Capítulo 52° – Não ligue não eu sou vesgo!

– Que você está melhor né meu filho? É uma felicidade enorme! – Mari disse despistando.

– Minha muié Doutora arrasa né mamusca?

– Pois é um paciente teimoso desse né Mari? – disse rindo. – que deveria ter me chamado antes.

– Ô amor.. não queria atrapalhar.

– Você sabe que não atrapalha. – alisei seu rosto.

– Vou preparar o jantar.

– Te ajudo. – disse.

 – Não Helena, fica com o Luan. 

– Não Mari.

– Sim amor, cê escutou sua sogra fica comigo. – ele disse rindo, sem vergonha.

– Gente já é manhoso, olha como fica.

– Ei dá um crédito né Bru, tô passando mal. – ele deu um riso.

– Ai Luan você não tem jeito mesmo. – disse. – vem vamos lá pra fora.

– Vamos. – ele levantou segurando a mão.

Íamos saindo e Breno entrou no quarto da Bruna com uma cara não muito boa. Seguimos para perto da piscina, nos sentamos lá e ele começou a falar.

– Sabe o que eu estava pensando Helena.

– Em quê?

– Na gente.

– Sobre?

– Casamento.

– Você quer? 

– É claro que sim, você não?

– Quero. – disse.

– Sabe o que eu mais quero ainda?

– Não o que?

– Que a gente case dia 16 de janeiro.

– Nossa data de namoro e de noivado.. – sorrir. – isso é lindo!

– Porque não casamos ano que vem?

– Porque a gente tem que planejar, seria lindo realmente. – viajei ali agora.– entrando na igreja com um vestido lindo, você no altar me esperando, a decoração da igreja.

– Igreja você pensa como eu. – ele sorriu. – vamos começar a olhar.

– Luan falta um ano, quase praticamente.

– Mas é tanta coisa Lê, casa, casamento, lugar, festa, convidados. Pensa!

– É verdade, mas ainda estamos em Fevereiro. Calma da tempo!

Ele riu.

– Você tá a cada dia mais linda sabia?

– E você também sabia? Tenho que tomar cuidado, pois já imagino o monte de mulher em cima.

– Hein? Onde?

– Onde?

– No show nem tem tá?

– Tem umas fotos que eu vejo em camarim…

– São fãs amor não vale.

– Quase certeza que nem todas são fãs, eu conheço bem suas fãs Luan. – disse.

– Eu sei que sim.

– Mas cê ta falando de qual então?

– Dessas muié que vai com um macacão todo aberto, não sei nem pra que colocam se fica tudo de fora. Vai pelada fia! Elas devem pensar assim, vou ver o Luan Santana vou com a roupa que tiver menos pano possível, vai que né?

Luan não aguentou que chorava de tanto que ria.

– Não rir! – disse tentando segurar o riso também.

– Como você é bobinha meu amor.

– Sou esperta isso sim!

– Você sabe que só tenho olhos pra você, caso eu tiver olhando pra outra não ligue não eu sou vesgo!

– AH NÃO Luan! – Dei um tapinha leve em seu ombro.

– AI amor! O que é agora?

– Você mereceu.

– Tô passando mal Helena. – ele disse fazendo bico.

– Acho que já tá é bem já. – disse.

– Você que é brava demais.

– Hm.

– Amor. 

–…

– Princesinha minha.

– Para que meu coração logo amolece.

– E você acha que eu não sei? – ele sorriu selando nossos lábios. – Te amo demais minha vida, só tenho olhos pra você. 

– Sei e se não for, você se ver comigo! –ri.

– Malvada.

– Sou não amor.

– Não?

– Não ué. – ri, alisando ele. – olhei no meu celular a hora. – Vamos entrar ta na hora do remédio.

– Vamos!

Ele foi na frente me puxando fomos pro quarto dele onde ele bebia a dosagem, e meu celular tocou.

– Helena onde você ta? – era minha mãe.

– Na casa do Luan mãe. – disse. –ele passou mal e vir correndo pra cá, desculpa sair sem avisar até esqueci.

– Dá próxima vez avisa né? Nem vimos que você tinha saído.

– Tudo bem, desculpa.

– E o que o Luan tem?

– Estava com febre, com dor, mas já está melhorando.

– Diga ele que estou torcendo pela melhora.

– Pode deixar.. 

– Ele já sabe?

– Não ainda não. – ri. 

– Conta logo!

– Logo irei. –risos. – bom a lari chegou?

– Sim.

– Diga ela que amanhã estarei aí, preciso dela na parte da tarde.

– Ta bom, boa noite, fica com Deus. E da próxima vez avisa sua louca!

– Te amo mãe. – risos. – desliguei.

 

– Esqueci de avisar minha mãe que vir pra cá.

– Você sempre faz isso né amor?

– Verdade, ainda mais hoje quando Bru avisou sair correndo.

– Imagino a velocidade que a mocinha estava dirigindo.

– Não vou mentir que se vir umas multas não irei me assustar, estou até esperando já. –ri.

– E você rir. – ele me olhou.  – Da vontade de dar uns tapas em você Helena. 

– Amor!

– Amor nada, depois acontece algo sério. Ai pronto!

– Mas não aconteceu ó! Eu tô bem você tá melhorando. E tudo certo!

– Ahãm, atrevida.

– Te amo tá?

– Não deixa de ser atrevida.

– Mesmo assim eu te amo. –ri.

E enchi ele de beijinhos.

Escutei me chamarem.

– Helena! – era a vozinha da Bru. – vem aqui no meu quarto.

– Tô indo Bru! Já volto ta?

– Ta bom amor.

Fui pro quarto da Bruna e Breno já não estava mais lá e o pior minha cunhada chorava.

 – Meu amor, o que foi? Cadê o Breno?

– Nós terminamos Lê. – ela disse me abraçando.

– Porque Bru? O que houve?

– Eu não concordo com muita coisa que vem acontecendo sabe? As fãs dele não me respeitam nem um pouco. A cadas dia um boato diferente e eu cansei. Disse para ele para darmos um tempo, ele saiu nervoso daqui.

– O meu amor não fica assim, se você acha que foi o melhor a fazer pensa assim que tudo irá ficar bem. Você é nova pode conhecer outras pessoas, por mais que você goste, ame ele. Você tem que ficar com uma pessoa que você se sintam bem e segura, pensa nesse tempo que você pediu para ele se vale a pena ficar com ele ou não. Você merece ser muito feliz eu só te digo isso, merece demais. E eu vou estar sempre aqui como uma irmã mais velha pra você ta bom? Pode contar sempre comigo. Limpa essas lágrimas, lava o seu rosto se acalme. Desce, pois já vamos jantar. 

– O Lê obrigado por essas palavras você é uma cunhada maravilhosa, eu te amo e agradeço por ter você com a gente. Obrigado! 

– Por nada minha linda, vai lá, levanta, lave o rosto e desce estou te esperando ta?

– Ta bom. – ela disse sem sorrir.

Que judiação com a Bruna, meu Deus, era tão ruim ver ela assim. Luan não poderia nem sonhar, se não iria ainda arrumar confusão com Breno.

 

Na hora do jantar Bruna desceu o seu rosto já estava melhor, menos vermelho. Jantamos todos juntos, Luan comeu um pouco da sopa que a mãe havia preparado. Depois do jantar nos deitamos na sala para ver um filme junto com todos, mas logo Bruna subiu e disse que iria dormir, os pais de Luan também.

– Amor vamos também, amanhã tenho que ir cedo pro hospital vem.

– Vamos Lê. – ele me abraçou e fomos pro seu quarto onde dormimos juntinhos de conchinha. 

(…)

– Bom dia meu amor, tá melhor? – disse dando um selinho nele que acordou só para eu despedir.

– Sim um pouquinho. –disse. – Você já vai?

– Vou. Mais tarde venho te ver ta? Come e toma seu remédio direitinho Luan.

– Ta bom princesa, bom trabalho.

– Obrigado.

Encontrei Bruna e Marizete tomando café. 

– Bom dia gente.

– Bom dia Helena. –disseram.

– Como esta o Luan?

– Melhor sogrinha, um pouco com dor, mas é só continuar com os medicamentos certo? – disse colocando uma xícara de café.

Sogra levantou e Bruna me olhou.

– E você?

– Tô indo Lê. – ela disse. 

– Qualquer coisa me liga ta bom. – disse tomando um pouquinho do café.

– Obrigado.

– Helena eu separei esses pedaços de bolo pra você comer no hospital

– Ô Mari. – sorrir. – obrigado, não precisava.

– Precisa sim, ainda mais agora que você tem que se alimentar muito bem. 

Sorrir.

– Bom muito obrigado, eu vou indo se não irei me atrasar. Mas tarde voltarei pra ver o Luan, qualquer coisa é só me ligar ta?

– Ok Helena, obrigado por cuidar tão bem do meu filho.

– Também é meu dever. – sorrir. – tchau. – Abracei ela e a Bruna. – me liga qualquer coisa ta?

Ela concordou e eu sair.

Anúncios

2 thoughts on “Capítulo 52° – Não ligue não eu sou vesgo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s