, vamos pro meu quarto.

– Vamos.

Subimos para resolver sobre as coisas do chá revelação da Helena.

Bruna of.

Luan on.

Me sentei com minha mãe para conversar, colocar aquele papinho de mãe e filho sempre que podemos. Amava estar em casa com mina família, poder aproveitar o máximo que eu posso sempre é muito bom. 

Conversamos sobre os shows, sobre as viagens, nas noites de hotéis sozinho. Dos momentos que eu sinto falta deles, de tudo! Conversamos também sobre a Helena, sobre nosso bebê. Chegamos até a falar sobre o casamento, acredita? 

Bom, tentei ajudar minha mãe na cozinha com o almoço. Só tentei mesmo, porque olha é o fim!

Na hora do almoço Marquinhos, Rober apareceu junto com meu pai. Bruna e Larissa desceram para almoçar com a gente. Que almoço maravilhoso, cheio de risadas e muito amor. 

Logo mais tarde Bruna e Larissa saíram com certeza para casa dos machos, hahaha. Eu fui jogar video-game com meus amigos.

Passamos quase a tarde toda lá, depois tomei um banho me vestir e fui pro estúdio VIP. Tinha algumas ideias para por no papel junto com o Dudu.

Luan Of.

O dia de trabalho foi bem produtivo, sair para almoçar com os amigos que há tempos nem café tomávamos juntos mais. Cuidei de vários pacientes, fiz algumas cirurgias e também ajudei Dr. Leonan com outras. 

Quando sair do hospital, após largar o expediente liguei pro Luan ele não atendeu. Entrei no carro e liguei pra Larissa ela disse que ainda estava na casa de Caio. Já que não havia ninguém em casa, fui direto pra casa do Luan, pelo menos se ele não tivesse por lá, os sogros estariam e eu não ficarei sozinha.

Quando cheguei só estava o carro da Bruna na garagem, com certeza o Luan não estaria. Retirei o jaleco jogando no banco de trás do carro, peguei um casaco me vestir, peguei meu celular e sair do carro. Ao bater campainha quem atendeu foi Marizete.

–Helena minha norinha. – ela sorriu ao me ver.

– Oi Mari, tudo bom? – sorrir, abraçando ela.

– Tô bem demais, entra! – ela deu espaço para que eu entrasse. – Tô sozinha minha querida e aproveitando para arrumar umas roupas do Luan no ateliê.

 – Ah eu te ajudo! – sorrir. – Onde tá todo mundo? Luan?

– Luan foi pro estúdio com Marquinhos, o pai e Rober. Bruna e Larissa na casa dos meninos.

– Ahh! 

Bom ficamos conversando, enquanto ela costurava e eu ajudava nas opniões e tentava ajudar no máximo possível. Logo, sogra arrumou um café para gente com pães de queijo bem quentinhos, pensa no quanto eu comi? Ah!

Logo meu celular apitou.

Meu amor, você me ligou desculpa. Já deve estar em casa, eu acabei de chegar em casa, tô no meu quarto. Sentindo saudades suas. Te amo tanto minha bebê ❤️

– Mari Luan chegou vou ir vê-lo!

– Tranquilo Lena. Vou parar aqui também, tomar um banho.

– Ótimo!

Sair do ateliê e fui até o quarto do Luan, não bati na porta e apenas entrei bem devagar. Ele estava deitado na cama de costas pra porta, e falava sozinho e eu ri quando escutei.

– Pô cara! Mandei uma mensagem toda fofa pra Helena, ela visualiza e não responde! Caramba Helena!

Eu ria baixinho, coloquei meu celular no silencioso e digitei.

Só não respondi na hora pois eu sou difícil, e queria te dizer pessoalmente e eu tô escutando você reclamar. Te amo meu amor. ❤️

Ele riu e olhou para trás.

– Se você não é o amor da minha vida Helena, eu não sei quem é! 

– Oi meu amor.

– Uai onde você estava, pois quando eu cheguei não tinha ninguém. – ele riu beijou meus lábios, abaixou eu beijou minha barriga.

– Estava no ateliê com sua mãe. – sorrir. – você não me atendeu.

– Desculpa estava no silencioso minha linda. 

– Cadê os meninos?

– Marquinhos foi tomar banho, Rober foi dar um passeio com a muie! – rindo. 

– Bobo. 

– Como foi o trabalho? 

– Puxadinho como sempre, mas divertido! E você como foi o dia?

– Aproveitei com minha mãe, conversamos bastante. Joguei vídeo-game com os meninos, fui pro estúdio e agora estou na melhor parte do meu dia, com meus dois amorzinhos. – ele me abraçou e deitou do meu lado na cama.

– Hm que dia produtivo! Amanhã você vai pra onde?

– Só tenho gravação de um programa, mas é aqui mesmo em Sampa. Porque meu amor?

– Queria te chamar pra jantar comigo. – alisava seus cabelos.

– Eu topo, bota eu arrumo o lugar. – ele disse.

– Não eu já escolhi. – risos. – esteja pronto as 20hs. 

– Vai me surpreender? 

– Vou tentar te juro. – dei um selinho.

– Ô casal! – Marquinhos apareceu ali.

– Oi Marquinhos.

– Oi Lena.

– Seu pai tá chamando pra queimar uma carne cara, vamos lá! Breno e Caio estão aí. 

– Borá, borá! – Luan se levantou. – violão tá lá embaixo?

– Acho que os dois estão.

Me levantei da cama com o Luan me puxando, segurei em sua mão e desci atrás deles que falavam mais que pobre na chuva. Desci e encontrei Bruna e Larissa que disseram que já tinham tudo pronto pro chá de revelação, mesmo não sabendo o sexo do bebê ainda.

Fui até a sogra ver se ela precisava de ajuda, mas  ela já tinha preparado um arroz e um vinagrete. Fui lá fora, cumprimentei os meninos e o meu sogro. 

– Vamos cantar aquela assim… Toda vez que eu viajava pela estrada de ouro fino…

Luan puxou e os meninos continuaram, meu celular então tocou. Sair dali para atender.

– Helena? É o Carlos Eduardo, preciso de você urgente!

– Carlos não tem ninguém mais próximo, estou tão longe do hospital.

– Longe quanto?

– Alphaville! 

– Se você sair agora dar pra esperar e ir fazendo o que eu posso, por favor.

– Estou indo.

Desliguei e Luan me olhou.

– Onde? –ele voltava da cozinha com uns copos nas mãos.

– Hospital, uma emergência amor. 

– Poxa Lena, não tem ninguém pra te cobrir. Você acabou de chegar em casa.

– Eu juro que eu tento voltar, tá bom? – o abracei e dei um beijo nele mesmo bicudo. 

– Quase toda vez é assim…

– Luan, eu não queria ir..

Ele me interrompeu.

–Então não vai.

– Amor é uma emergência, se não acabar tarde demais eu volto, eu te ligo tá? Te amo.

Fui na sogra me despedir, fui em todo mundo e sair dali,Luan veio atrás. 

– Não corre. – ele disse.

– Não vou, eu te amo ta? – o abracei e dei um selinho. 

Ele não disse nada, sabia que ele ia ficar assim. Eu teria que pedir os Drs. daquele hospital que não daria pra continuar assim, sempre Eduardo e Leonan, me tiram pra fazer algo. 

Acelerei e fui. 

Anúncios

One thought on “Capítulo 62º – Emergência

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s